Governo recua e deixa cair proposta sobre perda de férias em caso de baixa prolongada

O Governo recuou e deixou cair a proposta apresentada aos sindicatos que previa que os funcionários públicos mais antigos que estivessem de baixa prolongada perdessem dias de férias, disse esta quarta-feira o líder da Fesap, José Abraão.

O dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) falava à saída de uma reunião com os secretários de Estado do Orçamento, João Leão, e da Administração Pública, José Couto, em Lisboa, sobre as matérias que poderão integrar o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

“A proposta caiu, já não vai haver a penalização dos trabalhadores que estão no regime convergente [de proteção social] com a perda das férias”, afirmou José Abraão.

Em causa está uma proposta do Governo apresentada na reunião de segunda-feira aos sindicatos que previa que os funcionários públicos admitidos antes de 2006 e que estivessem de baixa por doença superior a 30 dias pudessem vir a perder dias de férias.

A medida fazia parte da proposta de articulado com as matérias orçamentais do próximo ano para a função pública que está em negociação com as estruturas sindicais e que foi esta quarta-feira atualizada.

A proposta do Governo alterava o artigo 14.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (LTFP), relativa aos trabalhadores abrangidos pelo regime de proteção social convergente, ou seja, aos funcionários mais antigos, que entraram na administração pública até 31 de dezembro de 2005 e que descontam para a Caixa Geral de Aposentações (CGA).

A partir de 2006, os vínculos do Estado sofreram várias alterações, mas os trabalhadores mais antigos mantiveram algumas normas, nomeadamente a manutenção do direito a férias e a não suspensão do contrato de trabalho quando estão de baixa prolongada por mais de 30 dias.

A proposta do Governo

O Governo tinha proposto que os funcionários do regime convergente passassem então a ter as mesmas regras na eventualidade na doença do que os que entraram mais tarde (a partir de 2006) e que descontam para a Segurança Social.

Na prática, significaria que os trabalhadores mais antigos iriam passar a perder dias de férias quando estivessem de baixa por mais de 30 dias, uma vez que o seu contrato de trabalho é suspenso.

Segundo José Abraão, um acórdão do Supremo Tribunal Administrativo de setembro de 2017 “considerou ilegal a suspensão do vínculo e consequente repercussão sobre as férias que alguns serviços tinham aplicado aos trabalhadores do regime convergente, que faltaram por motivo de doença por mais de 30 dias”.

O acórdão, segundo o sindicalista, concluía assim que as faltas por doença daqueles trabalhadores “não determinavam quaisquer efeitos sobre as férias”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …

Farmácias em risco de não ter vacinas da gripe para tantos pedidos

As farmácias privadas receiam não ter doses suficientes de vacina contra a gripe para dar resposta a todos os pedidos. As encomendas da vacina já sãocinco vezes mais do que as registadas em 2019. A preocupação …

É responsabilidade a mais. Médicos não querem integrar Brigadas Rápidas dos lares

Está a ser difícil contratar médicos para as Brigadas de Intervenção Rápida dos lares que foram anunciadas pelo Governo. Mesmo a receberem acima da tabela de pagamentos, os médicos receiam a falta de condições e …