Vítimas de violência doméstica vão ter gabinetes de apoio nos Departamentos de Ação Penal

O Governo reuniu com a PGR e com as forças de segurança e desenhou plano de ataque à violência doméstica: formação comum para polícias e magistrados, cruzamento de dados e mais proteção às vítimas após 72 horas.

O Governo vai criar gabinetes de apoio às vítimas de violência doméstica nos Departamentos de Investigação e Ação Penal (DIAP) e reforçar a articulação e cooperação entre forças de segurança, magistrados e organizações que trabalham na prevenção e combate.

Esta é uma das decisões tomadas esta quinta-feira numa reunião de trabalho sobre questões críticas associadas aos homicídios ocorridos este ano e à problemática da violência doméstica que juntou vários membros do Governo, a Procuradora-Geral da República, o Coordenador da Equipa de Análise Retrospetiva de Homicídio em Violência Doméstica (EARHVD) e a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG).

Em comunicado, o Governo explica que com a criação destes gabinetes pretende “aperfeiçoar os mecanismos de proteção da vítima nas 72 horas subsequentes à apresentação de queixa nos órgãos de polícia criminal”.

Outras das medidas aprovadas são “agilizar a recolha, tratamento e cruzamento dos dados quantitativos oficiais (provenientes da PSP, GNR, PJ e PGR) em matéria de homicídios e de outras formas de violência doméstica”.

O Governo vai também reforçar “os modelos de formação, que passarão a ser comuns à PSP e GNR, magistrados/as e funcionários judiciais”, passando, da mesma forma, a formação “a ser mais centrada na análise de casos concretos”.

Para a concretização destas medidas foi constituída uma equipa técnica multidisciplinar, coordenada pelo procurador Rui do Carmo, coordenador da EARHVD, no âmbito da qual serão chamadas a participar as Organizações Não Governamentais (ONG).

Segundo o Executivo, será também realizada uma avaliação do impacto das medidas aplicadas às pessoas agressoras em casos de violência doméstica e lançado financiamento para a formação destes profissionais.

No comunicado, o Governo sublinha que estas decisões pretendem melhorar “a tutela penal relativamente à proteção das vítimas e ao sancionamento das pessoas agressoras”.

Na reunião de trabalho estiveram presentes os membros do Governo responsáveis pelas áreas da Presidência do Conselho de Ministros, Justiça, Administração Interna e Cidadania e Igualdade.

De acordo com Observatório de Mulheres Assassinadas, em janeiro deste ano morreram nove mulheres vitimadas por violência doméstica. Durante o ano de 2018 foram assassinadas 28 mulheres e, ainda segundo dados do Observatório da UMAR (União de Mulheres Alternativa e Respostas), “503 mulheres foram mortas em contexto de violência doméstica ou de género” entre 2004 e o final de 2018.

Na quarta-feira, durante o debate quinzenal, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que os números “são absolutamente intoleráveis”, sublinhando que “cada vida humana perdida num caso de violência doméstica é uma ofensa profunda à sociedade”,

“Nenhum de nós pode dormir descansado enquanto esta realidade existir na nossa sociedade, não podemos aceitar viver numa sociedade onde haja mulheres vítimas de violência doméstica, não podemos e não vamos querer viver nessa sociedade”, assegurou o primeiro-ministro.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Raros crocodilos prosperam perto de uma central nuclear nos Estados Unidos

Os canais junto da central nuclear de Turkey Point, localizada a 40 quilómetros da cidade de Miami, no estado norte-americano da Flórida, tornaram-se o lar perfeito para centenas de crocodilos americanos (Crocodylus acutus). De acordo com …

Francisco Ramos defende seguro público complementar de saúde

Francisco Ramos defende a criação de um seguro público complementar que assegure a cobertura das áreas em que os portugueses mais gastam dinheiro. O secretário de Estado adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, defende que é …

Cada vez mais pessoas trocam telemóveis iPhone para Android

A Apple sempre foi reconhecida pela lealdade dos consumidores à marca. No entanto, recentemente, essa tendência tem-se invertido e, cada vez mais, as pessoas procuram marcas concorrentes. O conceito de lealdade à marca traduz o compromisso …

Jovem chinês desaparecido há 18 anos foi encontrado graças a uma aplicação de reconhecimento facial

Foi encontrado na China um jovem que estava desaparecido há 18 anos, graças a uma aplicação semelhante à FaceApp, com tecnologia de envelhecimento facial. Segundo noticiou o Jornal de Notícias na segunda-feira, Yu WeiFang foi separado …

Agricultores entre as novas profissões de residente não habitual a pagar menos IRS

Arquitetos, designers ou geólogos são excluídos e dão lugar a agricultores e trabalhadores qualificados da agricultura na nova lista de atividades do residente não habitual. Agricultores e profissões das ciências e engenharia, de nível intermédio, passam …

Espião francês, cúmplice de Latifa, ajuda a esclarecer a fuga da princesa Haya

Hervé Jaubert afirma que Haya terá descoberto que o Emir do Dubai aprisionou a sua filha Latifa, depois desta ter tentado fugir, e teve medo que o mesmo lhe acontecesse. A fuga da princesa Haya, sexta …

"Muitos americanos vão saber pela primeira vez o que diz o relatório Mueller"

O ex-procurador especial, que se encarregou de investigar as alegadas ligações da equipa do Presidente norte-americano com a Rússia vai, esta quarta-feira, ao Congresso explicar mais uma vez o que diz o seu relatório. A visita …

Tinder, drogas e álcool. Há uma revolução silenciosa em marcha no Irão

Sem esperança no amanhã e desiludida com os líderes do país e com a República Islâmica, a juventude iraniana transgride as apertadas regras religiosas do país, numa postura desafiante que se faz na "sombra" e …

Costa esteve em 15 debates quinzenais, membros do Governo em 233 audições

O balanço provisório da quarta e última sessão legislativa da legislatura revela que o primeiro-ministro esteve presente em 15 debates quinzenais na Assembleia da República, órgão onde foram realizadas 233 audições a membros do Governo. António …

Espanha. Turista detido por comer marisco no valor de 400 euros sem ter dinheiro para pagar

Na passada quarta-feira, um turista italiano, de visita a Formentera, em Espanha, entrou na marisqueira Es Molí de Sal e pediu uma grande quantidade de comida. Consumiu 400 euros em marisco, mas não tinha dinheiro …