“Não tem condições para continuar”. Rio defende demissão de Centeno

Lusa / Lusa

O presidente do PSD defendeu, esta quarta-feira, que o ministro das Finanças “não tem condições para continuar” no Governo, considerando que será uma má decisão se António Costa mantiver “um ministro que não lhe foi leal”.

“Se estava mal, com esta prestação na Assembleia da República, Mário Centeno ainda ficou pior. Não tem condições para continuar“, defendeu Rui Rio na sua conta do Twitter.

“Mal vai um primeiro-ministro que mantém um ministro que não lhe foi leal, que tem a crítica pública do Presidente da República, que a bancada do PS não defendeu e que diz ser irresponsável fazer o que o primeiro-ministro anunciou”, acrescentou.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, Rio lembrou ainda que, “hoje à tarde, no debate no Parlamento, a bancada do PS não o defendeu, limitou-se a criticar o passado para não ter de ficar calado”.

O líder do PSD referiu-se ainda à audição parlamentar de Centeno, na qual este disse que seria irresponsável não se pagar ao Fundo de Resolução e esperar pela auditoria. “Ao dizer isto, está a considerar que quer o primeiro-ministro quer o Presidente da República foram irresponsáveis“.

Questionado sobre se essa eventual demissão deve acontecer antes do debate do Programa de Estabilidade, esta quinta-feira, Rio remeteu a avaliação do timing para o primeiro-ministro.

No entanto, à pergunta se Centeno terá condições para protagonizar esse debate, o líder do PSD foi claro. “Pessoalmente acho que não tem, mas veremos se vem ou não, veremos quem é que o Governo manda amanhã”.

Rio fez questão de salientar que esta posição reflete “o que faria se estivesse no lugar do primeiro-ministro”. “Não é a oposição que faz remodelações, depois há um juízo político sobre o primeiro-ministro se mantém em funções um ministro das Finanças que tem este comportamento”, afirmou.

PS critica “declarações abusivas” de Rio

“Rui Rio fez há pouco declarações abusivas sobre aquilo que foi o debate desta tarde. O debate desta tarde não passou por saber se o ministro das Finanças, Mário Centeno, foi, é ou será ministro das Finanças. Do nosso ponto de vista isso não é minimamente discutível”, disse o vice-presidente da bancada do PS, João Paulo Correia.

Na perspetiva do deputado do PS, “Rui Rio quis desviar aquilo que foi o debate desta tarde para uma certa teoria da conspiração“, repudiando e lamentando que “isso tenha acontecido”.

“O senhor ministro das Finanças tem feito um trabalho notável ao serviço do país”, defendeu João Paulo Correia, considerando que o líder do PSD quis “desviar a atenção quando o PS meteu o dedo na ferida naquilo que foi a responsabilidade do PSD na resolução do BES”.

Paulo Rangel também pede demissão de Centeno

Em declarações à rádio Renascença, no programa “Casa Comum”, o eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, também já tinha pedido a demissão do ministro das Finanças. “Aquilo que em qualquer país normal aconteceria e, se um ministro das Finanças ocultou – ele já disse que ocultou –, evidentemente que tem de tirar consequências disso. Ou tem de ser demitido ou tem de se demitir”, defendeu.

“Isto não é uma coisa infantil, não é uma polémica. Estamos num momento em que estamos a falar de centenas e de milhares de milhões para salvar a economia e de prejuízos. Se há a necessidade de fazer isso para salvar um banco e evitar uma crise maior, isto tem de ser muito bem comunicado nesta altura. Não é uma coisa que uma pessoa se lembre no seu gabinete de fazer sem avisar o primeiro-ministro”.

Esta quarta-feira, na visita à fábrica da Autoeuropa, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou que o primeiro-ministro “esteve muito bem” ao remeter nova transferência para o Novo Banco para depois de se conhecerem as conclusões da auditoria que abrange o período entre 2000 e 2018.

Também hoje, numa audição regimental da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) do Parlamento, o ministro das Finanças afirmou que a transferência de 850 milhões de euros “não foi feita à revelia” do primeiro-ministro.

O ministro das Finanças admitiu, em entrevista à TSF, “uma falha de comunicação” entre o seu gabinete e o do primeiro-ministro, dizendo que o que não houve foi uma “falha financeira”, a qual “teria um caráter desastroso para o sistema financeiro e sistema bancário em Portugal”, considerando que Portugal – no meio de uma crise severa como a atual – “não se pode dar ao luxo de pôr um banco em risco”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ausência de máscara na via pública dá multa a pelo menos 7 pessoas por dia

Entre 28 de outubro e 16 de novembro, a GNR e a PSP aplicaram 825 coimas por incumprimento relativo ao uso de máscara, sendo que mais de 130 foram por falta dela na via pública. De …

França cria "crime de ecocídio" para punir danos graves ao ambiente

A ministra da Transição Ecológica, Barbara Pompili, e o ministro da Justiça de França, Eric Dupont-Moretti, anunciaram a criação do "crime de ecocídio", que visa prevenir e punir os danos graves ao ambiente. Ao Journal du Dimanche, explicaram …

BCE reitera que retoma económica só em 2022 (e "enfraquecida")

Para Philip Lane, economista-chefe do Banco Central Europeu, a vacina traz uma perspetiva para o final do próximo ano e para 2022, mas não para os próximos seis meses. O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), …

Ventura notificado para apresentar defesa em processo por discriminação

A Comissão para a Igualdade e contra a Discriminação Racial (CICDR) notificou André Ventura para apresentar a sua defesa na sequência de alegadas declarações de carácter discriminatório em relação à etnia cigana no Facebook. A comissão …

UNICEF prepara maior operação da história para administrar dois mil milhões de vacinas

A UNICEF anunciou hoje que está a analisar a logística de transporte de cerca de dois mil milhões de vacinas contra a covid-19 para 92 países e que esta será a maior operação internacional da …

China deteta surtos em três cidades e impõe bloqueios e milhões de testes

As autoridades chinesas estão a testar milhões de pessoas, a impor bloqueios e a fechar escolas depois de vários casos do novo coronavírus transmitidos localmente terem sido diagnosticados nos últimos dias, em três cidades. À medida …

Joe Biden escolhe Antony Blinken para secretário de Estado

O Presidente-eleito escolheu Antony Blinken - um dos seus assessores mais antigos e mais próximos de Joe Biden - para o cargo de secretário de Estado, decisão que ainda terá de ser validada pelo Senado …

Portugal regista mais 74 mortes e 4044 novos casos de covid-19

Portugal regista, esta segunda-feira, mais 74 mortes e 4044 novos casos de infeção por covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 4044 novos casos, 2258 …

Ordem dos Médicos quer alargar proibição de circulação aos dias entre os feriados

O Gabinete de Crise para a covid-19 da Ordem dos Médicos está a pedir ao Governo que pondere a possibilidade de manter a proibição de circulação entre concelho nos 12 dias das duas pontes - …

Deputada não inscrita Cristina Rodrigues consegue acordo do Governo para várias propostas

No segundo dia de votações do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) na especialidade, a deputada não inscrita Cristina Rodrigues chegou a acordo com o Executivo para propostas como programas de saída e apoio a …