Puigdemont não pediu asilo: pede que a UE resolva a crise catalã

Alberto Estevez / EPA

O presidente destituído a Generalitat de Catalunya, Carles Puigdemont

O presidente catalão destituído, Carles Puigdemont, falou aos jornalistas a partir de Bruxelas, na Bélgica.

Depois de muito se especular sobre qual seria o próximo passo de Puigdemont, o presidente destituído da Catalunha falou aos jornalistas para esclarecer a situação.

Se a União Europeia não foi até Espanha, os independentistas catalães vão até à União Europeia: foi esta a explicação adiantada por Carles Puigdemont, que inicialmente se refugiou em Girona, após a declaração unilateral de independência da região da Catalunha, seguindo depois para Marselha, em França, e acabando em Bruxelas, a partir de onde falou.

Inicialmente, especulava-se que Puigdemont tivesse “fugido” para a Bélgica uma vez que o país ofereceu asilo político ao presidente destituído.

Essa ideia foi afastada inicialmente pelo Governo belga, que disse que “quando se pede independência, o melhor é permanecer junto da sua gente” e reafirmando que só concederiam asilo político, caso se provasse que o governo catalão destituído estava a ser alvo de sérias perseguições.

Logo a seguir, Puigdemont afastou também a possibilidade de pedir asilo, explicando que se deslocou a Bruxelas “para obrigar a União Europeia a encontrar uma solução” para a crise na Catalunha.

Nas mesmas declarações, Puigdemont, que falou em três línguas – catalão, francês e inglês -, denunciou uma “ofensiva altamente agressiva” que Madrid estaria a preparar contra o seu governo regional.

Carles Puigdemont diz que o governo regional assumiu “que o diálogo que sempre assumimos para uma saída dos catalães seria, nestas condições, impossível” perante aquilo a que chama de “ofensiva altamente agressiva contra o governo regional da Catalunha e funcionários”.

“Depois do referendo de 1 de outubro a nossa mão esteve estendida para o diálogo, até ao fim”, disse, acrescentando que o PSOE e Partido Popular não respeitaram essa postura.

Puigdemont reafirmou ainda que, ao contrário de Carme Forcadell, a presidente do parlamento regional destituído, que aceitou a destituição de Mariano Rajoy, continuará a “trabalhar como um governo legítimo”.

Depois de parte da população da Catalunha ter dito ficar “desiludida” com a fuga de Puigdemont, o presidente destituído explicou que “se tivesse ficado na Catalunha em resistência haveria uma onda de violência“, o que o levou então a ir até Bruxelas para “acalmar a situação e não contribuir para essa confrontação e assim poder agir como um governo”.

Carles Puigdemont aproveitou também o momento para anunciar que se candidata às eleições de 21 de dezembro, convocadas pelo Governo de Madrid.

“Vamos assumir as eleições convocadas pelo Estado espanhol como um repto democrático”, disse Carles Puigdemont, em relação às eleições antecipadas de 21 de dezembro, convocadas na passada sexta-feira por Mariano Rajoy.

“Vamos aceitar o repto e vamos dar resposta a eles e a toda a comunidade internacional. É a votar que se resolvem os problemas, não levando pessoas para a prisão”, pediu o presidente destituído.

Governo destituído pode enfrentar até 30 anos de prisão

O magistrado Pablo Llarena Conde tornou público que a presidente do parlamento catalão, Carme Forcadell, e os outros membros da presidência deste organismo, terão de prestar declarações ainda esta semana, nos dias 2 e 3 (quinta e sexta-feira).

Serão interrogados na qualidade de pessoas a serem investigadas e devem comparecer com advogado.

Durante a conferência, Ramona Barrufet, ex-conselheira do governo regional, foi confrontada com a pergunta de se estaria preparada para enfrentar 30 anos de prisão, ao que a ex-conselheira retorquiu: “Será possível que, se houver um julgamento justo, nós sejamos condenados a 30 anos de prisão? Faça-nos esta pergunta”.

Puigdemont defendeu também não acreditar na possibilidade de ir preso. “O Governo espanhol ameaça-nos com 30 anos de prisão por termos cumprido o programa eleitoral, o mesmo que foi apresentado às autoridades espanholas sem qualquer oposição, um programa que foi aceite na altura no parlamento, era prometido que a legislatura acabaria com a declaração da independência”, disse Carles Puigdemont.

No entanto, Puigdemont já nomeou como advogado Paul Bekaert como seu advogado. Bekaert é conhecido por ser um antigo advogado da ETA.

Cláudia Fernandes CF, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Conclusão vocês é que fizeram a M—- e agora querem que seja a UE a resolver?? Povo vê isto, podem confiar neste tipo de gente?

  2. Se o Socrates e o Salgado pediram para os outros pagarem as dívidas, também este pode pedir para a UE resolver o problema.
    Entretanto ele está aberto a dialogo em Espanha mas não quer falar Espanhol.
    Está bem?!?!?!?!?

RESPONDER

Eis AlphaDog, a resposta da China para o cão-robô norte-americano Spot

A empresa de tecnologia Weilan, sediada em Nanjing, na China, desenvolveu o AlphaDog, um cão-robô que usa sensores e inteligência artificial (IA) para realizar uma série de aplicações, incluindo entrega de encomendas e orientação para …

E se a vacina contra a covid-19 se chamasse Trumpcine? O "sir" sugeriu e Donald Trump gostou

No fim de semana passado, durante um encontro do Comité Nacional Republicano, o ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que alguém sugeriu que as vacinas disponíveis contra a covid-19 deveriam receber o seu nome. …

O custo da paz mundial é bastante inferior ao custo da guerra

Um recente relatório do Instituto de Economia e Paz (IEP) conclui que o custo dos países com a violência é bem superior ao custo com a paz mundial. O Instituto de Economia e Paz estima que, …

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …

Bolsonaro diz que confinamentos transformaram o Brasil num "barril de pólvora"

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, alertou esta quarta-feira que o país se tornou "um barril de pólvora" devido às medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos para tentar conter a disseminação da covid-19. "O Brasil está …

Valentina poderia ter sobrevivido se socorrida, afirma médico legista

O médico responsável pela autópsia de Valentina, a criança de nove anos que morreu após graves agressões, admitiu hoje ao Tribunal de Leiria que a menina poderia ter sobrevivido, "com sequelas", se tivesse sido socorrida. A …

Marcelo admite confinamentos locais, fala em "reta final" e aponta à "recuperação social"

O Presidente da República afirmou esperar que o estado de emergência esteja a caminhar para o fim, sem dar como certo que esta seja a sua última renovação, e admitiu confinamentos locais para conter a …