Nota artística: E agora, o Famalicão-Benfica em versão musical

Senhoras e senhores, bem-vindos à CoronaLiga 2020/2021. Não é ao mambo número cinco. O Lou Bega não sabe o que está a dizer. Ou a cantar.

David Lubega. Talvez muita gente não saiba que nasceu em Munique. É alemão. Uma nacionalidade que viria a dar jeito ao filho de Deus, em Famalicão.

A cidade e o Estádio Municipal 22 de Junho acolheram o jogo inaugural do campeonato. Varandas bem ocupadas. Quer as que rodeiam aquele recinto, quer o médico de Alvalade, que por esta altura tem muito para cuidar.

No relvado lá estavam as equipas, prontas: a da casa estava algo irreconhecível em relação à temporada passada, já que quase metade dos jogadores morava noutros lados, há poucos meses; o número quatro reinava na visitante – quatro reforços e quatro alterações em relação à tragédia grega. Ah, e quatro mais zero no ataque: cerca de 40 milhões de euros gastos só nos dois homens da frente.

A fase do domínio sérvio na Luz ficou lá atrás. Agora há mais toque germânico, com três futebolistas nascidos na Alemanha no 11 inicial. Um deles destacou-se neste encontro.

Como se supunha, o Benfica atacou mais, desde cedo, e o Famalicão defendia mais mas bem. Pouco perigo criado no primeiro quarto de hora, Gabriel e Taarabt perdiam a bola a meio-campo e, no banco, gritava um Jesus desesperado. Gritos que Luca ignorou. E marcou.

Dois minutos depois, Everton também percebeu como se marcava. Darwin quase fez o mesmo logo a seguir. As caras novas mostravam-se. Numa primeira parte a “jogar o triplo” de algumas primeiras partes da temporada transata, Grimaldo colocou um 3 no marcador. E Zlobin, que ainda há um mês estava na equipa adversária, ficou lá encostado à rede. Desolado, triste. Não chores, Zlobin. Ainda és um rapaz; e os rapazes não choram.

3-0 ao intervalo e podiam ser mais. Podiam e queriam. No segundo tempo o filho de Deus queria mais ataque, mais pressão, mais golos. Queria “arrasar”!

Rafa fez-lhe a vontade. Tal como em solo helénico, o internacional português marcou. E Luca bisou, na sua estreia a titular. Marcar dois golos no seu primeiro jogo pelo Benfica no campeonato? Só dois futebolistas fizeram o mesmo nos últimos 20 anos: Gonçalo Ramos e Karadas. Quem?

O Karadas. Um norueguês alto que esteve no Benfica durante um ano. E foi campeão. Não se lembram do Karadas? Azar.

Luca bisou e foi curioso ver os festejos claramente efusivos de Rui Costa. O diretor terá ficado contente, não porque o avançado é o herdeiro da sua camisola 10, mas sim porque o antigo médio foi peça essencial para trazer o jogador da Alemanha para Portugal.

Ah, e Luca esteve precisamente ao serviço da Alemanha, da seleção, há pouco tempo, mas não jogou. Por isso, no final da partida, o filho de Deus comentou que o avançado esteve de férias quando se juntou à comitiva do seu país. As férias fizeram-lhe bem.

A equipa da casa ainda amenizou a goleada, por Guga, mas isso não impediu o domínio encarnado nesta jornada inaugural. Um domínio transformado em vários golos, ao contrário do que aconteceu em parte do encontro com o PAOK. Como anunciou o filho de Deus, em versão brasileira: “Hoje fizemos cinco remates no golo e fizemos sete golos”.

Lá está, sete golos. O Lou Bega estava mesmo enganado no seu mambo.

NMT, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …

Bebés alimentados por biberões ingerem milhões de micro plásticos por dia, sugere estudo

Um novo estudo vem agora alertar para os perigos da puericultura moderna. De acordo com a pesquisa, os bebés que são alimentados com biberões engolem milhões de partículas de micro plástico por dia. Normalmente os biberões …

Cortaram a água nas instalações da Tesla na Alemanha. Havia contas por pagar

A empresa pública alemã WSE cortou (e já restabeleceu) o fornecimento de água nas instalações da Tesla em Grünheide, onde nascerá a primeira gigafactory europeia da empresa, devido à falta de pagamento das contas. Na semana …

Trabalhadores remotos estão a encher pequenas cidades (que agora têm os problemas das grandes)

A pandemia de covid-19 está a levar a um novo fenómeno: a migração para "comunidades de passagem" - pequenas cidades próximas a grandes terras e estações de esqui - à medida que mais pessoas começam …