CDS desafia Costa a cortar salários no Governo para comprar material médico

Paulo Novais / Lusa

O líder do CDS-PP deu uma entrevista ao semanário Expresso, que vai ser publicada na íntegra este sábado, na qual aborda a atuação do Governo no combate à pandemia de covid-19.

Numa entrevista ao semanário ExpressoFrancisco Rodrigues dos Santos entende que o primeiro-ministro e o resto do Governo deveriam ceder uma parte dos seus salários para, por exemplo, comprar material médico.

“António Costa podia seguir o exemplo da primeira-ministra da Nova Zelândia, que cortou em 20% os vencimentos do seu Governo, ou do chanceler austríaco, que doou um mês de salário de toda a sua equipa governamental para apoiar a que está na linha da frente do combate à covid-19. Os políticos têm de dar o exemplo ao país e solidarizar-se com os milhões de portugueses”, afirma o líder do CDS-PP.

“As verbas resultantes da redução de vencimentos e da doação, tal como aconteceu naqueles países, poderia ser consignada à compra de testes, equipamentos de proteção individual e ventiladores pelas respetivas entidades a serem disponibilizadas aos seus funcionários e à comunidade em geral, especialmente às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que apoiam idosos”, continua.

O líder dos centristas considera que esta é uma ideia “simbólica”, mas que seria “moralizadora” para os portugueses.

Relativamente à forma como o Governo de António Costa tem lidado com a pandemia, sobretudo na ajuda às empresas, Francisco Rodrigues dos Santos declara que o Executivo “atuou por reação” e só agora está a tomar medidas que deveriam ter sido tomadas desde o início como, por exemplo, o lay-off para todos os sócios-gerentes.

Para o centrista, o seu partido “esteve sempre um passo à frente, ao contrário do Governo que foi sendo atropelado pela realidade”.

O presidente do CDS-PP propõe ainda que seja criado um mecanismo de acerto de contas entre o Estado e os contribuintes, possibilitando que os valores em dívida possam ser descontados em impostos a pagar pelas empresas e famílias.

“O CDS propõe a criação de um mecanismo de acerto de contas, que permita a qualquer pessoa ou empresa a quem o Estado se atrasa a pagar, poder descontar o valor das faturas vencidas, para pagar os seus impostos e contribuições”, afirma.

Questionado sobre a situação da TAP, o líder do CDS considera que a solução não passa pela nacionalização da companhia aérea, mas sim por um acordo entre o Estado português e os acionistas privados.

“O ministro Pedro Nuno Santos tem sido um zero à esquerda na gestão deste dossiê. Até agora, a TAP viu zero por parte do Estado. Mas o ministro ignora que houve uma redução drástica da operação”, atira, acrescentando que o CDS não concorda “com estas ideias megalómanas de um ministro fanfarrão que acha que o dinheiro dos contribuintes deve ser injetado de forma desregulada”.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Hahahaaaa… é só rir com este Ventura de 2°!…
    Então o CDS que votou contra a criação do SNS e que esteve no governo no tempo da troika (onde não só não diminuíram os salários do governo como os aumentaram!) e agora este advogado padreco sai-se com estas pérolas??
    O que dirá o Paulo Portas desta gente?

  2.  Francisco Rodrigues dos Santos, porque não fez isso o CDS quando foi governo sempre poupavam nos roubos que fizeram aos mais fracos, vai te encher de moscas.

  3. O CDS morreu, decididamente. Mas quem é esta criatura? E qual o nível de demagogia que está disponível a aceitar no seu discurso? E que tal voltar ao infantário e aparecer daqui a 30 anos de preferência com ideias e sem disparates. Que saudades do Portas…

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronaírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …

Empresas vão poder pedir lay-off em meses interpolados. Trabalhadores recebem subsídio de Natal a 100%

O novo apoio de lay-off que vai substituir o atual regime de lay-off simplificado a partir de agosto vai poder ser pedido pelas empresas em "meses interpolados", podendo desistir do regime e retomá-lo mais tarde. De …

Rombo na economia deixa orçamento retificativo à vista

O ministro das Finanças, João Leão, admitiu alterar as projeções de crescimento económico para 2020 com um orçamento retificativo. Em causa está uma queda mais acentuada da economia. A pandemia obrigou a um orçamento suplementar, onde …

Ricardo Salgado suspeito de corromper altos quadros do BES em milhões de euros

O antigo banqueiro Ricardo Salgado é suspeito de ter usado duas empresas que funcionavam como um saco azul do Grupo Espírito Santo (GES) para corromper 12 pessoas, a maioria altos quadros do Banco Espírito Santo …