Carlos Santos Silva cobrou 2,5 milhões para ocultar luvas de Sócrates

André Kosters / Lusa

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

José Sócrates está acusado da prática de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documentos e três de fraude fiscal qualificada, no âmbito da Operação Marquês.

José Sócrates utilizava dinheiro que estava no nome de Carlos Santos Silva, ex-assessor do Grupo Lena. O antigo primeiro ministro movia “avultadas quantias”, que levantaram suspeitas ao Ministério Público.

Sócrates e o empresário justificaram tratar-se de empréstimos com base numa amizade já muito longa. Porém, ao fim de quatro anos de investigação da Operação Marquês, o Ministério Público concluiu que se tratou de “uma prestação de serviços” de Carlos Santos Silva.

O empresário pediu ao antigo primeiro ministro 10% dos 25 milhões de euros para ocultar as “luvas”. O dinheiro foi investido em prédios, segundo o Jornal de Notícias.

No âmbito da operação Marquês, José Sócrates está acusado de 31 crimes, partilhando a lista com outros 27 acusados, entre empresas e particulares.

Depois da defesa de José Sócrates dizer que aquela é uma acusação “infundada, insensata e insubsistente, a Procuradora Geral da República, Joana Marques Vidal, reagiu dizendo que o Ministério Público não inventa processos.

“Nós não inventamos os processos, os processos surgem porque há participações, porque há documentos, e iniciam-se investigações porque é obrigatório iniciar perante um conjunto determinado de factos. Não andamos à procura, ou a inventar processos, seja em que situação for”, defendeu.

Motorista de Sócrates pensou em fugir com o dinheiro que ajudava a esconder

João Perna, motorista de Sócrates, que também está acusado de branqueamento de capitais, gabou-se numa escuta do Ministério Público, de outubro de 2013, de ter recebido do antigo primeiro ministro dinheiro que dava para viver até “agosto do ano que vem”, divulga o Correio da Manhã.

Ao segurança do edifício Heron Castilho, onde Sócrates tinha casa, Perna disse que ponderava não distribui o dinheiro por quem Sócrates ordenara, como era sua obrigação, já que a origem era tão clandestina e não havia provas da entrega.

Perna tinha a “missão” de distribuir pela família e amigas de Sócrates o dinheiro que lhe era entregue pelo primeiro ministro através de Carlos Santos Silva, além de pagar despesas correntes, como viagens e fazer de correio de envelopes de dinheiro entre Sócrates, Carlos Santos Silva e outros.

(dr) lusoPT.com

O empresário Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates

Aquilo é tudo pela porta do cavalo… aquilo não veio de bancos, não veio de nada, aquilo vem do esconderijo”, descrevia a um amigo.

Além disso, João Perna disponibilizava ainda a sua conta na Caixa para servir de intermédio cujo destinatário final seria Sócrates ou esquemas como a compra do seu livro. Entre 2011 e 2014 terão passado pela conta de Perna, de acordo com o MP, 150 mil euros para que essas despesas não pudessem ser diretamente ligadas a Sócrates ou à sua conta pessoal.

Se Carlos Santos Silva morrer, primo de Sócrates fica com 80% de duas contas

A TSF garante que os pagamentos feitos ao primeiro-ministro tiveram um momento decisivo, de mudança, entre 2007 e 2008, quando começou a ser conhecida a investigação ao chamado caso Freeport que também envolvia José Sócrates enquanto ex-ministro do Ambiente.

Até aí, de acordo com a acusação do Ministério Público, todo o dinheiro estaria a ser encaminhado para as contas do primo na Suíça, José Paulo Pinto de Sousa.

Como as notícias do Freeport já envolviam tanto Sócrates como o primo, surge Carlos Santos Silva para cortar “qualquer ligação” entre o então primeiro ministro e o primo.

No entanto, no meio deste processo existiam duas contas em que Carlos Santos Silva era “formalmente o beneficiário último dessas sociedades“, mas, “de acordo com instruções fornecidas por estes arguidos ao banco”, em caso de morte 80% do dinheiro seria herdado por José Paulo Pinto de Sousa, o primo de Sócrates, com apenas 20% a ir para a mulher e filha de Carlos Santos Silva.

A herança anterior, que também podia levantar suspeitas, fez com que as novas contas abertas deixassem de ter o nome, mesmo que indiretamente, do familiar de Sócrates “com o intuito de cortar qualquer ligação” possível que surgisse numa eventual investigação.

ZAP //

6 COMENTÁRIOS

  1. e justo, 10% é um valor razoavel para a prestaçao desse serviço… nada contra.
    agora o que e preciso saber era a quem socrates dava dinheiro… o motorista tem que confessar….
    santos silva provavelmente vai mentir… deve dizer que o dinheiro era para salgado…. mas o tribunal deveria averiguar quem recebeu de socrates esses dinheiros que o motorista distribuia. esse sera o ponto fulcral para sabermos qual a base de apoio desses bandidos cor de rosa.

    • E os bandidos cor de laranja aonde estão? E tinham altos cargos tb em Bancos no Governo, recebiam altos dividendos distribuidos pelo amigo do BPN. E até há um que foi alguns anos primeiro ministro e não sabia que tinha que descontar para a SSOCIAL.

  2. As finanças ja fixer as contas do imposto da comissão que o Eng Santos Silva ganhou do ex primeiro ministro José Sócrates?

    Ou tambem vai haver um perdão fiscal?

    Aguardemos!!!!

RESPONDER

Além de um ícone da ciência, Marie Curie também foi uma heroína de guerra

Marie Curie foi, além de uma cientista conceituada, vencedora de dois prémios Nobel, uma filantropa que usou as suas competências na área da ciência para ajudar a salvar vidas na I Guerra Mundial. Se perguntarmos a …

Incêndios: Costa garante que "nada ficará como dantes", a ministra "não teve férias"

O primeiro-ministro pediu hoje consenso político para a aplicação das recomendações da comissão independente aos fogos de junho e prometeu que, no fim dos incêndios, o Governo assumirá totais responsabilidades na reconstrução do território e …

Mosteiro alemão com 900 anos vai fechar. Não há monges

Um antigo mosteiro na Alemanha, com quase nove séculos de actividade, está prestes a fechar as portas, devido a problemas financeiros e à escassez de monges. À medida que a Igreja Católica vê declinar significativamente o …

Furacão Ophelia com ventos de 150 Km/h faz três mortos na Irlanda

A Irlanda está em alerta vermelho com os ventos provocados pelo furacão a atingirem os 150 km/h. A tempestade provocada pelo furacão Ophelia causou esta segunda-feira a morte de três pessoas na Irlanda, segundo informações da …

Oposição venezuelana não aceita resultados das eleições regionais

O Conselho Nacional Eleitoral dá conta de que o PSUV, o partido no Governo, ganhou em 17 dos 23 Estados do país, nas eleições deste domingo. A aliança opositora venezuelana Mesa de Unidade Democrática (MUD) rejeitou, …

Número de mortos em atentado na Somália já ultrapassou os 300

O número de mortos do violento atentado terrorista registado no sábado em Mogadíscio, capital da Somália, já ultrapassou as três centenas, havendo, porém, a certeza que o total vítimas será ainda maior, indicou fonte médica …

Astrónomos detetam um novo tipo de ondas gravitacionais: "O princípio de uma nova era"

Segundo os cientistas, as novas emissões de radiação agora detetadas são consequência da fusão de duas estrelas de neutrões numa galáxia distante. Uma equipa internacional anunciou esta segunda-feira ter conseguido ver através da luz e das …

Sal no pão vai baixar ainda mais a partir de 2018

O teor de sal no pão vai baixar ainda mais a partir do próximo ano, de acordo com um protocolo que será assinado, esta segunda-feira, entre o Estado e a indústria da panificação e pastelaria. Segundo …

Falsos recibos verdes podem enfrentar "aumento de impostos desumano" em 2018

"Um aumento de impostos desumano", é o que antecipa o fiscalista Mendes da Silva sobre as mudanças no regime simplificado dos trabalhadores independentes, os chamados recibos verdes, que estão previstas no Orçamento de Estado para …

Bancos obrigados a comunicar mais cedo transferências para offshores

Os bancos serão obrigados a comunicar mais cedo à administração tributária a lista das transferências realizadas para contas sediadas em paraísos fiscais sempre que as movimentações ultrapassem os 15 mil euros. As declarações deveriam ser feitas …