Governo abre a porta a pagamento de lay-off a 100% nos setores mais afetados até dezembro

Manuel de Almeida / Lusa

O Executivo de António Costa está a estudar o prolongamento do regime de lay-off simplificado até dezembro. Nos setores mais afetados pela crise provocada pela pandemia, o pagamento dos salários deverá ser garantido a 100%.

O Jornal Económico avança que o Governo está a estudar o prolongamento de um “novo” regime de lay-off simplificado até dezembro para os setores mais atingidos pela crise provocada pela pandemia de covid-19. Entre estes setores estão o turismo e restauração, comércio, ginásios ou organização de eventos.

De acordo com o mesmo jornal, nestes setores, o Governo abre a porta à garantia de 100% dos salários dos trabalhadores.

Em cima da mesa também está a possibilidade de os restantes setores com uma recuperação mais rápida terem acesso a um regime de lay-off com novos moldes, medidas diferenciadas por setor e mediante indicadores objetivos de retoma de atividade.

Segundo o Jornal Económico, o modelo pode garantir uma maior retribuição aos trabalhadores, com as empresas a comparticiparem com um valor superior aos 30% e deixarem de ter a isenção total da TSU, que passará a ser paga parcialmente. Em estudo está também a redução do encargo da Segurança Social com a compensação retributiva e o aumento da fatia paga pelo empregador.

Além disso, o Governo também está a estudar medidas,como um incentivo financeiro para as empresas que não recorram ao lay-off, através de uma comparticipação financeira superior ao salário mínimo que está previsto no atual regime simplificado para apoio à normalização da atividade da empresa – 635 euros por trabalhador, equivalente à retribuição mínima mensal garantida multiplicada pelo número de trabalhadores.

O Governo quer ainda suspender o pagamento por conta exigido às empresas em sede de IRC, de modo a evitar que paguem um imposto com base em lucros do ano anterior.

Uma fonte do Governo, ouvida pelo Jornal Económico, adiantou que o novo modelo de regime de lay-off ainda está a ser desenhado e a solução ainda não foi fechada.

Na quarta-feira, o primeiro-ministro António Costa anunciou que o lay-off simplificado vai continuar, mas evoluir, para que não seja penalizador para os trabalhadores nem um incentivo negativo para as empresas. O líder do executivo destacou que um dos pilares do programa de estabilização económico e social está relacionado com a manutenção dos postos de trabalho.

No fim de semana passado, já o Expresso avançava que o regime de lay-off deverá manter-se até ao final do ano, mas deverá ser diferente do regime simplificado atual.

O PSD defende o prolongamento do regime de lay-off simplificado até ao final do ano. Já Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, é contra a “normalização” deste apoio. Também Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, aconselhou o Governo a prolongar o regime se tiver margem financeira para isso.

ZAP //

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Acho q sim, estão em casa sem fazer nada a ganhar o salário todo e os burros q tiveram e têm q trabalhar durante a pandemia não têm compensação nenhuma, nem alívio das contribuições…

RESPONDER

Guerra aberta pelo ouro da Venezuela em Inglaterra. Maduro ordena investigação ao "roubo"

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela, ordenou uma "investigação penal" ao que denomina "o roubo de ouro venezuelano" que está depositado no Banco Central de Inglaterra. Esta é a resposta do governante depois de o Tribunal …

Hospitais da Papua-Nova Guiné recusam atender grávidas. Médico aconselha mulheres a evitar gravidez

Um obstetra da Papua-Nova Guiné aconselhou as mulheres daquele país a não engravidarem nos próximos dois anos, revelando que o medo de transmissão do coronavírus tem levado os hospitais a recusarem atender grávidas. Segundo noticiou esta …

China vai encerrar gradualmente todos os mercados de aves vivas

A China vai fechar gradualmente todos os mercados onde aves vivas são vendidas, visando reduzir os riscos para a saúde pública, informou hoje a imprensa oficial. Chen Xu, alto funcionário da Administração Estatal de Regulação do …

Em 33 anos, Amazónia perdeu 72,4 milhões de hectares de floresta. O equivalente ao território do Chile

A floresta amazónica, presente em nove países da América do Sul, perdeu 72,4 milhões de hectares de cobertura vegetal entre 1985 e 2018, uma área equivalente ao território do Chile, segundo dados divulgados na quinta-feira …

Decisão do Reino Unido é "absurda", "errada" e "desapontante"

O chefe da diplomacia portuguesa considerou hoje a decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais” como um “absurdo”, “errada” e que causa “muito desapontamento”, trazendo ainda graves consequências económicas e …

"Peixe racista". Estátua da Pequena Sereia novamente vandalizada

A icónica estátua da "Pequena Sereia" em Copenhaga, um dos monumentos mais famosos da Dinamarca, foi novamente vandalizada, ao ter sido pintada com uma frase antirracismo, divulgou hoje a polícia dinamarquesa. “A Pequena Sereia foi vandalizada …

Itália admite segunda vaga e defende restrições a viagens

Itália abriu esta terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições. O ministro da Saúde de Itália afirmou, esta quinta-feira, não poder afastar uma segunda …

Menos férias e mais dias de aulas para quem não tem exames no próximo ano letivo

O próximo ano letivo vai ter menos dias de férias e mais dias de aulas para os alunos que não tenham exames. Os alunos terão aulas presenciais e aulas à distância. O ministro da Educação, Tiago …

FC Porto revela camisola para a próxima época (e as opiniões dividem-se)

O FC Porto revelou a camisola oficial do clube para a próxima temporada. Pelas redes sociais, as opiniões dividem-se, havendo quem não esteja satisfeito com a mudança. Os adeptos portistas acordaram esta sexta-feira com a imagem …

Veto da Índia ao TikTok pode custar mais de 5 mil milhões de euros à ByteDance

O executivo indiano anunciou o bloqueio de 59 aplicações móveis chinesas, assegurando que as aplicações roubam dados dos utilizadores e partilham informações com o governo chinês. O grupo chinês de tecnologia ByteDance, que desenvolveu o TikTok, …