Câmara de Viana do Castelo admite retirar à força últimos moradores do prédio Coutinho

Abel F.Dantas / ZAP

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, admitiu esta quarta-feira que os últimos nove moradores do prédio Coutinho poderão ser retirados “coercivamente”, considerando que são “ocupantes ilegais”.

“Tomaremos todas as decisões que estiverem previstas dentro da lei e dentro da lei está prevista a tomada de posse coerciva”, referiu o autarca. José Maria Costa sublinhou que a sociedade VianaPolis “está mandatada para retirar coercivamente os ocupantes ilegais de seis frações” e que poderá recorrer a essa medida, se tal se afigurar necessário.

Daremos essa ordem“, afirmou. O prédio Coutinho é um edifício de 13 andares situado no Centro Histórico de Viana do Castelo que o Programa Polis quer demolir, considerando que choca com a linha urbanística da zona.

A demolição está prevista desde 2000, mas ainda não foi concretizada porque os moradores interpuseram uma série de ações em tribunal para travar a operação. No prédio, viviam cerca de 300 pessoas, restando agora 9 que se mantêm no prédio ao abrigo de uma nova providência cautelar aceite pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga.

Para José Maria Costa, estas ações configuram “uma situação de manobras dilatórias consecutivas”, que estão a prejudicar o interesse público em benefício de interesses privados. Por isso, a VianaPolis está a fazer um levantamento dos custos resultantes do adiamento da demolição do “Coutinho” para avançar com uma ação em tribunal para ser ressarcida dos mesmos.

Custos que, segundo o autarca de Viana do Castelo, já ascendem a milhões de euros e que se relacionam não só com o funcionamento da VianaPolis como também com os prejuízos resultantes da não construção do mercado municipal, previsto para o local atualmente ocupado pelo prédio.

José Maria Costa lembrou que o financiamento comunitário para o novo mercado já se perdeu, devido ao não cumprimento dos prazos. Entretanto, em finais de junho, a VianaPolis avançou com uma queixa no Ministério Público contra os moradores resistentes, por “usurpação de bens públicos”. “Estamos a assistir a um desrespeito por aquilo que é o interesse público”, referiu hoje o autarca.

O autarca deixou ainda um apelo aos últimos moradores para que saiam do edifício, lembrando que as frações “são da VianaPolis” e eles estão a ocupá-las “ilegalmente”.

“As frações já foram adjudicadas pelo tribunal à VianaPolis”, rematou.

Estado vai avançar judicialmente contra moradores

Também nesta quarta-feira, o ministro do Ambiente anunciou que a ação contra os últimos moradores no prédio Coutinho, pelos custos causados ao Estado com o adiar da desconstrução do edifício, será apresentada no fim das férias judiciais.

“O processo vai ser entregue no fim das férias judiciais, não faz sentido estar a entregá-lo agora, mas, de facto, já há muitos anos que a empresa existe porque tem havido uma prolação do prazo por sucessivas ações judiciais, todas elas perdidas contra a própria empresa VianaPolis”, afirmou João Pedro Matos Fernandes.

Ainda de acordo com o ministro do Ambiente, que falava aos jornalistas à margem da inauguração da obra do intercetor de Rio Tinto, concelho de Gondomar, a sociedade VianaPolis “custa cerca de 30 mil euros por mês”.

“Aquilo que sentimos é que, desde outubro de 2016 até agora, a empresa não faz sentido de existir, por isso mesmo essa ação vai ser colocada no fim das férias judiciais”, para responsabilizar quem obrigou ao prolongamento da existência da sociedade VianaPolis.

A sociedade VianaPolis é detida em 60% pelo Estado e em 40% pela Câmara de Viana do Castelo. A 5 de julho, Matos Fernandes disse que os últimos moradores vão ser processados pelos custos causados ao Estado com o adiar da desconstrução do edifício.

“Estamos a fazer a conta de quanto é que está a custar à sociedade VianaPolis desde outubro de 2016. Não poderemos deixar de interpor uma ação judicial para sermos ressarcidos do custo que estamos a ter com a manutenção da sociedade VianaPolis”, afirmou então o ministro.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O interesse na demolição do prédio coutinho não é publico, é de alguns sem se saber qual a verdadeira razão porque esses alguns estão a prejudicar todos com a insistencia na demolição alegando estetica. Mas pedem sacrificios e aumentam impostos, devemos muito ao estrangeiro e dão-se ao luxo a demolições e a atormentar as pessoas?

    O Sr Defensor Moura se está contra o prédio se acha que ele está mal, nunca lá devia ter habitado. Andam ao mandado de alguem que não sabemos quem, por isso que uma coisa que vem mal do tempo do Eng Socrates está a ser continuada por outros.

    Todos os custos que isto está a custar devem se aos nossos dirigentes que se foram meter em coisas que não deviam , em coisas que nós população não estamos interessados. Não deitem nada abaixo. Não sabem construir?, é só destruir, se fosse eu presidente da camara, pois o predio ficava e ainda dava o projecto a quem quisesse contruir mais dois prédios Coutinho. Como estão a ver, aquilo que para uns parece mal para outros parece bem pelo que não há interesse publico em gastarmos tantos milhoes em demolição. Vergonha é estarmos a dever tanto ao estrangeiro, isso não vos incomoda? Conseguem dormir descansados com tanto mal que estão a fazer ao país em gastos desnecessarios com polis?

    Estamos a assistir a um desrespeito por parte dos governantes em relação ao povo. Fizeram manobras ardilosamente preparadas criando polis e volta para aqui e volta para ali para expropriar. Expropriar está a ser usado e abusado, Governantes a sério estariam a abolir aos poucos e poucos a pouca vergonha da expropriação, mas o que se assiste é expropriar a torto e a direito por tudo e por nada não deixando para o povo tranquilidade nem estabilidade.
    Abram os olhos concidadãos e vejam como estamos a ser encaminhados para o abismo…

RESPONDER

Canceladas consultas de ginecologia e obstetrícia na clínica que não detetou malformações de bebé

As consultas de ginecologia e obstetrícia estão esta sexta-feira canceladas na Eco Sado, onde foi acompanhada a mulher que deu à luz o bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves. A notícia foi confirmada pelo …

“Witness to Disaster”. National Geographic apresenta documentário sobre Pedrógão Grande

A National Geographic apresenta em novembro a série documental “Witness to Disaster” e o primeiro episódio é dedicado a Pedrógão Grande. “A história do maior incêndio na história de Portugal e de como este devastou uma …

Zuckerberg compara posição do Facebook à luta de Martin Luther King Jr.

Mark Zuckerberg defendeu publicamente a decisão do Facebook de não censurar anúncios políticos factualmente incorretos. Num discurso, esta quinta-feira, o presidente executivo do Facebook comparou a posição da rede social face à liberdade de expressão, e …

Mau feitio afasta juiz desembargador de concurso

Eurico Reis está fora da lista de magistrados responsáveis pela nova secção do Tribunal da Relação de Lisboa, relativa à propriedade intelectual e concorrência, supervisão e regulação, que começa a funcionar esta sexta-feira. O juiz …

Algarve escolhido como melhor destino de golfe do Mundo para 2020

A Associação Internacional de Operadores de Turismo de Golfe (IAGTO) escolheu o Algarve como "melhor destino de golfe do mundo para 2020", distinção que o presidente do Turismo do Algarve atribuiu à qualidade dos 40 …

Balakov deixa cargo de selecionador da Bulgária

O treinador Krasimir Balakov deixou nesta sexta-feira o cargo de seleccionador de futebol da Bulgária, na sequência da goleada (6-0) sofrida na recepção à Inglaterra, num jogo de qualificação para o Euro 2020 marcado por …

Fez-se História no Espaço com o primeiro passeio espacial feminino

As astronautas Jessica Meir e Christina Koch saíram esta sexta-feira da Estação Espacial Internacional (EEI) no primeiro passeio orbital sem a participação de homens, durante o qual repararão um controlo das baterias da estação. A saída …

UEFA proíbe Ajax de vender bilhetes

O Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA proibiu o Ajax de vender bilhetes para o próximo encontro da Liga dos Campeões, em Londres, frente ao Chelsea, a 5 de Novembro, devido ao mau …

Aumenta para cinco número de mortos em desabamento de prédio no Brasil

O número de mortos no desabamento de um prédio residencial em Fortaleza, capital do estado do Ceará, no nordeste do Brasil, aumentou para cinco, segundo informações do corpo de bombeiros divulgadas esta sexta-feira pelas autoridades …

Cartel de Sinaloa abre fogo e obriga polícia a libertar filho de “El Chapo”

O filho de El Chapo, Ovidio Guzmán López, foi libertado depois de várias horas de violência que se seguiram à sua detenção e o ministro da Defesa argumentou com medidas de segurança para o fazer. O …