Depois do luto, Marcelo exige explicações. Costa atira a “batata quente” à ministra

Paulo Cunha / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conforta o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves. à esquerda, o secretário de Estado da Administração Interna,  Jorge Gomes

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conforta o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves. à esquerda, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes

“É tempo de apurar tudo sem limites nem medos.” É Marcelo Rebelo de Sousa quem o diz sobre o trágico incêndio de Pedrógão Grande que matou 64 pessoas. E António Costa “chuta a bola” para a ministra da Administração Interna pedindo o “cabal esclarecimento” sobre o que falhou.

Após ter começado por pedir união e solidariedade no momento da tragédia em Pedrógão Grande, onde um incêndio descontrolado e de grandes dimensões levou à morte de 64 pessoas, o Presidente da República diz agora que é preciso apurar tudo o que se passou, “mesmo tudo”, “no plano técnico” e “no institucional”.

Num artigo escrito para o jornal Expresso, Marcelo Rebelo de Sousa refere que é preciso “terminar a árdua missão dos últimos dias, acelerar a reconstrução, e apurar tudo, mas mesmo tudo, o que houver a apurar”.

Considerando que vêm aí “meses muito exigentes”, o Presidente realça a importância de haver “iniciativas e convergências entre partidos políticos nestas três frentes de intervenção”, manifestando-se disponível para as apoiar.

O chefe de Estado nota que “tudo fez para criar condições aos operacionais de combate ao fogo em clima de unidade nacional”. Mas agora, a sua “missão” é “garantir que todas as interrogações sobre factos e responsabilidades tenham uma resposta rápida e exaustiva“, escreve também.

No início deste texto, Marcelo recorda que, na sua comunicação ao país, no domingo à noite, afirmou que se estava a viver “uma tragédia quase sem precedente na história do Portugal democrático”, que provocava “uma dor sem medida”.

“Disse, também, que havia interrogações e sentimentos, que não deveríamos esquecer, mas que a hora era ainda de combate contra os fogos, determinando mobilização total perante essa prioridade”, prossegue.

Nesta altura, quando “a fase do combate parece estar a chegar ao seu termo” e “os passos para a reconstrução já começaram”, “é tempo de, sem limites ou medos, se apurar o que, estrutural ou conjunturalmente, possa ter causado ou influenciado, quer o sucedido, quer a resposta dada”, nota o Presidente.

Marcelo frisa que é preciso apurar explicações “no plano técnico” e “no institucional” e “num prazo que não esvazie o significado do apuramento, nem acabe por retirar utilidade às suas conclusões”.

António Costa pede “cabal esclarecimento” à ministra

No Governo, o primeiro-ministro assinou um despacho onde ordena à ministra da Administração Interna que providencie um “cabal esclarecimento” sobre as falhas ocorridas na rede do Sistema de Comunicações, o SIRESP.

Este despacho de António Costa surge na sequência da resposta da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) ao primeiro-ministro, assumindo as falhas na rede SIRESP, entre sábado e terça-feira, no teatro de operações de combate ao incêndio de Pedrógão Grande, mas alegando que foram supridas por “comunicações de redundância”.

O primeiro-ministro enviou o despacho também para a Procuradoria-Geral da República, “com conhecimento à ministra da Justiça”, notando que pode ser um dado “relevante” para o inquérito que está a decorrer.

Governo recusa suspender concurso de ordenamento de eucaliptos

Entretanto, o ministro da Agricultura recusa suspender o concurso de nove milhões de euros, em fundos comunitários, para ordenamento de eucaliptos, assegurando que o objectivo é ordenar a plantação desta espécie e não permitir mais área plantada.

Luís Capoulas Santos nota que a intenção é “travar a expansão da área do eucalipto, mas em menos área produzir mais matéria-prima para uma indústria que representa dois mil milhões de euros de exportações”.

O governante responde assim ao pedido do Bloco de Esquerda (BE) de suspensão do concurso de rearborização de eucaliptos.

De acordo com o ministro da Agricultura, os apoios dados à floresta, sem discriminar espécies florestais, visam “ordenar a floresta portuguesa”, geri-la profissionalmente e garantir que seja certificada “para que se reduza o risco de incêndios” e “para que aumente a sua rentabilidade económica”.

“Aquilo que está a arder é floresta desordenada”, advoga ainda o governante, assegurando que todos os apoios à florestação obrigam a que os promotores respeitem “ordenamento florestal, gestão florestal, certificação florestal e faixas entre as plantações”.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Cá está novamente a manipulação de títulos… “Costa atira a “batata quente” à ministra” Mas a quem é que o Primeiro Ministro podia pedir um ““cabal esclarecimento” sobre as falhas ocorridas na rede do Sistema de Comunicações, o SIRESP.”? A mim? Concerteza que teria que ser à Ministra da Administração Interna! E isso é atirar “a “batata quente””? Deixem de tentar minar o Governo! Não tentem (inventem) ver coisas onde elas não existem! Incomoda este Governo à imprensa? Pois claro! Mas não têm nada a fazer… Para além do vosso trabalho que devia ser idóneo. Devia…

    Ao senhor António Silva: “ELA É A CULPADA DISTO TUDO !”. Você é parvo!? Então a Ministra é culpada da incompetência (para não dizer algo mais) do que se passou? A única? Onde esteve ao longo destes anos (partindo o principio que é maior de idade)? Não viu a actuação dos consecutivos Governos que passaram? E nem me refiro a cores! TODOS são culpados! Demissão? Deviam ser TODOS PRESOS!!! TODOS!!! Siga o exemplo de muita gente. Não faça comentários… Siga o exemplo do Relvas…

  2. O melhor mesmo a fazer são os que governam e apoiam mais os que estão na oposição se considerarem todos incompetentes e irresponsáveis logo a começar por aqueles que fazem parte do teatro da AR e sentarem-se todos à volta de uma mesa com gente entendida na matéria « cuidado que há por aí muitos doutores e engenheiros de aviário e que muito discutem mas nada percebem sobre o campo de aves de rapina!» e porem em prática o mais rapidamente possível um ordenamento da floresta e uma protecção adequada a todas as aldeias para que no mínimo mais ninguém tenha que fugir para a morte, quanto aos meios de comunicação adequados para a circunstância e que falharam e de que maneira trágica, se antes afirmavam os governantes que tudo estava a marchar sobre rodas, talvez o melhor será cada um assumir a sua quota parte e que não sacuda a água do capote.

  3. São Socialistas com certeza !
    Agora a Ministra pode passar a batata quente ao GNR que não fechou a Estrada da Morte.
    Em qualquer outro país democrático, algum responsável político já teria assumido a responsabilidade política e pedido a demissão.
    Mas Portugal não passa de uma República das Bananas.
    A corrupção e a incompetência morrem sempre solteiras.

  4. Ou seja vão travar a expansão da área do eucalipto, mas em menos área produzir mais matéria-prima para uma indústria que representa dois mil milhões de euros de exportações ou seja transferir a cultura do eucalipto de terrenos marginais que vão ficar completamente improdutivos e cheios de mato para terrenos mais ferteis onde poderiam ser cultivados castanheiros, sobreiros, vinhas, olivais, etc. e ainda por cima com subsidios! CONCLUSÃO: JOGADA DE MESTRE DAS CELULOSES!

RESPONDER

Sporting 2-1 Santa Clara | Super-Coates volta a ser herói

Arrancado a ferros… à campeão? O Sporting esteve a poucos segundos de registar o terceiro empate em casa, perante um Santa Clara que não foi em nada inferior aos “leões” e até conseguiu ser superior em …

Os gatos demonstram ser menos leais do que os cães (mas pode haver uma razão)

Ainda existe um estereótipo sobre a diferença entre cães e gatos. Normalmente as pessoas associam os cães a animais amorosos e leais, enquanto os gatos são tidos como distantes e indiferentes. Um novo estudo pode …

O mistério do "lago dos esqueletos" na Índia intriga cientistas há décadas

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar. Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago …

A fronteira mais importante da China é imaginária: a Linha Hu

A Linha Hu, também conhecida como linha Heihe-Tengchong, é uma linha imaginária que divida a China em duas partes com áreas quase iguais. Estende-se da cidade de Heihe até Tengchong. Desenhada pela primeira vez em 1935, …

Algumas pessoas moram em aeroportos durante meses (ou até mesmo anos)

Aeroportos não servem de casa apenas para os sem-abrigo. Há pessoas que, involuntariamente ou não, ficam lá durante meses e, em alguns casos, até mesmo anos. Em janeiro, as autoridades de Chicago prenderam um homem de …

Senado da Carolina do Sul aprova fuzilamento como método de execução

Com esta decisão, a Carolina do Sul poderá converter-se no quarto estado do país a incorporar este método de execução de pena de morte, depois do Utah, Oklahoma e Mississípi. De acordo com a agência noticiosa …

"Oxigénio tornou-se ouro". Criminosos lucram com a sua escassez no México

A pandemia de covid-19 deixou a Cidade do México a atravessar uma grande escassez de oxigénio médico. Criminosos estão a aproveitar para lucrar com a situação. A capital mexicana registou um pico de infeções e hospitalizações …

Meteorito do tamanho de um damasco caiu em França (e os astrónomos precisam de ajuda para encontrá-lo)

Os entusiastas do Espaço estão a ser instados a procurar um meteorito do tamanho de um damasco que caiu no fim de semana passado no sudoeste de França.  O meteorito, com peso estimado em 150 gramas, …

Professora pediu a alunos para fingir que eram escravos e escreverem carta para África

Uma professora de uma escola secundária no Mississippi, nos Estados Unidos, está a ser alvo de críticas devido a uma fotografia de um trabalho de casa divulgada nas redes sociais. Foi pedido aos alunos do 8.º …

Obra de Churchill que pertencia a Angelina Jolie vendida por valor recorde

O quadro pintado pelo antigo primeiro-ministro britânico foi vendido por 8,3 milhões de libras. A pintura foi um presente de Winston Churchill para o presidente dos Estados Unidos, Franklin D. Roosevelt, e agora foi leiloada …