Turcos acreditam que jornalista saudita foi morto (e desmembrado) no consulado de Istambul

Erdem Sahin / EPA

O jornalista saudita Jamal Khashoggi está desaparecido desde dia 2 de outubro, depois de ter entrado no consulado da Arábia Saudita em Istambul. As autoridades turcas obtiveram ontem autorização para revistar o consulado, mas tal ainda não aconteceu.

Jamal Khashoggi, correspondente saudita do The Washington Post e um dos mais proeminentes jornalistas, crítico ao regime Ryad, ia casar-se na quarta-feira, dia 3 de outubro. Na véspera do seu dia D, entrou no consulado da Arábia Saudita em Instambul para levantar um documento necessário para a cerimónia e não voltou a sair pela porta por onde entrou.

A noiva, Hatice Cengiz, esperou 11 horas por Khashoggi, mas nunca mais o voltou a encontrar. Nem mesmo à sua espera no altar – ainda que a representação diplomática saudita garanta que o jornalista saiu do edifício pouco depois.

“Apesar de a minha esperança estar lentamente a desaparecer, continuo a acreditar que Jamal ainda está vivo“, escreveu esta quarta-feira num texto publicado no The Washington Post.

“Talvez esteja simplesmente a tentar esconder-me do pensamento de que perdi um grande homem cujo amor tinha conquistado”, continuou. Cenziz apelou ainda ao Presidente americano, Donald Trump, e à primeira-dama, Melania, para “ajudarem a esclarecer o desaparecimento de Jamal”.

Membros dos serviços de segurança turcos disseram ao The New York Times, à Reuters e a vários jornais turcos que o jornalista foi assassinado nas duas horas e meia a seguir a entrar no consulado e o seu corpo terá sido desmembrado ali mesmo. “É como no filme Pulp Fiction”, afirma um “alto responsável da segurança turca”.

O relato resulta das afirmações destes responsáveis turcos, polícias e membros dos serviços secretos, e ainda das informações avançadas pelos meios de comunicação turcos. A ser verdade, Khashoggi foi morto por uma equipa de 15 agentes sauditas que aterraram em Istambul divididos em dois aviões ao longo do dia do desaparecimento. Todos eles abandonaram a Turquia horas depois.

Segundo o Público, estes homens já foram todos identificados. A Turquia relacionou a maioria com o Governo da Arábia Saudita e com os serviços de segurança do país, incluindo um perito em autópsias, “presumivelmente presente para ajudar a desmembrar o corpo”, diz um responsável citado pelo Times.

Recep Taiyyp Erdogan, Presidente turco, terá sido informado no sábado destas conclusões, tendo ordenado “a responsáveis que falassem sob anonimato a uma séria de media, incluindo o New York Times, dizendo que Khashoggi foi morto dentro do consulado”.

O Sabah, um jornal muito próximo de Erdogan, escreveu esta terça-feira que as autoridades estão a investigar a possibilidade de o jornalista ter sido raptado e não morto, num sinal de que Ancara pode não querer acusar explicitamente Riad.

Enquanto isso, as televisões turcas divulgam imagens de câmaras de vigilância que mostram os 15 sauditas no aeroporto e a chegar ao consulado, assim como quatro viaturas que deixaram o edifício.

No entanto, Kemal Ozturk, colunista de um jornal que segue a linha oficial e antigo diretor de uma agência de notícias, disse a uma televisão pré-Erdogan que “há um vídeo do momento em que ele foi morto”.

Khashoggi era editor do al-Watan, um jornal na Arábia Saudita, mas vivia fora do país desde o ano passado num exílio auto-imposto por temer pela sua segurança. O jornalista escrevia regularmente artigos de opinião para o The Washington Post em que denunciava a perseguição das autoridades sauditas a ativistas, além de criticar a intervenção do regime na guerra do Iémen.

ZAP // RFI

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Vila Real vs FC Porto | Goleada com poker de Adrián

O FC Porto garantiu hoje a passagem à quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao golear por 6-0 o Vila Real, num encontro marcado pelos quatro golos de Adrián López, que abriu e …

85% dos medicamentos estão em falta na Venezuela

A Federação Farmacêutica Venezuelana (Fefarven) informou hoje que estão em falta 85% dos medicamentos que se comercializam no país. A denúncia surgiu um dia depois de o Governo venezuelano estabelecer preços fixos para 56 medicamentos, durante …

Obrigar as crianças a beijar os avós é mesmo uma "violência"

O professor universitário Daniel Cardoso pôs o país a discutir se é ou não uma violência obrigar as crianças a beijar os avós. Uma posição que é defendida por inúmeros especialistas e que nem sequer …

Cidade da Maia testa passadeira 3D

O município da Maia está a testar a colocação de passadeiras 3D, cujo objetivo é criar uma ilusão de ótica que faz os condutores abrandar quando se aproximam, descreveu hoje a autarquia. Em causa está, de …

Portugal recebe em novembro cerca de 150 refugiados que estão no Egito

Portugal vai receber, em novembro, cerca de 150 refugiados que estão no Egito, primeiro grupo de mais de mil pessoas que vão ser reinstaladas em Portugal até 2019, disse hoje o ministro da Administração Interna. "Vamos …

Crianças até 2 anos são as que mais usam apps

Mais de metade das crianças com menos de 8 anos usa aplicações como entretenimento e as crianças que mais usam os dispositivos eletrónicos têm até 2 anos. Segundo o estudo "Happy Kids: Aplicações Seguras e Benéficas …

Abstenção galopante alastra-se à faixa dos 30-44 anos

A abstenção aumentou de forma galopante em Portugal, dos 8,1% em 1975 para os 44,2% nas legislativas de 2015, e a tendência está a alastrar das gerações mais jovens para a faixa dos 30 aos …

Descida da propina vai retirar bolsas a alunos carenciados. Medida "demagógica e perversa"

A descida do valor máximo da propina poderá significar o fim da bolsa para muitos alunos carenciados, alertou o reitor da Universidade Nova de Lisboa, que considera a medida ''demagógica e perversa''. Segundo a proposta de …

Hugo Abreu caiu da viatura e “não se mexeu mais”. Instrutor dos comandos viu e ignorou

Rodrigo Seco afirmou que, no decurso da Prova Zero, os dois instrutores desvalorizaram os sintomas de mal-estar, sinais de cansaço e ignoraram os vários pedidos dos instruendos para que pudessem beber água. Um dos instruendos do …

Nunes da Fonseca é o novo Chefe do Estado-Maior do Exército

O tenente-general José Nunes da Fonseca é o escolhido para suceder ao general Rovisco Duarte como Chefe do Estado-Maior do Exército. Rovisco Duarte demitiu-se no âmbito do caso do roubo de armas em Tancos. O nome …