Marcelo é candidato independente (mesmo com o apoio da direita)

PSD / Flickr

Pedro Passos Coelho e Marcelo Rebelo de Sousa na comemoração do trigésimo aniversário dos TSD. 11 de janeiro de 2014.

Pedro Passos Coelho e Marcelo Rebelo de Sousa na comemoração do trigésimo aniversário dos TSD. 11 de janeiro de 2014.

Depois de Passos Coelho ter dado a entender que o PSD o vai apoiar na corrida à Presidência a partir de dezembro, Marcelo Rebelo de Sousa voltou este sábado a afirmar que, independentemente dos apoios que receber, será sempre um candidato independente.

Questionado sobre as declarações de Passos Coelho que, em entrevista à RTP, disse que o seu partido vai tomar uma decisão em Conselho Nacional em dezembro sobre o apoio formal à candidatura presidencial, Marcelo Rebelo de Sousa reiterou que é um candidato independente.

“Eu já tive ocasião de dizer”, referiu o candidato, “que a minha candidatura é independente, está aberta a todos os apoios que venham a surgir ou não, não pede apoios e, portanto, não me cabe a mim decidir aquilo que partidos, movimentos, grupos, pessoas pensem acerca das presidenciais e dos apoios que devem dar ou não”.

No entanto, o candidato reconheceu que esse apoio é bem-vindo, comentando que “há uma diferença grande entre as eleições presidenciais e as eleições parlamentares, entre um presidente e um líder partidário”, pelo que “não há que confundir as duas coisas”.

À pergunta se tal apoio fortaleceria a sua candidatura, o social-democrata respondeu que a candidatura é “forte por aquilo que se propõe fazer, em termos nacionais, independentemente dos apoios”.

Sobre a sondagem divulgada pela Eurosondagem, segundo a qual Marcelo lidera a corrida às presidenciais com 48% dos votos, mas sem conseguir os necessários para vencer à primeira volta, o candidato repetiu que quando era comentador político “estava completamente convencido de que estas eleições iriam ser decididas à segunda volta”, mas agora, perante as sondagens conhecidas, admite que possa ser à primeira volta.

“Eu fazia a análise num contexto de uma realidade e eu hoje estou a olhar para as sondagens que retratam outra realidade”, justificou, quando questionado sobre o que mudou.

Além de Passos Coelho, é possível que Paulo Portas e o CDS estejam também disponíveis para apoiar Marcelo, avança o DN. Caso isso seja verdade, estariam reunidas as condições para respeitar a aliança entre os dois partidos de apoiar uma candidatura em comum à Presidência.

Belém já pensa na vitória à 2ª volta

A candidata Maria de Belém disse estar convicta de que vai ganhar as eleições presidenciais numa segunda volta, considerando ser “a pessoa mais bem preparada”.

“A minha convicção é que serei uma candidata vencedora destas eleições numa segunda volta”, afirmou este sábado.

Aos jornalistas, a candidata reiterou que está nestas eleições, marcadas para 24 de janeiro, para vencer.

“Estou realmente nesta campanha para ganhar, porque considero que sou a pessoa mais bem preparada para o efeito, considero que sou a pessoa que tem mais experiência nacional e internacional para o efeito, considero que sou a pessoa que tem mais conhecimento do país naquilo que ele tem de melhor e naquilo que ele tem de mais fragilizador”, salientou.

A ex-presidente do PS acrescentou que tem “a energia, a capacidade e a vontade mobilizadora no sentido de contribuir para que Portugal e os portugueses resolvam muitos dos seus problemas estruturais”.

Quanto à campanha para as eleições presidenciais, Maria de Belém antevê “uma oportunidade fantástica para que os portugueses analisem bem o perfil das pessoas que se candidatam a esta função”.

A democracia exprime-se através das escolhas na altura das eleições e os candidatos devem manifestar as suas posições, as suas ideias e devem sujeitar-se ao escrutínio dos eleitores, é isso que estou a fazer”, adiantou.

Questionada sobre se todos os candidatos têm sido claros relativamente às posições assumidas, Maria de Belém referiu estar preocupada com a força das suas convicções.

“Aquilo que eu faço é apresentar as linhas gerais da minha candidatura, definir prioridades no sentido da mobilização que pode constituir e que deve constituir o papel do Presidente da República e afirmar muito claramente o meu perfil de democrata, de defensora das liberdades, de defensora do Estado social enquanto criador do quadro adequado ao exercício dessas mesmas liberdades e mostrar também tudo aquilo que foram os mais de 40 anos de exercício de vida pública e política”, referiu.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pensamentos suicidas e a cor de pele do filho. Revelações de Meghan e Harry abalam família real britânica

A aguardada entrevista do duque e da duquesa de Sussex, conduzida por Oprah Winfrey, foi transmitida este domingo e pôs a família real em xeque. O casal, que deu a primeira entrevista desde que renunciou …

Portugal fecha Europeus de atletismo num inédito segundo lugar

Portugal, com três títulos nos Europeus de atletismo de pista coberta de Torun, na Polónia, fecha a edição com um inédito segundo lugar no quadro de medalhas, logo atrás de Holanda, que obteve quatro ouros. O …

Constança Bradell já reuniu quase 200 mil euros, mas Kaftrio é só de dispensa hospitalar

Constança Bradell, a jovem de 24 anos que sofre de Fibrose Quística, já reuniu quase 200 mil euros, mas associação lembra que o Kaftrio é só de dispensa hospitalar. Depois do apelo emocionado nas redes sociais, …

Peritos revelam critérios do desconfinamento. Escolas e restaurantes devem reabrir após a Páscoa

Presidente da Repúblicas e Governo ouviram, nesta segunda-feira, as explicações dos especialistas sobre a situação da covid-19 em Portugal. Na reunião no Infarmed, foram apresentados os critérios para o plano de desconfinamento. Os especialistas que têm …

Rúben Amorim arrisca suspensão de 1 a 6 anos após acusação de fraude

O Sporting está a ser acusado de fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador. Um caso que resulta de participação feita pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) e que pode valer ao …

MAI impõe mínimo de mulheres no recrutamento para a GNR e PSP

O Ministério da Administração Interna (MAI) vai incluir nas regras de recrutamento em 2021 indicadores mínimos de 15% de mulheres na incorporação para guardas da GNR e de 20% para agentes da PSP. No âmbito da …

Pedro Nuno Santos diz que PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta

O ministro das Infraestruturas e da Habitação defendeu, este domingo, que o PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta, mas sim colaborar com BE e PCP porque a geringonça "não pode ser …

Joan Laporta eleito presidente do Barcelona (e já falou sobre o futuro de Messi)

Joan Laporta foi eleito presidente do FC Barcelona, este domingo, sucedendo ao contestado Josep Maria Bartomeu, ao recolher 30.184 votos (54,28% do total), nas eleições para os órgãos sociais do clube espanhol. Joan Laporta, que já presidiu …

Há cargos de supervisão há anos por preencher. João Leão assume atrasos

O Ministério das Finanças assume atrasos na procura por supervisores. Não podem vir do setor bancário e é preciso encontrar mulheres. O gabinete do ministro das Finanças, João Leão, assume atrasos na procura por administradores para …

"Temos de nos preparar". Benfica vai pôr travão no investimento

Após ter gasto mais de 100 milhões de euros em transferências, Jorge Jesus antecipa que o SL Benfica, assim como as outras equipas, vai ter de pôr um travão no investimento. O Benfica foi um dos …