Turcos acreditam que jornalista saudita foi morto (e desmembrado) no consulado de Istambul

Erdem Sahin / EPA

O jornalista saudita Jamal Khashoggi está desaparecido desde dia 2 de outubro, depois de ter entrado no consulado da Arábia Saudita em Istambul. As autoridades turcas obtiveram ontem autorização para revistar o consulado, mas tal ainda não aconteceu.

Jamal Khashoggi, correspondente saudita do The Washington Post e um dos mais proeminentes jornalistas, crítico ao regime Ryad, ia casar-se na quarta-feira, dia 3 de outubro. Na véspera do seu dia D, entrou no consulado da Arábia Saudita em Instambul para levantar um documento necessário para a cerimónia e não voltou a sair pela porta por onde entrou.

A noiva, Hatice Cengiz, esperou 11 horas por Khashoggi, mas nunca mais o voltou a encontrar. Nem mesmo à sua espera no altar – ainda que a representação diplomática saudita garanta que o jornalista saiu do edifício pouco depois.

“Apesar de a minha esperança estar lentamente a desaparecer, continuo a acreditar que Jamal ainda está vivo“, escreveu esta quarta-feira num texto publicado no The Washington Post.

“Talvez esteja simplesmente a tentar esconder-me do pensamento de que perdi um grande homem cujo amor tinha conquistado”, continuou. Cenziz apelou ainda ao Presidente americano, Donald Trump, e à primeira-dama, Melania, para “ajudarem a esclarecer o desaparecimento de Jamal”.

Membros dos serviços de segurança turcos disseram ao The New York Times, à Reuters e a vários jornais turcos que o jornalista foi assassinado nas duas horas e meia a seguir a entrar no consulado e o seu corpo terá sido desmembrado ali mesmo. “É como no filme Pulp Fiction”, afirma um “alto responsável da segurança turca”.

O relato resulta das afirmações destes responsáveis turcos, polícias e membros dos serviços secretos, e ainda das informações avançadas pelos meios de comunicação turcos. A ser verdade, Khashoggi foi morto por uma equipa de 15 agentes sauditas que aterraram em Istambul divididos em dois aviões ao longo do dia do desaparecimento. Todos eles abandonaram a Turquia horas depois.

Segundo o Público, estes homens já foram todos identificados. A Turquia relacionou a maioria com o Governo da Arábia Saudita e com os serviços de segurança do país, incluindo um perito em autópsias, “presumivelmente presente para ajudar a desmembrar o corpo”, diz um responsável citado pelo Times.

Recep Taiyyp Erdogan, Presidente turco, terá sido informado no sábado destas conclusões, tendo ordenado “a responsáveis que falassem sob anonimato a uma séria de media, incluindo o New York Times, dizendo que Khashoggi foi morto dentro do consulado”.

O Sabah, um jornal muito próximo de Erdogan, escreveu esta terça-feira que as autoridades estão a investigar a possibilidade de o jornalista ter sido raptado e não morto, num sinal de que Ancara pode não querer acusar explicitamente Riad.

Enquanto isso, as televisões turcas divulgam imagens de câmaras de vigilância que mostram os 15 sauditas no aeroporto e a chegar ao consulado, assim como quatro viaturas que deixaram o edifício.

No entanto, Kemal Ozturk, colunista de um jornal que segue a linha oficial e antigo diretor de uma agência de notícias, disse a uma televisão pré-Erdogan que “há um vídeo do momento em que ele foi morto”.

Khashoggi era editor do al-Watan, um jornal na Arábia Saudita, mas vivia fora do país desde o ano passado num exílio auto-imposto por temer pela sua segurança. O jornalista escrevia regularmente artigos de opinião para o The Washington Post em que denunciava a perseguição das autoridades sauditas a ativistas, além de criticar a intervenção do regime na guerra do Iémen.

ZAP ZAP // RFI

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Amnistia Internacional retira estatuto de prisioneiro de consciência a Navalny

A Amnistia Internacional anunciou que não pode considerar o principal opositor russo um "prisioneiro de consciência" devido a algumas declarações nacionalistas e xenófobas feitas por si no passado. Esta informação foi revelada, na terça-feira, pelo jornalista …

CGTP volta à rua com concentrações nos distritos e greves e plenários nas empresas

A CGTP vai voltar à rua pela valorização dos salários e do emprego e o respeito pelos direitos individuais e coletivos. A CGTP volta à rua com uma Jornada Nacional de Luta descentralizada para exigir melhores …

27 reúnem-se numa videocimeira para discutir restrições e a aceleração do processo de vacinação

Esta quinta-feira, os 27 reúnem-se virtualmente, numa cimeira coordenada, a partir de Bruxelas, pelo presidente do Conselho Europeu Charles Michel.  Segundo apurou a TSF, na videocimeira desta quinta-feira, os governos deverão reconhecer que a situação epidemiológica …

Em risco de perder a imunidade, Puigdemont fala em "pressão espanhola"

Carles Puigdemont, Toni Comín e Clara Ponsati estão em risco de perder imunidade. O ex-presidente do governo da Catalunha fala em "pressão espanhola" no Parlamento Europeu. O levantamento da imunidade de Carles Puigdemont e de dois …

Plano de desconfinamento a circular nas redes sociais é falso. Governo faz denúncia ao Ministério Público

Esta quinta-feira, começou a circular nas redes sociais um alegado plano de desconfinamento que teria início já no mês de março. O Governo já veio avisar que o documento é falso e vai fazer uma …

Carlos Carreiras diz que "Passos Coelho não é passado, é presente"

O presidente da Câmara de Cascais voltou a criticar a liderança do líder do PSD e, em sentido contrário, deixou rasgados elogios ao seu antecessor. Numa entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Carlos Carreiras …

PSP diz que jovem que se gabou de violação no Instagram pode ter "fantasiado"

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Viseu afirma que "tudo leva a crer" que o jovem que assumiu, em direto no Instagram, ter violado uma rapariga estivesse a fantasiar. A PSP de Viseu identificou o …

Termina hoje o prazo para validar faturas para apresentar no IRS

Os contribuintes têm até esta quinta-feira para validar e verificar as faturas de 2020 no Portal e-fatura e que vão servir de base no cálculo das deduções no IRS. Há já vários anos que as deduções …

“Foi torturada”. Princesa Latifa escreve carta à polícia a pedir que investigue desaparecimento da irmã

Latifa escreveu à polícia britânica em 2019. O caso da sua irmã Shamsa, raptada em Inglaterra há mais de vinte anos, tem muitas semelhanças com o drama agora vivido pela princesa. A princesa Latifa, filha do …

Pelo menos oito mortos após golpe de Estado em Myanmar. ONG pedem embargo ao fornecimento de armas

Pelo menos oito pessoas morreram em Myanmar, como resultado da violência desencadeada após o golpe de Estado realizado pelos militares a 1 de fevereiro, segundo a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos (AAPP). Até agora, o …