Afinal, continuam 9 pessoas no prédio Coutinho. Moradores acusam VianaPolis de “criar fake news”

Abel F.Dantas / ZAP

O casal que chegou a acordo com a VianaPolis tem um apartamento no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, mas não faz parte das nove pessoas que ainda continuam no edifício.

Esta terça-feira, a VianaPolis informou à Lusa ter chegado a acordo com um casal que detinha um apartamento no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, onde, segundo a sociedade, ainda permaneciam sete pessoas em cinco frações.

No entanto, segundo uma das moradoras, Maria José da Ponte, contactada pelo Expresso, esta é uma notícia “falsa”. “Garanto-lhe que é falsa. A VianaPolis está a criar fake news para gerar desconforto nos moradores e manipular a opinião pública”.

“O senhor Francisco Rocha e a esposa, Raquel, estão à minha frente. Estamos a tomar café, em frente ao jardim. O Valdemar Cunha e a mulher também não são, porque ele próprio me ligou espantado com a notícia. Do outro lado vivem o senhor Armando Cunha e a mulher, Fernanda, mas também não são eles, nem tão pouco o ‘coronel’ José Santos, que hoje até se deslocou ao Porto, porque a mulher está a fazer tratamento oncológico”.

Entretanto, fonte da VianaPolis esclareceu ao Observador que o casal em questão, que detém efetivamente um apartamento no prédio Coutinho, mas apenas o utiliza esporadicamente, não faz parte das nove pessoas que ainda continuam no edifício. Ou seja, o número de moradores mantém-se em nove. O casal aceitou a proposta do tribunal de receber ou uma casa ou o valor definido como indemnização.

“A VianaPolis uma vezes conta apenas as pessoas que continuam a viver cá e outras vezes não. Neste caso, trata-se de pessoas que vivem em Lisboa e só eram vistas no apartamento de vez em quando. Já tinham tirado tudo, só ainda não tinham entregado as chaves, mas nunca fizeram parte da nossa luta“, afiança Maria José ao Expresso.

O despejo do edifício Jardim, localmente conhecido por prédio Coutinho, esteve previsto para 24 de junho, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB) que declarou improcedente a providência cautelar movida em março de 2018.

No entanto, os moradores recusaram-se a sair. A sociedade que gere o programa Polis de Viana do Castelo determinou que quem saísse do prédio não era autorizado a regressar, cortou a eletricidade, o gás e a água de todas as frações do prédio, impediu a entrada de outras pessoas e de bens, bem como avançou com a “desconstrução” do edifício.

No dia 1 de julho, o Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) de Braga aceitou a providência cautelar movida pelos últimos moradores do prédio, ficando assim suspensos os despejos. Os serviços de água, luz e gás foram restabelecidos progressivamente.

O prédio Coutinho é um edifício de 13 andares situado no Centro Histórico de Viana do Castelo que o Programa Polis quer demolir, considerando que choca com a linha urbanística da zona.

A demolição está prevista desde 2000, mas ainda não foi concretizada porque os moradores interpuseram uma série de ações em tribunal para travar a operação. Segundo a VianaPolis, “das 105 frações do edifício, 90 são habitacionais”, sendo que, naquele prédio, chegaram a viver cerca de 300 pessoas.

Na quarta-feira passada, o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, admitiu que os últimos moradores do prédio poderão ser retirados “coercivamente”, considerando que são “ocupantes ilegais” das frações do edifício.

O autarca sublinhou que a sociedade VianaPolis “está mandatada para retirar coercivamente os ocupantes ilegais de seis frações” e que poderá recorrer a essa medida, se tal se afigurar necessário.

Já o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que será apresentada, depois das férias judiciais, a ação contra os últimos moradores pelos custos causados ao Estado com o adiar da desconstrução do edifício.

Ainda de acordo com o ministro, a sociedade VianaPolis “custa cerca de 30 mil euros por mês”. “Aquilo que nós sentimos é que, desde outubro de 2016 até agora, a empresa não faz sentido de existir, por isso mesmo essa ação vai ser colocada no fim das férias judiciais”, para responsabilizar quem obrigou ao prolongamento da existência da sociedade VianaPolis, frisou.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Mas essa Viana polis nunca mais nos respeita e desaparece do mapa de uma vez por todas e volta-se a habitar o predio Coutinho. Façam o mercado na habitação de um dos que querem a demolição do Coutinho. Isso é que era justo.
    Os da Viana Polis estão a abusar de poderes contra todos os portugueses. Pagamos tantos impostos, pedimos auxilio ao estrangeiro e os da Viana polis querem esbanjar em demolições e ainda atormentar os ḿoradores e o resto do país.
    Quem nos pode ajudar? Preservar o predio Coutinho é respeitar a nossa dignidade.
    Assine a petição: https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=Coutinho

RESPONDER

Francisco Rodrigues dos Santos admite que tem sido "difícil" juntar o CDS (mas "não por falta de iniciativa")

Francisco Rodrigues dos Santos, presidente do CDS-PP, afirmou, numa entrevista ao Jornal de Notícias e TSF que tem sido "difícil" conquistar a coesão do partido. Em entrevista ao Jornal de Notícias e à TSF, o líder …

Isabel dos Santos usou equipa de espiões para provar "conspiração" e "vingança" de João Lourenço

A empresária Isabel dos Santos contratou uma firma de antigos agentes secretos israelitas para provar que foi vítima de um ataque orquestrado pelo governo de João Lourenço. Isabel dos Santos criou uma equipa de espiões para …

"Perdemos o avô da nação". Morte do príncipe Filipe deixou "um grande vazio" na vida de Isabel II

A morte do príncipe Filipe, duque de Edimburgo, na sexta-feira, aos 99 anos, deixou a Rainha Isabel II, sua esposa, com "um grande vazio na sua vida", disse este domingo aos jornalistas o seu filho …

Mapa online interativo ajudou indígenas do Panamá a fazer frente à pandemia

Quando a covid-19 chegou ao Panamá no ano passado, o cartógrafo Carlos Doviaza temeu pelas pessoas indígenas da sua comunidade. Por isso, para as ajudar, dedicou-se a fazer aquilo que faz melhor: mapas. "Pensei: 'Porque não …

"A política ama traição, mas despreza o traidor". Sócrates acusa PS de "ataque injusto" (e diz-se alvo de "vingança" da direita)

"A política ama a traição, mas despreza o traidor". No livro "Só Agora Começou", que será publicado nos próximos dias, José Sócrates acusa a atual direção do PS de traição. De acordo com o Diário de …

Portugal regista mais 566 casos e seis óbitos por covid-19

Portugal registou, este domingo, mais seis mortes e 566 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde …

PS quer que Cavaco Silva diga "quando é que soube do buraco do BES"

O PS quer que o antigo Presidente da República Cavaco Silva esclareça "quando é que soube do buraco do BES" e porque é que "não agiu atempadamente" para evitar o aumento de capital, que gerou …

Perdoar o passado, celebrar o renascimento e cumprir tradições. A primavera traz o Nowruz, o ano novo persa

Assim que as flores começam a desabrochar e os dias ficam mais longos, fica claro que o Nowruz está prestes a chegar. A celebração do ano novo iraniano é secular, com raízes que remontam a …

“Mostrámos que sabemos governar”. Bloco apresenta candidata a Lisboa (e abre a porta a acordo com PS)

O Bloco de Esquerda apresentou a candidatura de Beatriz Gomes Dias à Câmara Municipal de Lisboa, pediu “mais força” para determinar a governação da cidade e abriu a porta a novos entendimentos com o PS …

Fé nos números. Foi o voto não religioso que Donald Trump perdeu em 2020 

Em novembro de 2020, Joe Biden foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América. Uma análise revelou recentemente que a derrota de Donald Trump dependeu daqueles que não se identificam com nenhuma religião. Ryan Burge, professor …