OE2020. Carga fiscal é ainda maior do que o previsto, alerta UTAO

Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O conceito de carga fiscal usado pelo Ministério das Finanças na proposta orçamental não corresponde ao utilizado pelo INE e pela Comissão Europeia, afirma a UTAO, dando que o valor é “ainda maior” do que o previsto pelo Governo.

Segundo a Unidade de Apoio Técnico Orçamental (UTAO), “o conceito de carga fiscal utilizado pelo Ministério das Finanças no Projeto de Plano Orçamental para 2020 de dezembro não corresponde ao utilizado habitualmente pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] e pela CE [Comissão Europeia], por não incluir os impostos sobre a produção e a importação cobrados em Portugal a favor do orçamento da UE [União Europeia]”.

Na apreciação final à proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), os técnicos do parlamento contam que fizeram uma revisão do indicador de carga fiscal utilizado no plano orçamental, “de modo a torná-lo comparável com os resultados já apurados até 2018 e que incluem aquela parcela de impostos cobrada em território nacional”.

A revisão mostrou que a proposta orçamental “tem subjacente um aumento de carga fiscal em 2019, de 34,9% em 2018 (de acordo com os últimos resultados de contas nacionais publicados em dezembro último) para 35,0% em 2019”.

Já para 2020, continuam os peritos, “as projeções orçamentais têm implícito um novo aumento da carga fiscal, para 35,3% do PIB [Produto Interno Bruto]”.

Mas, defendem, “se adicionalmente se considerar a receita de impostos e contribuições sociais que não se encontrava especificada nas medidas de política orçamental, o aumento da carga fiscal em 2020 subjacente à proposta de OE2020 afigura-se ainda maior”, colocando-a em 35,4% do PIB, que é “o patamar mais elevado da história recente”.

Segundo os técnicos, na proposta de OE2020, “encontram-se omissas receitas de impostos e contribuições sociais de 223,7 milhões de euros em 2020, dos quais 213,7 milhões de euros associados a medidas de anos anteriores com efeitos de ‘carry-over’ em 2020 e 10 milhões de euros decorrentes de novas medidas de política”.

A UTAO refere que questionou o Ministério das Finanças sobre estes montantes de receita em falta, mas “até ao fecho do relatório não foi possível obter um esclarecimento escrito”.

Carga fiscal histórica mas inferior à média da zona euro

Apesar do valor histórico, a carga fiscal em Portugal é inferior à registada, em média, nos países da zona euro, dizem os técnicos do parlamento referindo que em 2018 foi de 34,9% do PIB em Portugal, contra 40,8% na área do euro.

A UTAO indica ainda que há diferenças na estrutura da carga fiscal, já que em Portugal é “mais concentrada na tributação indireta” representando 44% do total em 2018, enquanto nos países da zona euro a tributação indireta assume, em média, 33,1% do total.

Mário Centeno, que lidera a pasta das Finanças, tem reiterando que o OE2020 não implica um aumento da carga fiscal para os portugueses, dizendo ainda que para o cálculo desta há que distinguir contribuições sociais e impostos.

“A receita fiscal tem diminuído em resultado de medidas tomadas pelo Governo. É honesto dizer que se queria ir mais longe (seria importante saber, no tal equilíbrio, quais as despesas que se eliminariam), é honesto dizer que se desciam outros impostos (e não aqueles que o anterior Governo desceu e que este Orçamento do Estado continua a descer), mas não é honesto dizer que houve aumento de impostos”, afirmou o governante, na abertura da conferência anual da Ordem dos Economistas, a 15 de janeiro.

Centeno recorda mesmo que as contribuições sociais têm aumentado em função do aumento “absolutamente extraordinário” de emprego e dos salários nos últimos anos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Estavam à espera do quê ? Com esta malta e outra parecida a mandar os impostos não param de aumentar. Depois dão assim 10 euros aos reformados, mais uns dinheiros ao SNS, aumentam os valores das baixas por gravidez e não há uma estratégia para Portugal.

  2. O Sr Centeno diz que não existe aumento de impostos, existe é um aumento de receitas em termos absolutos porque existem mais pessoas a pagar impostos e menos a receber apoios por motivo da redução da taxa de desprego, ora que justificação mais ofensiva está, pois se os valores são apresentados sob a forma de percentagem, a carga fiscal está de facto a aumentar, e se existe menos desemprego e logo mais receitas, então o que se espera só pode ser um alívio fiscal para quem nos maus momentos carregou com o país às costas, não o contrário.
    Austeridade dissimulada é o que isto é.

  3. O que estes gajos dizem que temos os impostos mais baixos da zona euro, pois estão enganados porque não ganhamos o ordenado mínimo de 3000€, mas para cálculo é a Europa para ordenado só conta o valor que querem dar o mínimo de 600€ , os políticos deviam de ganhar o ordenado mínimo nacional e ver se conseguiam viver.

"Adiem a Liga dos Campeões", pede o Borussia Dortmund

Sorteio está marcado para esta quinta-feira mas Michael Zorc avisa: "Faltam requisitos legais para a fase de grupos arrancar". A fase de grupos da Liga dos Campeões vai começar, pela primeira vez, em outubro. A primeira …

Artista "ressuscita" 54 Imperadores Romanos com ajuda da Inteligência Artificial

Artista canadiano usou um ramo da Inteligência Artificial para criar retratos ultra-realistas de antigos Imperadores Romanos como, por exemplo, Calígula, Nero e Adriano. A aparência física destes antigos Imperadores Romanos foi preservada em centenas de esculturas …

Cantar pode ser uma má ideia durante a pandemia

Uma nova pesquisa revelou que cantar em grupo pode ser perigoso em termos de propagação de patógenos. Esta é só mais uma prova de que 2020 chegou para pôr um travão na diversão. A Universidade de …

Emirados Árabes Unidos anunciam missão espacial à Lua para 2024

Um alto responsável dos Emirados Árabes Unidos disse hoje que o país tenciona enviar para a Lua uma nave com um veículo não tripulado em 2024. O desejo de pisar a lua é uma ambição de …

Exército norte-americano quer ter acesso à rede de satélites da SpaceX

O exército dos Estados Unidos está de olho na Starlink, a constelação de satélites da SpaceX, cujo CEO é o multimilionário Elon Musk e que tem como objetivo levar Internet de banda larga a todos …

Portugal tem cada vez menos água disponível

Portugal tem cada vez menos água disponível e nos próximos cem anos a precipitação em certas regiões do país, como o Algarve, pode sofrer uma redução de até 30%, alertou esta terça-feira a Associação Natureza …

Tel Aviv vai ter estradas elétricas que recarregam autocarros em movimento

Tel Aviv, em Israel, está a trabalhar na criação de estradas elétricas sem fios para carregar e fornecer energia aos transportes públicos da cidade. As estradas elétricas são parte de um programa piloto liderado pelo município …

Suicídio entre militares norte-americanos aumenta 20% em época de covid-19

Os suicídios entre os militares subiram 20% este ano em comparação com o mesmo período de 2019, registando-se um aumento nos incidentes de comportamento violento à medida que as tropas lutam contra a covid-19 e …

Turista apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma. Arrisca ser condenado a prisão

Um turista foi apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma, em Itália, e arrisca ser punido com um até um ano de prisão. De acordo com o diário italiano La Repubblica, o turista, …

Função Pública. Fesap exige subida de remuneração mínima para 693 euros

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exige que a primeira posição da Tabela Remuneratória Única avance para 693,13 euros em 2021 e uma atualização do subsídio de refeição para seis euros. Estas duas medidas …