Carlos Santos Silva cobrou 2,5 milhões para ocultar luvas de Sócrates

André Kosters / Lusa

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

José Sócrates está acusado da prática de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documentos e três de fraude fiscal qualificada, no âmbito da Operação Marquês.

José Sócrates utilizava dinheiro que estava no nome de Carlos Santos Silva, ex-assessor do Grupo Lena. O antigo primeiro ministro movia “avultadas quantias”, que levantaram suspeitas ao Ministério Público.

Sócrates e o empresário justificaram tratar-se de empréstimos com base numa amizade já muito longa. Porém, ao fim de quatro anos de investigação da Operação Marquês, o Ministério Público concluiu que se tratou de “uma prestação de serviços” de Carlos Santos Silva.

O empresário pediu ao antigo primeiro ministro 10% dos 25 milhões de euros para ocultar as “luvas”. O dinheiro foi investido em prédios, segundo o Jornal de Notícias.

No âmbito da operação Marquês, José Sócrates está acusado de 31 crimes, partilhando a lista com outros 27 acusados, entre empresas e particulares.

Depois da defesa de José Sócrates dizer que aquela é uma acusação “infundada, insensata e insubsistente, a Procuradora Geral da República, Joana Marques Vidal, reagiu dizendo que o Ministério Público não inventa processos.

“Nós não inventamos os processos, os processos surgem porque há participações, porque há documentos, e iniciam-se investigações porque é obrigatório iniciar perante um conjunto determinado de factos. Não andamos à procura, ou a inventar processos, seja em que situação for”, defendeu.

Motorista de Sócrates pensou em fugir com o dinheiro que ajudava a esconder

João Perna, motorista de Sócrates, que também está acusado de branqueamento de capitais, gabou-se numa escuta do Ministério Público, de outubro de 2013, de ter recebido do antigo primeiro ministro dinheiro que dava para viver até “agosto do ano que vem”, divulga o Correio da Manhã.

Ao segurança do edifício Heron Castilho, onde Sócrates tinha casa, Perna disse que ponderava não distribui o dinheiro por quem Sócrates ordenara, como era sua obrigação, já que a origem era tão clandestina e não havia provas da entrega.

Perna tinha a “missão” de distribuir pela família e amigas de Sócrates o dinheiro que lhe era entregue pelo primeiro ministro através de Carlos Santos Silva, além de pagar despesas correntes, como viagens e fazer de correio de envelopes de dinheiro entre Sócrates, Carlos Santos Silva e outros.

(dr) lusoPT.com

O empresário Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates

Aquilo é tudo pela porta do cavalo… aquilo não veio de bancos, não veio de nada, aquilo vem do esconderijo”, descrevia a um amigo.

Além disso, João Perna disponibilizava ainda a sua conta na Caixa para servir de intermédio cujo destinatário final seria Sócrates ou esquemas como a compra do seu livro. Entre 2011 e 2014 terão passado pela conta de Perna, de acordo com o MP, 150 mil euros para que essas despesas não pudessem ser diretamente ligadas a Sócrates ou à sua conta pessoal.

Se Carlos Santos Silva morrer, primo de Sócrates fica com 80% de duas contas

A TSF garante que os pagamentos feitos ao primeiro-ministro tiveram um momento decisivo, de mudança, entre 2007 e 2008, quando começou a ser conhecida a investigação ao chamado caso Freeport que também envolvia José Sócrates enquanto ex-ministro do Ambiente.

Até aí, de acordo com a acusação do Ministério Público, todo o dinheiro estaria a ser encaminhado para as contas do primo na Suíça, José Paulo Pinto de Sousa.

Como as notícias do Freeport já envolviam tanto Sócrates como o primo, surge Carlos Santos Silva para cortar “qualquer ligação” entre o então primeiro ministro e o primo.

No entanto, no meio deste processo existiam duas contas em que Carlos Santos Silva era “formalmente o beneficiário último dessas sociedades“, mas, “de acordo com instruções fornecidas por estes arguidos ao banco”, em caso de morte 80% do dinheiro seria herdado por José Paulo Pinto de Sousa, o primo de Sócrates, com apenas 20% a ir para a mulher e filha de Carlos Santos Silva.

A herança anterior, que também podia levantar suspeitas, fez com que as novas contas abertas deixassem de ter o nome, mesmo que indiretamente, do familiar de Sócrates “com o intuito de cortar qualquer ligação” possível que surgisse numa eventual investigação.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. e justo, 10% é um valor razoavel para a prestaçao desse serviço… nada contra.
    agora o que e preciso saber era a quem socrates dava dinheiro… o motorista tem que confessar….
    santos silva provavelmente vai mentir… deve dizer que o dinheiro era para salgado…. mas o tribunal deveria averiguar quem recebeu de socrates esses dinheiros que o motorista distribuia. esse sera o ponto fulcral para sabermos qual a base de apoio desses bandidos cor de rosa.

    • E os bandidos cor de laranja aonde estão? E tinham altos cargos tb em Bancos no Governo, recebiam altos dividendos distribuidos pelo amigo do BPN. E até há um que foi alguns anos primeiro ministro e não sabia que tinha que descontar para a SSOCIAL.

  2. As finanças ja fixer as contas do imposto da comissão que o Eng Santos Silva ganhou do ex primeiro ministro José Sócrates?

    Ou tambem vai haver um perdão fiscal?

    Aguardemos!!!!

RESPONDER

Governo disponível para retomar reuniões no Infarmed (mas nega falta de informação)

O Governo manifestou esta quinta-feira “abertura para retomar as reuniões” no Infarmed sobre o ponto de situação da epidemia de covid-19, mas rejeitou falhas na informação ao parlamento e aos partidos. Na conferência de imprensa do …

Israel e Emirados Árabes Unidos alcançam "acordo histórico" mediado pelos Estados Unidos

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira que Israel e os Emirados Árabes Unidos concordaram em estabelecer relações diplomáticas plenas, como parte de um acordo para impedir a anexação israelita de terras ocupadas pelos …

Em contingência, Câmaras de Lisboa passam a definir horários do comércio. O (pouco) que muda este sábado

A generalidade de Portugal continental continuará em situação de alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em situação de contingência até ao final do mês devido à pandemia de covid-19, anunciou o Governo. Segundo explicou esta …

Três meses depois do anúncio, o apoio de emergência às Artes ainda não chegou

Cinquenta das 311 entidades abrangidas pela Linha de Apoio de Emergência às Artes, dotada de 1,7 milhões, ainda não tinham esta quinta-feira recebido o valor que lhes foi atribuído, três meses depois do anúncio dos …

Avaliação dos professores, "mock exams" e testes no outono. Britânicos podem "escolher" as próprias notas

O Governo britânico deu aos estudantes de liceu três alternativas diferentes para obterem o resultado das suas avaliações deste ano letivo, que foi atípico devido à pandemia de covid-19. De acordo com o jornal britânico The …

Governo reitera que não há exceções para a Festa do Avante. Críticas multiplicam-se

A ministra de Estado e da Presidência destacou que o Governo “não tem competências legais ou constitucionais” para proibir iniciativas políticas como a Festa do Avante!, mas salientou que não serão admitidas exceções às regras. Na …

Trabalhadores que estiveram em lay-off durante pelo menos 30 dias também vão ter bónus

O Conselho de Ministros aprovou um decreto-lei que clarifica que os trabalhadores que estiveram em lay-off por mais de 30 dias consecutivos, mesmo sem completar um mês civil, vão receber o complemento de estabilização. "Criado com …

Marcelo pede tolerância zero contra o racismo (e pede “sentido nacional” a Governo e oposição)

O Presidente da República recomendou esta quinta-feira aos democratas “tolerância zero” e “sensatez” para combater o racismo, ao comentar as ameaças de que foram alvo três deputadas e outros sete ativistas. “Os democratas devem ser muito …

43% das escolas no mundo sem condições de higiene para reabertura segura

Mais de 40% das escolas no mundo não têm acesso a condições básicas de higiene, como água para lavar as mãos e sabão, aumentando os riscos de reabertura no contexto da pandemia de covid-19, alertam …

Mais seis mortes, 325 novos casos e 237 recuperados

Portugal regista esta quinta-fira mais seis mortes por covid-19, 325 novos casos de infeção e mais 237 pessoas dadas como recuperadas em relação a quarta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …