Governo trocou metade do comando da Protecção Civil em cima da época de incêndios

www.Bombeiros.pt / Facebook

A estrutura de liderança da Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) alterou-se quase por completo, desde que o Governo entrou em funções, com a substituição de sete dos oito membros. E, em cima da época de incêndios, houve também muitas mudanças na estrutura de comando operacional.

O Público apurou que, desde que entrou em funções, o Governo mudou sete dos oito membros da estrutura de topo da ANPC, entre os quais “os três principais, dois adjuntos e três comandantes de agrupamentos (CADIS)”. Só “Miguel Cruz, CADIS do Sul, se manteve da anterior estrutura”, aponta o diário.

“O coronel Joaquim Leitão, presidente da ANPC, nomeou o Comandante Nacional Operacional (CONAC), Rui Esteves, que entrou em funções em Janeiro em conjunto com o 2.º Comandante Nacional, Albino Tavares”, refere o jornal.

Mudaram também 20 dos 36 comandantes distritais (CODIS) e “a dois meses dos incêndios houve mexidas em 17 desses cargos, com a entrada de caras novas ou com a mudança de posição de alguns membros da ANPC mais experientes”, nota ainda.

Destas 17 alterações, 13 são novas nomeações, das quais nove são caras novas na estrutura. A maioria destes elementos novos têm “carreira em bombeiros” ou formação em Protecção Civil, mas há algumas escolhas que estão a receber críticas, como a da engenheira florestal Marinha Isabel Esteves que pertenceu à Assembleia Municipal de Terras de Bouro pelo PS ou de Marco Domingues, 2º CODIS de Viana do Castelo, que tem uma licenciatura em Desporto e Lazer.

O Público aponta também que as “nomeações nos CODIS em cima da época de incêndios não são raras” e que são até “uma tradição”, tendo-se também verificado com o anterior Governo de Passos Coelho.

Debate quinzenal (quase) sereno

O grande incêndio de Pedrógão Grande foi o tema central do debate quinzenal desta quarta-feira, com o primeiro-ministro e o presidente do PSD a concordarem num mecanismo para indemnizar as vítimas.

Depois de mais de uma hora de debate, em que houve mais consensos do que críticas, chegou a vez de Assunção Cristas falar e de fazer as críticas mais contundentes, acusando António Costa de “não pôr ordem em casa” e o Governo por várias entidades darem respostas diferentes sobre o que correu mal no combate aos fogos que fizeram 64 mortos e mais de 250 feridos.

A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, levantou a questão das falhas de comunicações do SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), que poderão ter dificultado o trabalho dos bombeiros, e defendeu a sua “nacionalização”, dado que a concessionária “falha sempre”.

Na resposta, o primeiro-ministro anunciou que o Ministério da Administração Interna lançou a compra, por ajuste directo, de antenas satélite para casos de falhas no sistema de comunicações de emergência.

“O Governo está disponível para acudir à floresta portuguesa como se fosse um banco a precisar de resgate?”, foi a pergunta em tom de crítica lançada pelo secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa.

Passos diz que “culpa não é do eucalipto”

Já durante um jantar-conferência, numa iniciativa da Associação para a promoção da Gastronomia e Vinhos, Produtos Regionais e Biodiversidade (AGAVI), em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, Passos Coelho afirmou que o problema dos incêndios não se vai resolver com uma reforma florestal que acabe com o eucalipto.

“Eu, que até não sou particularmente defensor do eucalipto, acho que não faz sentido estar a demonizar o eucalipto porque nós sabemos que uma grande parte do território não tem eucalipto e que o eucalipto é o que menos arde, portanto, o problema não é do eucalipto”, afirmou o presidente do PSD.

“Ele [António Costa] tem um acordo com o Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), portanto, não pode ter eucaliptos porque o PEV é contra os eucaliptos e não há geringonça sem PEV, logo acabaram os eucaliptos, é simples, é disto que se trata, o resto são partes gagas”, vincou também Passos Coelho.

O líder social-democrata lembrou que o eucalipto “ainda vai dando algum rendimento” aos proprietários dos territórios que “não tem comparação” com outras espécies, pelo que o Estado Português não pode dizer a essas pessoas para investirem em coisas que dão prejuízo.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Para a estrutura de comando da ANPC é obrigatório ser licenciado, para secretário de estado da protecção civil basta o 12° ano. Modernices. Pobre país.

  2. claro .. faz todo o sentido .. há que colocar os amigos nos sítios certos. Os favores pagam-se quando se estáno poder e o PS fez precisamente isso.

  3. o que faz sentido é ter comandantes de bombeiros a comandar na sua zona de influencia, porque conhecem o terreno.
    não são os de fora.
    e se os eucaliptos são tao bons, porque é que a vizinha ESPANHA OS NAO TEM???
    AINDA POR CIMA CONTROLAM OS PRINCIPAIS RIOS, QUE É DA AGUA QUE VIVE O EUCALIPTO.
    O PAIS PRECISA DE SER BEM ADMNISTRADO A NIVEIS DA AGRICULTURA.

  4. Os resultados do desgoverno socialista é e sempre será o mesmo. A história, infelizmente prova isso mesmo. Substituir comandos em abril é de loucos, e de quem não sabe nada de nada. É o jobs for the boys!!! Toma lá Zé Povinho. Aguenta…

  5. Era necessário distribuir tachos pelos amigos o resto pouco ou nada importa e o resultado está à prova embora haja quem teime em não querer ver!

  6. o que mais há neste país é incompetentes a gerir o que desconhecem profundamente. E quando as pessoas são selecionadas pela cor política e não pelo mérito, coisas destas acontecem.

  7. caso os partidos do Governo tenham votos em Portugal ficará a sensação que todos os portugueses são cúmplices nos incêndios, a luta pelas autárquicas está demasiado quente.

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …