CDS desafia Costa a cortar salários no Governo para comprar material médico

Paulo Novais / Lusa

O líder do CDS-PP deu uma entrevista ao semanário Expresso, que vai ser publicada na íntegra este sábado, na qual aborda a atuação do Governo no combate à pandemia de covid-19.

Numa entrevista ao semanário ExpressoFrancisco Rodrigues dos Santos entende que o primeiro-ministro e o resto do Governo deveriam ceder uma parte dos seus salários para, por exemplo, comprar material médico.

“António Costa podia seguir o exemplo da primeira-ministra da Nova Zelândia, que cortou em 20% os vencimentos do seu Governo, ou do chanceler austríaco, que doou um mês de salário de toda a sua equipa governamental para apoiar a que está na linha da frente do combate à covid-19. Os políticos têm de dar o exemplo ao país e solidarizar-se com os milhões de portugueses”, afirma o líder do CDS-PP.

“As verbas resultantes da redução de vencimentos e da doação, tal como aconteceu naqueles países, poderia ser consignada à compra de testes, equipamentos de proteção individual e ventiladores pelas respetivas entidades a serem disponibilizadas aos seus funcionários e à comunidade em geral, especialmente às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que apoiam idosos”, continua.

O líder dos centristas considera que esta é uma ideia “simbólica”, mas que seria “moralizadora” para os portugueses.

Relativamente à forma como o Governo de António Costa tem lidado com a pandemia, sobretudo na ajuda às empresas, Francisco Rodrigues dos Santos declara que o Executivo “atuou por reação” e só agora está a tomar medidas que deveriam ter sido tomadas desde o início como, por exemplo, o lay-off para todos os sócios-gerentes.

Para o centrista, o seu partido “esteve sempre um passo à frente, ao contrário do Governo que foi sendo atropelado pela realidade”.

O presidente do CDS-PP propõe ainda que seja criado um mecanismo de acerto de contas entre o Estado e os contribuintes, possibilitando que os valores em dívida possam ser descontados em impostos a pagar pelas empresas e famílias.

“O CDS propõe a criação de um mecanismo de acerto de contas, que permita a qualquer pessoa ou empresa a quem o Estado se atrasa a pagar, poder descontar o valor das faturas vencidas, para pagar os seus impostos e contribuições”, afirma.

Questionado sobre a situação da TAP, o líder do CDS considera que a solução não passa pela nacionalização da companhia aérea, mas sim por um acordo entre o Estado português e os acionistas privados.

“O ministro Pedro Nuno Santos tem sido um zero à esquerda na gestão deste dossiê. Até agora, a TAP viu zero por parte do Estado. Mas o ministro ignora que houve uma redução drástica da operação”, atira, acrescentando que o CDS não concorda “com estas ideias megalómanas de um ministro fanfarrão que acha que o dinheiro dos contribuintes deve ser injetado de forma desregulada”.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Hahahaaaa… é só rir com este Ventura de 2°!…
    Então o CDS que votou contra a criação do SNS e que esteve no governo no tempo da troika (onde não só não diminuíram os salários do governo como os aumentaram!) e agora este advogado padreco sai-se com estas pérolas??
    O que dirá o Paulo Portas desta gente?

  2.  Francisco Rodrigues dos Santos, porque não fez isso o CDS quando foi governo sempre poupavam nos roubos que fizeram aos mais fracos, vai te encher de moscas.

  3. O CDS morreu, decididamente. Mas quem é esta criatura? E qual o nível de demagogia que está disponível a aceitar no seu discurso? E que tal voltar ao infantário e aparecer daqui a 30 anos de preferência com ideias e sem disparates. Que saudades do Portas…

Benfica 2-0 Vitória SC | "Águia" vence e adia festa do Porto

Não foi esta terça-feira que o FC Porto festejou o 29º título de campeão nacional. Na recepção ao Vitória Sport Clube, o Benfica venceu por 2-0, num embate relativo à 32ª jornada da Liga NOS, …

Elon Musk lança concurso para ver quem consegue bater um caracol

O multimilionário, através da sua empresa especializada em construção de túneis, lançou um concurso mundial para ver quem é capaz de bater um caracol. De acordo com o jornal Daily Mail, Elon Musk lançou um concurso …

Covid-19. Tóquio quer pagar até quatro mil euros a bares que fiquem fechados

As autoridades de Tóquio, no Japão, estão a ponderar pagar um subsídio, que pode chegar aos quatro mil euros, aos bares que se mantenham fechados para conter a propagação da covid-19 na cidade. De acordo com …

Médicos franceses detetaram primeiro caso de bebé infetado no útero

Médicos em França pensam ter identificado aquele que será o primeiro caso confirmado de um bebé infetado com covid-19 no útero materno. De acordo com o site Business Insider, a equipa médica conta que a …

17 anos depois, Estados Unidos voltam a aplicar a pena capital a nível federal

Os Estados Unidos procederam, esta terça-feira, à primeira execução federal de um prisioneiro no "corredor da morte" em 17 anos, através de uma injeção letal. Daniel Lewis Lee, 47 anos, natural de Yukon (Oklahoma), foi executado …

Com o pretexto de paz, "senhor da guerra" vai ganhando poder na República Centro-Africana

O "senhor da guerra" Ali Darassa foi pago pelo presidente da República Centro-Africana e já influenciou a demissão de um ministro numa tentativa de manter a paz no país. A República Centro-Africana é um país atormentado …

Ministério Público acusa 25 arguidos pela queda do BES

O Ministério Público deduziu acusação, esta terça-feira, contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete pessoas coletivas, no âmbito do processo sobre a queda do Universo Espírito Santo. "O Ministério Público do Departamento Central de Investigação …

Agora, até o Toyota Corolla é um crossover

O Toyota Corolla Cross é o mais recente SUV da marca japonesa. Apesar de a marca estar a reforçar a sua gama de SUV, Portugal terá de esperar mais um pouco. Na semana passada, a Toyota …

Da Escócia à Grécia, Kleon pedalou durante 48 dias para regressar a casa

Um jovem grego, "preso" na Escócia devido ao cancelamento dos voos por causa da pandemia de covid-19, decidiu pedalar durante 48 dias consecutivos para conseguir regressar a casa. De acordo com a CNN, Kleon Papadimitriou, de …

Após fugirem da Venezuela, milhares foram obrigados a regressar por causa da pandemia (mas não é assim tão fácil)

Desde 2016, quase cinco milhões de venezuelanos deixaram o país, fugindo da pobreza e dos serviços sociais e de saúde em colapso. Agora, a pandemia de covid-19 forçou-os a regressar à Venezuela - se o …