/

“Coordenem-se!” Murro na mesa de Marcelo perante a descoordenação do Governo

53

José Coelho / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa dá sinais de que pode ser menos tolerante com o Governo socialista neste seu segundo mandado. E a forma como está a decorrer o combate à nova vaga de covid-19, com números trágicos para o país, pode ter sido a gota de água na relação pacífica entre o Presidente e o primeiro-ministro.

Aquando da reeleição, Marcelo Rebelo de Sousa deu a entender que poderia ser mais exigente com o Governo neste segundo mandato. Esse tem sido o pedido insistente de Rui Rio.

E numa altura em que muito se critica o Governo pela forma como está a gerir esta nova vaga de covid-19, com falhas no processo de vacinação e a sucessão de casos de vacinação indevida, além dos números trágicos das mortes, Marcelo Rebelo de Sousa dá um “murro na mesa”.

“Coordenem-se”, terá dito a António Costa, conforme relata o jornal Sol que sustenta que o Presidente alertou o Governo de que “tem de haver maior coordenação”, nomeadamente “na primeira linha do combate à pandemia”.

Não pode haver mais falhas e tanto descontrolo“, terá alertado Marcelo.

Esta postura surge depois de Portugal ter tido um Janeiro negro, com as mortes por covid-19 a dispararem.

Por outro lado, a descoordenação no processo de vacinação também tem sido patente. E foi uma situação de vacinação indevida que levou à demissão do coordenador da task-force definida pelo Governo para gerir o processo de aplicação das vacinas.

A escolha do vice-almirante Gouveia e Melo, um militar de carreira reconhecido, para coordenar a task-force foi bem recebida em Belém e pode ter sido um sinal de Costa a Marcelo, como quem diz que está atento às suas recomendações.

A título oficial, Marcelo tem dado sinais de “união total” com o Governo. Mas começa a ser evidente que a história de amor entre a Presidência e o Governo pode ser um pouco diferente neste segundo mandato.

Afinal, como acontece em todos os casamentos de longa duração, a “lua-de-mel” não dura para sempre.

 

  ZAP //

53 Comments

  1. Era hora de porem gente que sabe gerir cenários de crise (e com tomates) à frente do que se tornou uma pessegada pela incompetência destes amigos do costume.

    • Pra que vota noutros, se calhar a descoordenação começa logo no povo que os elegeu. Mas sendo assim a sua opinião é suspeita e parte interessada na difamação do governo.

      • Difamação do governo?!
        Mas o governo precisa que alguém de fora o diga-me?!
        Eles já estão piores que o RR a dar tiros nos pés.
        Agora até querem meter o Lopes em Coimbra.

  2. O grande problema é que não conseguem criar processos bem definidos, logo é um problema estrutural, de coordenação e gestão de recursos, ou seja, das chefias, dos boys que lá andam a tirar partido em benefício próprio. Só espero não precisarmos de militares para “outras coisas”…

  3. Marcelo e o povo! O murro na mesa terá de ser dado nas próximas legislativas. Governo NENHUM deve ficar mais de 2 mandatos e já ficar um segundo não é boa ideia. O poder corrompe e o poder desmedido corrompe desmedidamente.

    • …lamento informar, mas a maioria do povo QUE VOTOU, votou Marcelo sim. Quem se absteve não tem, literalmente, qualquer voto nas decisões democráticas deste país.

        • E porquê que quem não votou (ou não vota), não pode opinar? Ou dar palpites?

          Da última vez que olhei, é o direito de qualquer cidadão votar ou não votar. Já pensou que não votar poderá ser, em sim mesmo, uma tomada de posição politica?

          Repare que não estou a apoiar (nem a condenar) quem não vota. É apenas uma dúvida (saudável e sem picardia) que me assaltou ao ler o seu comentário.

  4. Só escrevem estupidezes…
    A maioria nunca leu um livro….
    Deviam viver noutro país ou saberem o que lá se passa e certamente estariam caladinhos …

  5. Pois sim! Mas são sempre giros, estes títulos e tretas! Principalmente com as supostas acções (murro na mesa…kkkkkkk!) de alguém que tem estado a contribuir, ao máximo, para a descoordenação, seja pelas tiradas profundamente infelizes e desadequadas – é só fazer um apanhado desde Fevereiro/Março de 2020 – seja pela defesa e cumplicidade na absoluta incompetência e corrupção das supostas lideranças. O Doutor Selfie enredado nos seus números de circo!!! Ele sabe bem que que é com palhaçadas que se entretém o Povinho!!! Assim sim, isto vai (continuar a) ser um sucesso!!

  6. Costa levou um puxão de orelhas do Presidente. Imediatamente telefonou ao médico responsável da task-force e disse-lhe que pedisse a demissão, para não passar pela vergonha de ser demitido. Por isso, o médico nem piu disse. Ninguém o ouviu falar nas horas seguintes. Finalmente vi Marcelo mostrar-se como Presidente. Ao fim de 5 anos já não é sem tempo.

  7. O pior governo da história de Portugal. Esse feito já ninguém lhes tira. Nunca vi tal coisa. E já não vou para novo.

  8. Só acredito no Marcelo quando ele der um murro no Costa, ou nele próprio! Ambos bem merecem. A mesa não tem culpa nenhuma!

  9. É evidente que agora Marcelo já não depende de mais ninguém, vai cumprir o seu segundo mandato e depois ponto final, portanto agora poderá ser mais fiel com os seus princípios e a vida de Costa poderá ficar um pouco mais dificultada, o mal está em que na generalidade todos os políticos utilizam a mesma estratégia, primeiro cativam para criar empatias e mais tarde com um pouco mais de coragem já nada tendo a perder poderão agir um pouco mais em conformidade com o que será mais justo.

    • Talvez por isso os mandatos deveriam ser mais longos mas sem possibilidade de renovação. Assim não andava, como andou Marcelo desde o primeiro dia do seu mandato, a trabalhar na reeleição. Talvez se soubessem que, uma vez exercido um cargo, a ele não poderiam voltar JAMAIS, isto fosse um bocadinho melhor.

  10. Se estiver de facto com vontade para exercer o seu mandato em pleno e na estrita observância da letra da CRP, agora que já não necessita do apoio para a reeleição, não dou até ao final do ano para que o governo de Costa caia. Bem mais grave do que tudo isto foi o caso do procurador europeu. Por bem menos Santana foi apeado por Sampaio, abrindo portas a Sócrates.

  11. Que quererá o presidente dizer com o coordenem-se e com o “murro em cima da mesa”?
    Desejará que o governo desconfine no dia dos namorados e carnaval?!…
    Eu é que já não entendo o que andam a fazer e conforme mudam de toilete mudam de ideias…

  12. Governem bem ou governem mal, só a si próprios cada um é igual. E isto para dizer que quem for perfeito dê um passo em frente. Toques diferentes mas danças se não iguais, sempre muito parecidas. Quem está dentro quer ficar e quem está fora tudo faz para entrar. E isto se vem repetindo a cada legislatura. E é ver como os abutres procuram se abeirar da presa estudando e aplicando as mais díspares estratégias. E quando se aproxima a hora da janta, então seus ataques são inversamente proporcionais ao tempo que resta. Afinal desde que a revolução aconteceu já nem sei quantas vezes vi estes “filmes”. Com tudo isto pouco ou nada terei dito, ou, talvez até tenha dito tudo. Quantos como eu estarão já fartos e cansados de ver as coisas se repetindo e sem verem o que ainda chegaram a acreditar que um dia iria acontecer. Estou ainda expectante para ver o que irá acontecer após esta triste calamidade… possivelmente a repetição de mais do mesmo…

    • Tem sim. Muuuiiita! Por não ter rodinhas e não sair de mansinho de entre os dois quando eles estão desejosos de se lamberem mutuamente.

  13. O Marcelito está triste, pois este é o seu último mandato. Cabe-lhe a nobre tarefa do fingimento, para parecer que vai corrigir o que ficou por corrigir nas passadas vagas da pandemia. De qualquer forma, este palhaço matou a Democracia, portanto, a moral que tem fez sofrer uma mesa que arcou indevidamente com as culpas.

  14. Eu estou mesmo admirada, como é possivel que li isto tudo e não tirei nada de útil, o único que constatei, é que estes comentadores não tem analogia imparcial, ou seja querem babás? pois então não são melhores que eles! tais governantes tal povo tudo farinha do mesmo saco.

    • Bem ! ..lendo o seu comentário também não “tirei nada de útil” em respeito ao artigo. É o que é, Politica e nada mais que o habitual. Mas um pouco de ironia diz por vezes muito mais que grandes opiniões imparciais ou não! Quando sair de casa não se esqueça, portanto de se sacudir da (farinha) na qual está incluída !

  15. É engraçado! Aqui todos falam grosso, insultam-se, etc. Ninguém, ou quase ninguém participa na vida democratica do país. Vejam, nas assembleias municipais que é onde se discutem os problemas do concelho e das freguesias, no fundo os problemas de cada um, quase ninguém aparece a reclamar nada. Parece que os portugueses tem medo de confrontar o presidente da camara com os seus problemas reais. A obrigação é deles (equipa camarária) em resolver os problemas reais dos cidadãos e não o contrário. Acordem!

  16. Lendo esta parede de comentários fica bem patente um dos ‘cancros’ da democracia: Comentar politica como se fosse futebol. O que interessa é a cor da camisola. A partir daí, está sempre tudo certo ou permanentemente errado.

    Vocês comentam com o mesmo nível de fanatismo que os políticos fazem politica. Defendendo cegamente a sua cor ou atacando selvaticamente a cor do outro.

    Ao ler estes comentários quase fico convencido que tudo o que é politico incompetente em Portugal está, por algum acaso cósmico, arrumado neste governo sendo os restantes verdadeiros exemplos de retidão profissional e moral. Só que não…. Não São!

    Os partidos que vocês fanaticamente defendem, estão repletos do mesmo tipo de pessoas. Pessoas que numa situação destas, tentariam (com toda a certeza) fazer o melhor possível… e iriam falhar porque falhar, é parte indissociável do processo de aprendizagem.

    O que o governo (este ou outro qualquer… estou-me a borrifar para a cor da camisola) precisa num momento destes, é apoio. Falhar todos falhamos. O que realmente interessa é o que fazemos com a informação que recolhemos do erro que cometemos.

    Uma última nota: Nunca votei em eleição nenhuma, PS.

  17. Eu já encontrei muita gente boa cheia de farinha podre, o importante é olhar para as pedras que atiramos, não nos vão elas cair em cima, enquanto à minha farinha não se preocupe, eu estou sempre a sacudi-la.

  18. O pior governo da história de portugal, foi sem dúvida o de passos coelho. Incompetentes até ao limite do absurdo (relvas, aquela senhora das finanças que tirou o curso na autónoma, o apagão fiscal, a “reforma da administração pública”, queda do pib semelhante à da pandemia, cenas do cavaco, enfim…). O do sócrates era um governo com boas ideias, composto por muito ladrões. Aos outros, já a história os levou.

    • Quando era miúdo os médicos aconselhava tomar fósforo para que a memória não faltasse.
      O Sr. não deve ter tomado.
      O PPC teve de gerir um acordo assinado pelo governo competente do Sócrates. É verdade que fez coisas más, muito más…mas olhe que não foi pior por ele se ter oposto. Daí os controladores que cá vinham estarem sempre a obrigar a correções.q

      • Não sejas Ventura, perdão, mentiroso!…
        O acordo com a troika também foi assinado pelo PSD e, o PPC foi ORGULHOSAMENTE além dele – com o resultado que se viu!!
        O país vendido ao desbarato a interesses estrangeiros enquanto brindava o povo com o maior aumento de impostos de sempre e, mesmo assim, conseguiu atingir a maior a dívida de sempre!!
        Como prémio pelo excelente serviço, lá foi o Gasparzinho para um tacho milionário no FMI!!

  19. Quando recebo a rolha, não quer dizer que me vai calar, porque na verdade, ainda dizem que estamos em democracia! já não estamos, eu sei muito bem! portanto a rolha não me diz nada, o mais importante é saber onde anda o barco, sei que há quem não saiba o comportamento dos pinguins para se aquecerem! eu não preciso. Ora vejamos, o senhor atento ficou muito ofendido com a farinha do mesmo saco, e até me mandou sacudir quando eu sair de casa, pois não me ofendeu, eu ando com os pés na terra, não ando a vaguear, mas isso é apenas porque ele não tem consciência das sociedades como elas são feitas queira eu ou não, faço parte daquilo que me rodeia, ou então teria saído no dia em que nasci, para outro país, ou ficava isolada sem ter comunicação com ninguém e vivia sozinha até que a vida me levasse. Porque quem faz, faz, quem não faz e não diz que não gosta é conivente.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.