Ex-diretor da PJ Militar diz que temeu pela segurança nacional no caso Tancos

Paulo Novais / Lusa

Militares à entrada dos Paióis Nacionais do Polígono Militar de Tancos

O coronel Luís Vieira insiste em dizer que não teve “qualquer intenção de encobrir os autores, nem qualquer pacto nesse sentido”.

O coronel Luís Vieira, aos quais são imputados crimes como associação criminosa e tráfico de armas, esteve cerca de cinco horas a ser interrogado na fase de instrução do processo de furto e recuperação das armas dos paióis da base militar de Tancos, no Tribunal de Monsanto.

No final, o seu advogado disse que a principal preocupação de Luís Vieira sempre foi encontrar as armas, “dado que estava em causa a segurança nacional, porque se tratava de armamento de guerra, e o nome de Portugal e que agiu como um comandante”.

“Tem de ser ter em conta o estado emocional de um comandante, de alguém que tem de tomar decisões. Ele é um militar e a decisão que tomou foi de recuperar o material. Quando chegou ao local [Chamusca] e confirmou que era o material furtado em Tancos comunicou ao Ministério Público”, disse o advogado Rui Baleizão.

Luís Vieira insiste em dizer que não teve “qualquer intenção de encobrir os autores, nem qualquer pacto nesse sentido”. Segundo o seu advogado, o ex-diretor da PJM, que na investigação tinha a função de colaborar com a PJ, teve conhecimento da existência de um informador da Polícia Judiciária, mas nunca acreditou nele.

“Há um momento, muito próximo da recuperação das armas que lhe é colocada a situação de que eventualmente pode haver alguém que põe as armas num determinado local, mas ele sempre duvidou até ao último momento que o material aparecesse“, afirmou o defensor, que ressalvou que sempre houve reuniões entre a PJM e o Ministério Público.

Sobre a partilha de informações com a tutela [Ministério da Defesa] Luís Vieira teve dois contactos com o então ministro Azeredo Lopes, também arguido no processo, no último dos quais lhe entregou um memorando dizendo que discordava da investigação conjunta do roubo e da alegada “encenação” da recuperação das armas.

O advogado mostrou-se ainda convicto de que Luís Vieira não será pronunciado pelos crimes de que é acusado.

“Vai ser provado que a associação criminosa e tráfico de armas são crimes que não se lhe podem ser imputados”, frisou Rui Baleizão.

O Ministério Público acusou o coronel de associação criminosa, tráfico e mediação de armas, falsificação ou contrafação de documentos, denegação de justiça e prevaricação e favorecimento pessoal praticado por funcionário. Luís Vieira é acusado em coautoria com outros arguidos da PJM, da GNR e com Azeredo Lopes.

Para o MP, a recuperação do material militar foi conseguida através de um “verdadeiro pacto de silêncio entre todos os arguidos da PJM [incluindo Luis Vieira] da GNR e Azeredo Lopes”, tendo para isso forjado provas e documentos.

A acusação alega que, com a conivência de Luís Vieira e outros elementos da PJM, entre os quais o arguido Vasco Brazão, vários militares da GNR, “com autorização hierárquica, fizeram diligências junto de suspeito do furto e negociaram a entrega do material militar com a promessa de “impunidade criminal”.

O caso de Tancos envolve 23 acusados, incluindo Azeredo Lopes, ex-ministro da defesa do primeiro Governo de António Costa e que se demitiu na sequência do caso, o ex-porta-voz da instituição militar Vasco Brazão e vários militares da GNR, que estão acusados de crimes que vão desde terrorismo, associação criminosa, denegação de justiça e prevaricação até falsificação de documentos, tráfico de influência, abuso de poder, recetação e detenção de arma proibida.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Emigrantes querem votar por correio nas presidenciais

O movimento de emigrantes "Também somos portugueses" pede a alteração urgente das leis eleitorais para que possam votar por correio, no mesmo dia em que Marcelo Rebelo de Sousa, atual Presidente da República, anuncia a …

"Um objectivo histórico". Efacec leva luz a todo o Ruanda

A Efacec instalou três sub-estações de alta tensão no Ruanda, contribuindo atingir "um objetivo histórico da República do Ruanda" com "a electrificação total do país em 2023". O projecto da empresa portuguesa está orçado em …

Portugal com mais 85 mortes e 3919 casos de covid-19. Número de internados nunca foi tão alto

Portugal regista, esta terça-feira, mais 85 mortes e 3919 novos casos de infeção por covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3919 novos casos, 2284 …

Vésperas de feriado sem confinamento obrigatório

Nos dias 30 de novembro e 07 de dezembro, que antecedem os dois feriados, não serão aplicadas as restrições de circulação definidas para os fins de semana e feriados, embora as escolas interrompam a atividade …

Eduardo Catroga: Foi o PS quem ultrapassou as "linhas vermelhas" após aceitar apoio do PCP e do BE

Eduardo Catroga, antigo ministro das Finanças de Cavaco Silva, defende que foi o PS quem ultrapassou as "linhas vermelhas" após aceitar o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, partidos "anti-tudo". O ex-ministro das Finanças …

Ministra garante que situação nas prisões está "controlada". PSD diz que Governo está "sem rei nem roque"

Esta segunda-feira, a ministra da Justiça Francisca Van Dunem esteve reunida com Marcelo Rebelo de Sousa, em Belém, num encontro em que participou também a ministra da Saúde, Marta Temido. À saída de uma audiência com …

Autarcas do Norte aceitam novas restrições, mas falam em falta de preparação e coerência por parte do Governo

A maioria dos autarcas do distrito do Porto concorda que era preciso apertar mais as restrições na região norte. Os líderes da câmaras aceitam as decisões com medo da alternativa, mas deixam algumas críticas à …

Porto é o único distrito do Norte onde novos casos diminuíram. Bragança, Viana e Vila Real em crescimento

De acordo com um relatório da Administração Regional de Saúde do Norte, o distrito do Porto registou, entre a segunda e terceira semana de novembro, uma diminuição de novos casos de infeção por covid-19. É …

Astrónomos detetaram milhões de sinais de uma civilização inteligente. Mas éramos nós

Uma equipa de astrónomos da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, detetou "assinaturas de tecnologia", ou emissões de rádio de baixa frequência, que podem apontar para uma possível tecnologia alienígena. No entanto, uma análise posterior …

Mundo de olhos postos na vacinação. Alemanha segue na dianteira, Pfizer prepara vacina em pó

O mundo continua de olhos postos numa vacina contra a covid-19, que carece ainda de aprovação final para ser comercializada, e a Alemanha segue na dianteira, estando já com o plano de vacinação praticamente fechado. De …