Viúva de Marielle Franco está a ser perseguida e ameaçada de morte

Cristina Indio do Brasil / ABr

Mônica Benício, viúva de Marielle Franco

A viúva da vereadora brasileira, assassinada em março deste ano no Rio de Janeiro, tem sido perseguida e ameaçada de morte.

Depois de ter encaminhado um pedido de proteção à Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), a arquiteta Mônica Benício, viúva da vereadora Marielle Franco, confirmou, esta segunda-feira, que há quatro meses que sofre ameaças, não só pessoalmente como também pela Internet.

O depoimento, que durou quase três horas, foi prestado na Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Mônica foi ouvida pelo delegado titular, Giniton Lages, a quem contou que, em dois momentos diferentes, foi acompanhada por um carro numa situação estranha e que também foi alvo de constrangimento na rua.

Num desses momentos, a viúva da vereadora do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), assassinada em março deste ano com quatro tiros na cabeça, disse que um homem repetiu várias vezes que estava a “falar demais” e que “precisava de ter cuidado para não morrer”.

A arquiteta revelou ainda que recebeu mensagens de ódio no seu perfil do Twitter. Mônica afirmou que não pretende ser incluída no programa de proteção de testemunhas, mas Lages declarou que há disponibilidade para conseguir providenciar mais segurança.

Mônica informou que, ao longo desta semana, vai tentar procurar alternativas para evitar o incómodo que vive há quatro meses. “Isto tem que ser negociado ainda, porque precisam de ser apresentadas algumas soluções. Tudo isto vai ser discutido e não tenho muitas informações”, explicou.

Por motivos de segurança, a arquiteta disse que não pode dar detalhes do depoimento na polícia. Porém, demonstrou tranquilidade a partir do pedido feito à Corte da OEA.

“Isto significa que a OEA exige ao Estado brasileiro que garanta a minha segurança e proteção para que eu continue a exercer o trabalho de defensora dos direitos humanos porque eu tenho ocupado, cada vez mais, os espaços de fala que eram da Marielle“.

Cristina Indio do Brasil / ABr

Mônica Benício, viúva de Marielle Franco

Para Mônica, a iniciativa da OEA, de dar atenção ao seu pedido, é uma demonstração de que o caso Marielle faz parte das prioridades do Estado. A vereadora foi assassinada, assim como o motorista Anderson Pedro Gomes, mas o crime ainda está a ser investigado e aguarda um desfecho.

Para a arquiteta, a morte da vereadora foi um crime político e esta foi a razão pela qual não procurou a Secretaria de Segurança do Rio para assegurar a sua vida. “Estaria a pedir ajuda e proteção ao Estado que matou a Marielle, por isso, pedi diretamente à OEA”.

Mônica ressalvou que, no próximo sábado, a morte de Marielle Franco fará 150 dias e lamenta que, depois de quase cinco meses, ainda não há informação sobre suspeitos.

“Acredito que o trabalho da polícia esteja a ser feito efetivamente. Foi um crime sofisticado e infelizmente bem executado, em que houve poucos erros, daí a dificuldade de chegar a uma solução”.

Por isso, a viúva de Marielle diz que é importante ter paciência, até porque não está à procura de qualquer desfecho mas de uma conclusão coerente do caso. “Não quero qualquer solução. Por se tratar de um crime político, um crime de poder, que envolve pessoas muito poderosas, tem que ser bem resolvido”, afirmou.

Marielle Franco, reconhecida defensora dos direitos humanos, especialmente das mulheres negras, foi a quinta vereadora mais votada no Rio de Janeiro nas eleições municipais de 2016, com mais de 40 mil votos.

O Brasil chorou a morte da vereadora, batizada de “filha da Maré” por ser originária da favela brasileira com o mesmo nome, e que era também a relatora da comissão da Câmara de Vereadores do Rio criada para fiscalizar a intervenção militar.

ZAP // Ciberia

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

Guardas e familiares das vítimas pediram clemência. Mas Nicholas Sutton foi executado

O norte-americano foi executado, esta quinta-feira, no Tennessee, devido ao assassinato de quatro pessoas, apesar de alguns pedidos de clemência por parte de guardas prisionais e familiares das vítimas. De acordo com a CNN, Nicholas Sutton, …

O primeiro drone acrobático tripulado de sempre é testado a fazer piruetas

Um novo vídeo mostra que o "Big Drone", da Drone Champions AG, é capaz de fazer acrobacias alucinantes com um passageiro dentro. A tecnologia dos drones melhora de vento em popa com o passar dos anos …

Fenómeno extremo ameaça corais na Grande Barreira na Austrália. E já matou quase metade

A Grande Barreira de Coral da Austrália pode estar a enfrentar a terceira "descoloração" no espaço de cinco anos, fenómeno provocado por um aumento da temperatura das águas do mar. Como avançou o Expresso, este fenómeno …

Trump critica cerimónia dos Óscares, "Parasitas" e Brad Pitt

O Presidente norte-americano criticou a cerimónia dos Óscares, esta quinta-feira, nomeadamente a atribuição do prémio de Melhor Filme para o sul-coreano "Parasitas" e ainda o ator Brad Pitt. Na noite desta quinta-feira, num comício em Colorado …

Paris lança número de emergência para fazer frente à crise de percevejos

O Governo francês lançou uma campanha, esta quinta-feira, para fazer frente à crise de percevejos que se instalou em Paris. Segundo a agência France-Press, citada pelo The Guardian, casas e hotéis da capital francesa estão a …

"Radical chique" e "ressentido". Filho de Paulo Branco pode ter sido o pivot do escândalo sexual em França

Juan Branco, o filho do produtor de cinema Paulo Branco, é o homem do momento em França. O advogado de 30 anos saltou para as luzes dos média no âmbito da divulgação do vídeo sexual …

Alcochete. "Se Mustafá estivesse lá aquilo não tinha acontecido"

O arguido Emanuel Calças disse, esta sexta-feira, em tribunal que, se Mustafá estivesse com o grupo que invadiu a academia do Sporting, "aquilo não tinha acontecido". "Tenho a certeza de que se o Mustafá estivesse presente …

Coronavírus ameaça o têxtil português (mas também é uma "oportunidade")

O sector têxtil nacional está ameaçado e pode parar a produção já em Março. Tudo devido à falta de matéria-prima que vem da China e que se deve à epidemia do novo coronavírus. A "situação …

Governo diz que prejuízo da TAP "não foi um desvio qualquer" e que já devia ter tido lucro em 2018 e 2019

O ministro das Infraestruturas disse, esta sexta-feira, que o orçamento que a comissão executiva da TAP apresentou ao Conselho de Administração para 2018 e 2019 previa lucro e que o prejuízo de 105,6 milhões "não …

João Lourenço duplica valor de subsídio de antigos Presidentes de Angola

O Presidente angolano, João Lourenço, duplicou o valor do subsídio de fim de mandato pago a antigos chefes de Estado, mas cortou outras regalias, nomeadamente a nível da segurança e quadro de pessoal. O decreto-presidencial 32/20, …