Ministro não sabe se alguém entrou em Tancos (pode nem ter havido furto)

Tiago Petinga / Lusa

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes

O ministro da Defesa assegura que o estado das principais instalações militares é “razoável” e que não existem “situações de fragilidade semelhantes” às de Tancos, mas admite que foram detetados casos em que se justificou reforçar a segurança.

Em entrevista ao DN, publicada este domingo, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, revela alguns pormenores do relatório que pediu no final de junho à Inspeção-Geral de Defesa Nacional sobre o estado das principais instalações militares, depois do furto nos Paióis Nacionais de Tancos.

E “é razoável“, conclui o ministro

Não foram verificadas situações de fragilidade semelhantes a Tancos. Foram verificadas situações em que se justificava reforçar a segurança”, refere o ministro.

Azeredo Lopes indica ainda que a Inspeção-Geral detetou a necessidade de implementar melhorias em “três dimensões fundamentais”, nomeadamente a concentração de material, o reforço dos mecanismos de vigilância e, na parte dos sistemas de informação e de gestão de informação, a criação de um sistema comum aos três ramos.

Isto significa, sublinha, “a necessidade de uma vez por todas de haver um conhecimento instantâneo, atualizado, de tudo o que está nos paióis para se evitar no futuro o que ocorreu em Tancos”.

Em junho, o Exército revelou a violação dos perímetros de segurança dos Paióis Nacionais de Tancos e o arrombamento de dois ‘paiolins’, tendo desaparecido granadas de mão ofensivas e munições de calibre nove milímetros.

Entre o material de guerra furtado estavam “granadas foguete anticarro”, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos, segundo a informação divulgada pelo Exército.

Azeredo Lopes deixa ainda críticas ao aproveitamento feito do furto de material em Tancos, considerando que “foi aumentado por razões obviamente políticas”.

Reiterando que mantém “plenamente” a confiança nas chefias militares, o ministro da Defesa lembra também que o furto em Tancos está ainda a ser investigado e que há o plano da investigação criminal e o plano da investigação levada a cabo pelo Exército.

“Sei que há um furo na cerca e que foi declarado o desaparecimento de material militar. Eu não sou investigador criminal. Não quero saber se foi A ou B, se foi de dentro ou de fora, o que sei é que material que estava à guarda do Exército desapareceu. Eu quero saber por todas as razões”, diz o ministro.

“Porque, se se verificar que houve cumplicidades internas é muito preocupante, quero saber como cidadão e como ministro da Defesa Nacional como é que isto pôde acontecer, mas eu não sou investigador e não tenho sequer o direito de me intrometer na investigação que estava a cargo da PJ militar e que foi depois assumida pela PJ”, explica.

“No limite”, acrescenta, “pode não ter havido furto nenhum”, porque “não existe prova visual, nem testemunhal, nem confissão. Por absurdo podemos admitir que o material já não existisse e que tivesse sido anunciado… e isso não pode acontecer”, diz Azeredo Lopes.

Questionado se está convencido de que houve furto de material, Azeredo Lopes responde: “Dou-lhe a minha palavra de honra: não estou nem deixo de estar convencido, só sei que desapareceu. Tenho de presumir, por bom senso e porque não sou dado a teorias da conspiração, que desapareceu antes de 28 de junho, dia em que tomei conhecimento”, diz.

Relativamente à insistência do Presidente da República sobre a necessidade de levar até ao fim a averiguação das responsabilidades, Azeredo Lopes diz que “nem há como não acompanhar” essa preocupação.

“Era bom, mas não entendam isto como uma pressão à investigação, que pudéssemos ir fechando ciclos, ou seja, o Exército está a fechar o seu através da instauração dos processos disciplinares, eu fechei aquilo que mais diretamente tinha comigo através da elaboração daquilo que era necessário para saber como melhorar”.

“Como qualquer cidadão, espero que se possa vir a saber quem foi, porque foi e onde está o material”, sublinha o ministro.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. De facto estamos bem entregues; eu assalto um banco, roubo um milhão, se nunca for apanhado o assalto nunca existiu, o 44 usa a mesma táctica.
    Podia ter dito é que o material foi facturado mas nunca teria sido entregue, mas isso já são outros 500.

  2. Mais do mesmo!

    Ministro fraco. Militares em roda livre (como andam, aliás, desde há muitos anos)

    Com calma ainda se vai chegar à conclusão que afinal há é material a mais sem se saber ao certo quem o colocou lá. Já faltou mais….

RESPONDER

"Capa de invisibilidade". Novo material permite ocultar objetos

A empresa canadiana fabricante de uniformes de camuflagem para militares, HyperStealth Biotechnology, anunciou quatro pedidos de patente, todos relacionados com o Quantum Stealth. O material também é chamado de "capa de invisibilidade". O inventor dos quatro …

Jovem português quer ser o primeiro a dar a volta ao mundo numa moto de 125cc

O jovem português com o recorde de primeiro do mundo a percorrer a América do Sul numa moto de 125 centímetros cúbicos (cc) anunciou hoje que em 2020 tentará registar a mais longa volta ao …

Um grupo de manifestantes cantou o Baby Shark para acalmar um bebé durante um protesto no Líbano

No meio de uma das maiores manifestações do Líbano dos últimos cinco anos, uma mãe avisou os participantes do protesto que o seu filho estava assustado. A reação do grupo de manifestantes foi inesperada. Robin, de …

Tame Impala preparam lançamento de novo álbum

Ao que tudo indica, os Tame Impala preparam-se para lançar um novo álbum ainda este ano. As suspeitas surgem após a banda ter partilhado uma espécie de teaser no seu site oficial. Os Tame Impala divulgaram …

União Europeia favorável a nova extensão do Brexit mas ainda sem resposta para Londres

Os 27 Estados-membros da União Europeia são favoráveis a um novo adiamento do ‘Brexit’, solicitado pelo governo britânico, mas ainda discutem a sua extensão e as conversações prosseguirão no final da semana, revelaram fontes europeias. O …

A maior família do Reino Unido vai crescer. Vem aí o 22º filho

A família Radford, conhecida como a maior do Reino Unido, anunciou através de um vídeo no YouTube que estão à espera do 22.º filho. A família Radford vive em Morecambe, Inglaterra, e anunciou através do seu …

Cientistas testam medicamento que pode revelar-se mais eficaz para tratar gripe

Cientistas testaram em animais um novo medicamento que pode revelar-se mais eficaz no tratamento da gripe, ao induzir mutações genéticas nos vírus que causam a infeção impedindo a sua replicação e a sua atividade, foi …

PSD vai indicar Fernando Negrão para vice-presidente da Assembleia da República

O PSD vai indicar o líder parlamentar cessante Fernando Negrão para vice-presidente da Assembleia da República, disse hoje à Lusa fonte oficial da bancada social-democrata. A mesma fonte indicou que o PSD irá ainda propor como …

Funcionário da Casa Branca que publicou artigo anónimo sobre Trump vai lançar livro "explosivo"

O alto funcionário da Casa Branca que em setembro do ano passado escreveu de forma anónima um artigo de opinião no The New York Times vai lançar um livro no próximo mês. De acordo com o …

Grupos secretos do Facebook prometem falsas curas para cancro e autismo

Uma investigação do Business Insider expôs casos de contas e grupos secretos no Facebook que passam publicitam "medicamentos" e "tratamentos" alternativos que custam milhares de dólares mas que, na verdade, não passam de fraudes. Segundo noticiou …