Ministro não sabe se alguém entrou em Tancos (pode nem ter havido furto)

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes

O ministro da Defesa assegura que o estado das principais instalações militares é “razoável” e que não existem “situações de fragilidade semelhantes” às de Tancos, mas admite que foram detetados casos em que se justificou reforçar a segurança.

Em entrevista ao DN, publicada este domingo, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, revela alguns pormenores do relatório que pediu no final de junho à Inspeção-Geral de Defesa Nacional sobre o estado das principais instalações militares, depois do furto nos Paióis Nacionais de Tancos.

E “é razoável“, conclui o ministro

Não foram verificadas situações de fragilidade semelhantes a Tancos. Foram verificadas situações em que se justificava reforçar a segurança”, refere o ministro.

Azeredo Lopes indica ainda que a Inspeção-Geral detetou a necessidade de implementar melhorias em “três dimensões fundamentais”, nomeadamente a concentração de material, o reforço dos mecanismos de vigilância e, na parte dos sistemas de informação e de gestão de informação, a criação de um sistema comum aos três ramos.

Isto significa, sublinha, “a necessidade de uma vez por todas de haver um conhecimento instantâneo, atualizado, de tudo o que está nos paióis para se evitar no futuro o que ocorreu em Tancos”.

Em junho, o Exército revelou a violação dos perímetros de segurança dos Paióis Nacionais de Tancos e o arrombamento de dois ‘paiolins’, tendo desaparecido granadas de mão ofensivas e munições de calibre nove milímetros.

Entre o material de guerra furtado estavam “granadas foguete anticarro”, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos, segundo a informação divulgada pelo Exército.

Azeredo Lopes deixa ainda críticas ao aproveitamento feito do furto de material em Tancos, considerando que “foi aumentado por razões obviamente políticas”.

Reiterando que mantém “plenamente” a confiança nas chefias militares, o ministro da Defesa lembra também que o furto em Tancos está ainda a ser investigado e que há o plano da investigação criminal e o plano da investigação levada a cabo pelo Exército.

“Sei que há um furo na cerca e que foi declarado o desaparecimento de material militar. Eu não sou investigador criminal. Não quero saber se foi A ou B, se foi de dentro ou de fora, o que sei é que material que estava à guarda do Exército desapareceu. Eu quero saber por todas as razões”, diz o ministro.

“Porque, se se verificar que houve cumplicidades internas é muito preocupante, quero saber como cidadão e como ministro da Defesa Nacional como é que isto pôde acontecer, mas eu não sou investigador e não tenho sequer o direito de me intrometer na investigação que estava a cargo da PJ militar e que foi depois assumida pela PJ”, explica.

“No limite”, acrescenta, “pode não ter havido furto nenhum”, porque “não existe prova visual, nem testemunhal, nem confissão. Por absurdo podemos admitir que o material já não existisse e que tivesse sido anunciado… e isso não pode acontecer”, diz Azeredo Lopes.

Questionado se está convencido de que houve furto de material, Azeredo Lopes responde: “Dou-lhe a minha palavra de honra: não estou nem deixo de estar convencido, só sei que desapareceu. Tenho de presumir, por bom senso e porque não sou dado a teorias da conspiração, que desapareceu antes de 28 de junho, dia em que tomei conhecimento”, diz.

Relativamente à insistência do Presidente da República sobre a necessidade de levar até ao fim a averiguação das responsabilidades, Azeredo Lopes diz que “nem há como não acompanhar” essa preocupação.

“Era bom, mas não entendam isto como uma pressão à investigação, que pudéssemos ir fechando ciclos, ou seja, o Exército está a fechar o seu através da instauração dos processos disciplinares, eu fechei aquilo que mais diretamente tinha comigo através da elaboração daquilo que era necessário para saber como melhorar”.

“Como qualquer cidadão, espero que se possa vir a saber quem foi, porque foi e onde está o material”, sublinha o ministro.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. De facto estamos bem entregues; eu assalto um banco, roubo um milhão, se nunca for apanhado o assalto nunca existiu, o 44 usa a mesma táctica.
    Podia ter dito é que o material foi facturado mas nunca teria sido entregue, mas isso já são outros 500.

  2. Mais do mesmo!

    Ministro fraco. Militares em roda livre (como andam, aliás, desde há muitos anos)

    Com calma ainda se vai chegar à conclusão que afinal há é material a mais sem se saber ao certo quem o colocou lá. Já faltou mais….

RESPONDER

Portugal tem menos de 2 mil internados pela primeira vez desde outubro. Há mais 38 óbitos e 691 novos casos de covid-19

Portugal registou esta terça-feira 691 novos casos de infeção por covid-19 e mais 38 mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde, nas …

Marcelo falou com Presidente de Israel sobre vacinação e relações bilaterais

O Presidente da República falou por telefone com o seu homólogo israelita, Reuven Rivlin, sobre a pandemia de covid-19, o processo de vacinação, as relações bilaterais e a situação geopolítica global O Presidente da República, Marcelo …

Trump e Melania foram vacinados em privado em janeiro, antes de abandonarem a Casa Branca

Donald Trump e Melania Trump foram vacinados discretamente em janeiro antes de abandonarem a Casa Branca, admitiu um conselheiro do ex-Presidente dos EUA a vários meios de comunicação do país. Segundo o New York Times, a …

Chega propõe até 12 anos de prisão para violadores e castração química dos reincidentes

Esta segunda-feira, André Ventura, deputado único do Chega, entregou no Parlamento um projeto de lei que altera o Código Penal e endurece as penas pelo crime de violação. O deputado único do Chega, André Ventura, entregou …

Tribunal de Contas continua a encontrar lacunas na informação sobre custo das medidas de resposta à pandemia

No seu segundo relatório sobre a execução orçamental das medidas de resposta à covid-19, que cobre o período até 30 de setembro, o Tribunal de Contas vê melhorias no reporte de informação face ao que …

Biden propõe ajuda financeira para as famílias separadas na fronteira com o México

Os EUA poderão vir a pagar transportes, cuidados de saúde, serviços jurídicos e serviços de emprego e de educação aos migrantes que foram separados ao abrigo da estratégia de “tolerância zero” nas fronteiras, disse o …

2 de março de 2020. Confinamentos, recordes, três vagas e um "milagre" depois

O primeiro caso de covid-19 em Portugal foi registado há precisamente um ano. 365 dias depois, o medo esfumou-se, mas a incerteza permanece. A 2 de março de 2020 foram confirmados em Portugal os primeiros casos …

Ex-presidente do Peru forçou esterilizações ilegais para reduzir pobreza no país

O ex-Presidente peruano Alberto Fujimori e os seus ministros da Saúde Eduard Yong, Marino Costa e Alejandro Aguinaga foram acusados esta segunda-feira em tribunal de terem utilizado e forçado a esterilização de mulheres andinas para …

Há um mistério geológico na Sibéria a intrigar os cientistas da NASA

Umas ondulações visíveis na superfície de uma região siberiana próxima ao rio Markha, na Rússia, estão a intrigar os investigadores da NASA. Cientistas da NASA publicaram recentemente um conjunto de imagens no portal Earth Observatory de …

ONU revela provas de envolvimento do Governo russo no envenenamento de Navalny

Especialistas da ONU que investigaram o envenenamento do líder da oposição russa, Alexei Navalny, disseram esta segunda-feira que as provas apontam para um "provável envolvimento" de altos funcionários do Estado russo. As duas investigadoras, que durante …