Paulo Morais discorda de Marisa: demitiria mesmo um primeiro-ministro mentiroso

TVI24

Debate entre Marisa Matia e Paulo Morais

Debate entre Marisa Matia e Paulo Morais

O candidato presidencial Paulo Morais afirmou que demite o primeiro-ministro caso falhe as promessas eleitorais, mas a candidata Marisa Matias discordou por considerar que não basta um conflito político para dissolver o parlamento.

No debate deste sábado na TVI24, Marisa Matias e Paulo Morais estiveram de acordo em temas como o veto ao orçamento retificativo, aprovado pelo parlamento em dezembro devido ao problema do Banif, o combate à corrupção e a rejeição de parcerias público-privadas.

Paulo Morais reiterou que demite o primeiro-ministro – seja António Costa ou qualquer outro – caso as promessas eleitorais não sejam cumpridas, porque “ninguém tem direito de mentir aos eleitores”. Para o ex-vice-presidente da Câmara do Porto, “o voto não é a escolha de uma miss simpatia ou de um mister simpatia”.

Marisa Matias contrapôs que “não basta um conflito político para demitir um Governo ou para dissolver uma Assembleia” da República.

A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda rejeitou que se viva “num clima de permanente instabilidade” e que os órgãos de soberania se atropelem, defendendo que não se pode “andar sempre com a bomba atómica [poder de dissolver o parlamento] na mão a achar que ela pode ser detonada a qualquer momento”.

Refutando a posição defendida por Paulo Morais de que o parlamento é um “antro de corrupção”, Marisa Matias disse que na atividade política não são todos iguais e que o Bloco “é dos partidos que mais propostas tem apresentado” para combater a corrupção. “Quando colocamos todos no saco dos corruptos, estamos a fazer um favor aos corruptos”, afirmou a eurodeputada.

Paulo Morais contrapôs com um episódio relativo à privatização da EDP, quando denunciou que o social-democrata Miguel Frasquilho estaria numa situação de promiscuidade entre negócios e política e que o presidente da comissão parlamentar apresentou uma moção de confiança ao então deputado do PSD.

O académico lembrou que tal como todos os deputados da comissão, o BE votou a favor da moção – ao que Marisa Matias respondeu que “na altura foi uma questão formal”, sublinhando que é fundamental que o Presidente da República possa suscitar um debate sobre combate à corrupção, mas também sobre temas como a justiça.

Questionada sobre onde deixa as convicções pessoais contra as regras de Bruxelas se for eleita, a eurodeputada do BE disse que Portugal está numa eleição presidencial e passa o tempo a discutir as regras do Tratado Orçamental, quando se devia discutir a Constituição. Marisa Matias disse que “a Constituição da República é o que vale e deve sobrepor-se ao resto”, referindo que, apesar de concordar com Paulo Morais sobre a escola pública, não é possível cumprir o Tratado Orçamental e ter uma escola igual para todos e um Serviço Nacional de Saúde de qualidade.

No debate deste sábado na TVI24, Paulo Morais considerou que “um dos problemas dos últimos presidentes é que passaram a ideia de que os presidentes devem ser uns inúteis da República”. Paulo Morais disse ainda que não tem um adversário principal e que tenciona, como Presidente da República, pegar em todo o potencial de Portugal e “recuperar a dignidade da pessoa humana”.

As eleições presidenciais, à qual concorrem dez candidatos, realizam-se a 24 de janeiro.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

"Turbulência política", desvalorização do "vírus da China" e geopolítica. China, Irão e Rússia destroem Trump

As eleições presidenciais que se vão realizar no próximo dia 3 de novembro nos EUA têm despertado o interesse dos eleitores, mas não só. São vários os países do mundo que estão de olhos postos …

OE2021. Bloco prepara voto contra. PSD só salva proposta se Costa pedir desculpa

O Bloco de Esquerda prepara-se para votar contra o Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, avança este sábado o semanário Expresso. Governo e Bloco de Esquerda tem negociado nos últimos dias a proposta de …

Inscrição perdida contém a chave para o enigma dos esqueletos de Almaçã

Uma inscrição de pedra desaparecida esconde a chave para o mistério dos esqueletos de Almaçã, enterrados debaixo de uma muralha medieval. Em Almaçã, Espanha, onze corpos foram enterrados debaixo de uma enorme muralha de uma vila …

Espanha prepara-se para decretar estado de alerta

O Governo espanhol prepara-se para decretar estado de alerta em todo o território, depois de ter colocado a região de Madrid neste nível de alerta. A notícia é avançada este sábado pelo jornal espanhol El País, …

Jerónimo de Sousa deve ser reconduzido na liderança do PCP

O atual secretário-geral do PCP deve ser reconduzido no cargo no congresso que está agendado para o final de novembro, avança este sábado o jornal Público. De acordo com o matutino, as atuais regras sanitárias …

Elixir oral (e outros produtos domésticos) poderá ajudar a neutralizar o SARS-CoV–2

Alguns produtos domésticos, como é o caso do elixir oral e produtos para a descongestionar as vias nasais, mostraram-se eficazes em neutralizar um tipo coronavírus num estudo científico levado a cabo com células humanas. A …

Presidente da Polónia com teste positivo de covid-19

O Presidente da Polónia, Andrzej Duda, testou positivo para o novo coronavírus, anunciou este sábado o porta-voz do chefe de Estado. "Como se esperava, o Presidente @AndrzejDuda foi ontem [sexta-feira] submetido a um teste para detetar …

"Com o futebol acabei com a Guerra do Iraque". Jorvan Vieira, o treinador português que é Deus no mundo árabe

Jorvan Vieira é um nome que pouco deve dizer à maioria dos adeptos de futebol. Filho de portugueses emigrados no Brasil, fez grande parte da sua carreira no Médio Oriente, onde é acarinhado por milhões. …

Capacidade de cuidados intensivos na Europa vai chegar ao limite, alerta OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta sexta-feira que muitas unidades de cuidados intensivos na Europa vão chegar ao limite da sua capacidade nas próximas semanas. "Há uma situação muito preocupante a acontecer na Europa. …

Geólogos "ressuscitam" placa tectónica desaparecida

A existência da placa tectónica Ressurreição nunca foi consensual: alguns geólogos argumentam que nunca foi real e outros alegam que a placa sofreu um processo de subducção no manto da Terra, em algum lugar da …