Sistema de Comunicações que falhou no incêndio vai custar 568 milhões ao Estado

Nuno André Ferreira / Lusa

“O que nasce torto nunca se endireita”. O ditado popular aplica-se quase na perfeição ao Sistema de Comunicações que é usado por bombeiros e forças de segurança e que falhou durante o grande e trágico incêndio de Pedrógão Grande.

A história “torta” deste Sistema de Comunicações é contada na edição desta quinta-feira do jornal Público que lembra os contornos peculiares e as suspeitas que estão por detrás da assinatura de uma Parceria Público-Privada (PPP) que “custou mais do que parece merecer”, segundo o diário.

Assinado na “época de ouro das PPP”, conforme atesta a publicação, o chamado Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) resulta de uma parceria assinada entre o consórcio de empresas PT, Motorolla, Esegur, Grupo Espírito Santo e SLN (Sociedade Lusa de Negócios) e o Ministério da Administração Interna (MAI).

O contrato para a montagem do SIRESP foi assinado durante o Governo de Santana Lopes, em Fevereiro de 2005, três dias depois de este ter perdido as eleições para o PS de Sócrates e depois de três anos na gaveta.

Daniel Sanches era então o ministro da Administração Interna com o detalhe de que, antes de ter assumido a pasta, convidado por Durão Barroso, em 2004, tinha sido gestor da SLN. E depois de deixar o Governo, Sanches voltou para a SLN, detentora do BPN (Banco Português de Negócios) que foi entretanto nacionalizado.

Quando António Costa assumiu o MAI, no Governo de Sócrates, pediu um parecer ao Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre o contrato assinado para o SIRESP e o despacho de adjudicação foi considerado nulo porque o Governo em gestão não tinha poder para aprovar o negócio.

Costa aceitou o parecer da PGR e anulou, então, o despacho de Daniel Sanches, mas após uma série de outros pareceres, renegociou o contrato com o mesmo consórcio, ficando definido que o SIRESP custaria, em 15 anos, 485,5 milhões de euros, “menos 52,5 milhões de euros” do que o contrato anterior, aponta o Público.

Mas, feitas as contas, o sistema de comunicações vai custar vários milhões mais do que o previsto inicialmente, segundo adianta o Correio da Manhã.

Este jornal cita dados da UTAP – Unidade Técnica de Acompanhamento de Projectos – sobre as PPP e do Orçamento do Estado para 2007 que apontam que “o SIRESP custou ao Estado, entre 2007 e 2016, um total de 320 milhões de euros e, entre 2017 e 2021, irá custar mais 155 milhões de euros, no total de 568 milhões de euros“.

Acresce a isto que o sistema já tinha falhado nos incêndios de 2016 e de 2013.

O Público nota ainda o dado peculiar de que, no mesmo ano em que o SIRESP entrou em funcionamento, em 2006, a SLN foi alvo de buscas por suspeitas de tráfico de influências que acabaram, contudo, arquivadas dois anos depois.

Entretanto, a SLN, a PT e o Grupo Espírito Santo desmoronaram-se e as antenas do SIRESP derreteram no grande incêndio que vitimou 64 pessoas, deixando dezenas de outras pessoas sem casa.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Pelo que se verifica à primeira vista, as empresas do consórcio são já conhecidas pelos portugueses, pela pior razão! mais não digo.

  2. É de lembrar que quer na SNL quer no BPN haviam por lá grandes amigos dos mais altos dirigentes de então, que por muitos anos desgovernaram este país. Até “pareceu” que essas empresas foram criadas com o objetivo de tirarem dividendos para esses senhores intocáveis à custa das poupanças de uma vida dos portugueses.
    Mas a questão é que continuamos a constatar que esses senhores, continuam com grandes e variadas ramificações…
    Relativamente a esta “ramificação” ou “parceria”, é mais um serviço que não serve para nada, não é responsabilizado por nada, mas é pago a peso de ouro pelos “portugas”, aos senhores intocáveis.

  3. Pois, mais uma vez relações obscuras, negócios obscuros, relações custo-benefício muitíssimo duvidosas…
    Perdem os do costume, os portugueses que pagam esta mediocridade com o dinheiro dos seus impostos, e ganham os de sempre, essa tal quimera político/empresário…
    Fica a questão: não seria melhor não pagarmos impostos? Certamente que o dinheiro estaria muito mais bem redistribuído e seria muito mais bem gasto.

  4. já conhecemos a corja que tem governado desde então. Refiro-me aos dois maiores partidos com proporcionalidade pelos anos de governação. Não ponho ninguém de fora pois a corja passa as barreiras dos partidos…

  5. Essa gente, devem ser sócios das empresas, cujo trabalho, é vender o serviço de apagar os fogos. Assim, é bom que o sistema não funcione, para poderem facturar. E com a idoneidade dessa gente, quem duvida disso mesmo?

  6. 568 Milhões em sistemas de comunicação? Tem antenas em ouro maciço com incrustações de diamantes? Estamos a falar de equipamento CB (Banda do cidadão) em UHF? Ou é alguma coisa moderna e ultra cara? Pois é, assim não há impostos que cheguem para pagar tudo.
    É apenas a minha opinião “desinformada” e vale o que vale.

RESPONDER

Ikea vs Kitea: batalha judicial entre suecos e marroquinos em Portugal

A marca sueca de imobiliário Ikea está a contestar nos tribunais portugueses o registo da marca marroquina Kitea. A semelhança entre os dois nomes não é uma mera coincidência, já que ambas vendem o mesmo …

EUA vão processar Edward Snowden por causa da sua autobiografia

O governo dos EUA vai processar Edward Snowden a propósito da autobiografia que chegou esta terça-feira a mais de 20 países. O processo judicial argumenta que autor violou acordos de confidencialidade. A autobiografia de Edward Snowden, …

27 anos depois, o maestro do trânsito regressa a Castelo Branco

A figura do polícia sinaleiro regressou a Castelo Branco 27 anos depois para coordenar o trânsito, numa iniciativa que surpreendeu os jovens condutores e peões, e que levou os mais velhos a aplaudiram e a …

Descoberto em Ílhavo primeiro sítio pré-histórico subaquático português

Uma equipa de arqueólogos descobriu vestígios de uma mancha de ocupação ou possível acampamento do neolítico a cerca de dois metros de profundidade na Ria de Aveiro, em Ílhavo. "Temos estado a apanhar algumas surpresas valentes. …

Rei de Espanha não propôs nenhum nome para investidura. País enfrenta novas eleições a 10 de novembro

A Espanha vai realizar novas eleições. Os dirigentes do Cidadãos, Albert Rivera, e do Partido Popular, Pablo Casado, disseram "não" à investidura de Pedro Sánchez como presidente do Governo espanhol e o rei Felipe VI …

Os dinamarqueses vão plantar um milhão de árvores sem saírem do sofá

No último sábado, a emissora dinamarquesa TV2 transmitiu um programa em direto para convidar os espectadores a doarem dinheiro para plantar árvores. O objetivo, de acordo com o jornal britânico The Guardian o produtor Martin Sundstrøm, …

A melhor escola da Europa para estudar ciência fica em Santarém

É em Alcanena, no distrito de Santarém, que se localiza o agrupamento de escolas com o selo de qualidade do STEM School Proeficient, atribuído pela União Europeia. O estabelecimento de ensino recebeu a melhor classificação …

Câmara da Moita dá parecer negativo ao Estudo de Impacte Ambiental do novo aeroporto do Montijo

A Câmara da Moita, no distrito de Setúbal, aprovou uma posição em que dá parecer negativo ao Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do novo aeroporto do Montijo, devido ao “conjunto de impactes negativos”. O município da …

Morreu a criança que ficou paralisada após comer hambúrguer do Lidl contaminado

Em 2011, Nolan Moittie comeu o hambúrguer contaminado com a bactéria E.Coli comprado no Lidl. Depois de ter ficado com graves sequelas neurológicas e diabético, o rapaz acabou por falecer este sábado, com apenas 10 …

Taylor Swift atua no Nos Alive 2020

Taylor Swift é o segundo nome para a edição de 2020 no Nos Alive. A cantora estreia-se em território português no dia 9 de julho, anunciou a própria artista no seu site oficial. A organização do …