Paulo Morais discorda de Marisa: demitiria mesmo um primeiro-ministro mentiroso

TVI24

Debate entre Marisa Matia e Paulo Morais

Debate entre Marisa Matia e Paulo Morais

O candidato presidencial Paulo Morais afirmou que demite o primeiro-ministro caso falhe as promessas eleitorais, mas a candidata Marisa Matias discordou por considerar que não basta um conflito político para dissolver o parlamento.

No debate deste sábado na TVI24, Marisa Matias e Paulo Morais estiveram de acordo em temas como o veto ao orçamento retificativo, aprovado pelo parlamento em dezembro devido ao problema do Banif, o combate à corrupção e a rejeição de parcerias público-privadas.

Paulo Morais reiterou que demite o primeiro-ministro – seja António Costa ou qualquer outro – caso as promessas eleitorais não sejam cumpridas, porque “ninguém tem direito de mentir aos eleitores”. Para o ex-vice-presidente da Câmara do Porto, “o voto não é a escolha de uma miss simpatia ou de um mister simpatia”.

Marisa Matias contrapôs que “não basta um conflito político para demitir um Governo ou para dissolver uma Assembleia” da República.

A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda rejeitou que se viva “num clima de permanente instabilidade” e que os órgãos de soberania se atropelem, defendendo que não se pode “andar sempre com a bomba atómica [poder de dissolver o parlamento] na mão a achar que ela pode ser detonada a qualquer momento”.

Refutando a posição defendida por Paulo Morais de que o parlamento é um “antro de corrupção”, Marisa Matias disse que na atividade política não são todos iguais e que o Bloco “é dos partidos que mais propostas tem apresentado” para combater a corrupção. “Quando colocamos todos no saco dos corruptos, estamos a fazer um favor aos corruptos”, afirmou a eurodeputada.

Paulo Morais contrapôs com um episódio relativo à privatização da EDP, quando denunciou que o social-democrata Miguel Frasquilho estaria numa situação de promiscuidade entre negócios e política e que o presidente da comissão parlamentar apresentou uma moção de confiança ao então deputado do PSD.

O académico lembrou que tal como todos os deputados da comissão, o BE votou a favor da moção – ao que Marisa Matias respondeu que “na altura foi uma questão formal”, sublinhando que é fundamental que o Presidente da República possa suscitar um debate sobre combate à corrupção, mas também sobre temas como a justiça.

Questionada sobre onde deixa as convicções pessoais contra as regras de Bruxelas se for eleita, a eurodeputada do BE disse que Portugal está numa eleição presidencial e passa o tempo a discutir as regras do Tratado Orçamental, quando se devia discutir a Constituição. Marisa Matias disse que “a Constituição da República é o que vale e deve sobrepor-se ao resto”, referindo que, apesar de concordar com Paulo Morais sobre a escola pública, não é possível cumprir o Tratado Orçamental e ter uma escola igual para todos e um Serviço Nacional de Saúde de qualidade.

No debate deste sábado na TVI24, Paulo Morais considerou que “um dos problemas dos últimos presidentes é que passaram a ideia de que os presidentes devem ser uns inúteis da República”. Paulo Morais disse ainda que não tem um adversário principal e que tenciona, como Presidente da República, pegar em todo o potencial de Portugal e “recuperar a dignidade da pessoa humana”.

As eleições presidenciais, à qual concorrem dez candidatos, realizam-se a 24 de janeiro.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Fundação Champalimaud anuncia prémio de um milhão de euros para erradicar o cancro

A Fundação Champalimaud anunciou, esta segunda-feira, um prémio de um milhão de euros a atribuir anualmente, e sem limite temporal, vocacionado para a "erradicação do cancro". O prémio é atribuído em parceria com o casal de …

A maior lixeira da China ficou cheia 25 anos antes do previsto

O maior depósito de lixo da China, Jiangcungou, na cidade de Xi'an, já está cheio, 25 anos antes da altura prevista. O aterro tinha sido preparado para receber 2500 toneladas de resíduos por dia. Porém, de …

Cigarros eletrónicos podem prejudicar o coração mais do que os cigarros comuns

Há muito que está provado que fumar é uma das principais causas de mortes por doenças cardíacas. Agora, há evidências crescentes de que os cigarros eletrónicos podem causar danos ao coração. Em dois estudos que serão …

Sindicato dos Magistrados acusa Conselho Superior de fazer escolhas pessoais

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) acusou, esta segunda-feira, o Conselho Superior do Ministério Público de escolher os procuradores para os departamentos mais importantes da investigação criminal por preferências pessoais. Em comunicado, o Sindicato …

Esta empresa está a produzir "carne" feita de ar

Enquanto várias startups estão a vender "carne" feita de plantas, a Air Protein, uma empresa sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, está a criar carne feita de ar. A ideia não é nova, uma vez que …

Autoridade da Concorrência faz buscas em cinco empresas de vigilância privada

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou, esta segunda-feira, que realizou diligências de busca e apreensão em cinco empresas do setor da vigilância privada, no distrito de Lisboa, "por suspeitas de práticas anticoncorrenciais lesivas do normal …

"Breaking Bad" da vida real. Dois professores de Química acusados de produzir metanfetamina

Dois professores universitários de Química do estado do Arkansas, nos Estados Unidos, foram detidos no domingo por suspeitas de produzirem metanfetaminas. O caso tem atraído atenção mediática por se parecer inspirar no enredo da série …

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …