Governo volta a adiar reunião sobre aumentos na função pública. Sindicatos admitem greve

Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O Governo voltou a adiar a reunião com os três sindicatos da administração pública para esta sexta-feira, com a presença do ministro das Finanças, onde deverão ser discutidos os aumentos salariais para 2019.

A ronda negocial começou por estar agendada para a tarde de dia 10, mas foi adiada uma primeira vez para quinta-feira e agora novamente para sexta-feira à tarde, segundo o dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão.

A reunião de sexta-feira contará com a presença do ministro das Finanças, Mário Centeno, disse o dirigente sindical. As estruturas sindicais – Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), Frente Comum e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) – reivindicam atualizações salariais entre 3% e 4% para o próximo ano, mas a margem do Governo é de 50 milhões de euros.

“Esperemos que definitivamente o Governo nos apresente uma proposta de aumentos salariais na reunião de sexta-feira”, disse José Abraão.

Segundo o Diário de Notícias, os sindicatos que representam a função pública podem avançar para um cenário de greve, caso o Governo não melhore a proposta.

Jose Abraão, em declarações ao diário, disse que a Fesap não aceitará outro desfecho que não seja o de um aumento salarial generalizado – “que não deixe ninguém para trás”. O líder sindical exige uma proposta com “dignidade”, uma vez que “cinco euros não são aumento para se apresentar a ninguém”.

“O Governo vai ter de decidir se quer ser recordado como o único a conseguir pôr o défice a zeros em período de democracia ou se quer ser lembrado como o que pôs termo ao período mais longo em democracia de congelamento de salários”, explicou. Caso contrário, deverá contar com uma greve e, “nesse contexto um dia de paralisação será pouco”.

Proposta negocial

A proposta do executivo para a função pública está a ser negociada com os partidos políticos, mas ainda esta semana o Bloco de Esquerda disse não haver ainda acordo com o Governo sobre o valor e o modelo para os aumentos no Estado.

As propostas iniciais do Governo apresentadas durante as negociações no parlamento situavam-se entre cinco euros, se o aumento abrangesse todos os trabalhadores, e os 35 euros se fosse dirigido apenas a quem ganha menos, tal como avançou a Lusa.

Em entrevista ao Público no sábado, Mário Centeno confirmou os cenários que estão em cima da mesa: cinco euros para todos os trabalhadores, dez euros para quem ganha até 835 euros e até 35 euros para salários até 635 euros. Os sindicatos exigem uma atualização para todos os trabalhadores da administração pública.

Na última ronda negocial com as estruturas sindicais, dia 4, o Ministério das Finanças avançou com uma proposta sobre outras matérias a incluir no OE2019 para a função pública, que prevê o pagamento faseado das progressões na carreira em 2019, à semelhança do que aconteceu este ano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Maior manifestação de sempre em Hong Kong leva Governo a pedir desculpa

Seis horas depois do início da marcha de protesto contra a lei da extradição, “uma multidão nunca vista” continuava a inundar as ruas de Hong Kong este domingo, na “maior manifestação de sempre”, disseram vários …

Mais de 200 ex-políticos acumulam subvenções vitalícias e reformas

Quase quinze anos depois de o Parlamento ter decidido acabar com as subvenções vitalícias, existem ainda 322 beneficiários de subvenções mensais vitalícias para antigos políticos. Destes, 216 têm uma acumulação de pensão e subvenção superior …

Mulher de Netanyahu considerada culpada de usar dinheiros públicos em refeições de luxo

A mulher do primeiro-ministro israelita foi, no domingo, considerada culpada do uso indevido de dinheiros públicos e condenada a pagar uma multa, segundo uma decisão do tribunal de Jerusalém. Acusada em junho de 2018 por fraude, …

Incêndio catastrófico destruiu a "Pompeia britânica" um ano depois de ser construída

O assentamento incrivelmente preservado na Idade do Bronze, denominado "Pompeia britânica", foi destruído por um incêndio um ano depois de ser construído. Um novo estudo, publicado na revista Antiquity, revela novos detalhes sobre Must Farm, uma …

Marcelo responde à Fenprof: uma “história mal amanhada”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou este domingo incompreensíveis as críticas da federação dos professores, que o acusou de não ser Presidente de todos os portugueses. O Presidente da República advertiu que, “por …

"Onde está o Boris?". Channel 4 marca ausência de favorito à liderança do Partido Conservador com cadeira vazia

A ausência de Boris Johnson, o favorito para ganhar a eleição interna no partido Conservador para suceder à primeira-ministra britânica, Theresa May, foi este domingo simbolizada por um lugar vazio num debate televisivo com os …

Os humanos podem ter sido destinados a reinar sobre a Terra (e já sabemos porquê)

Se voltássemos atrás no tempo, a aleatoriedade dos eventos mudaria completamente o nosso caminho evolucionário. No entanto, os cientistas descobriram que os inúmeros trilhos possíveis poderiam não evitar que fossem os humanos a espécie dominadora. O …

Mau tempo nos Açores faz nove desalojados

Nove pessoas tiveram de ser realojadas na ilha Terceira, no domingo, devido ao mau tempo que está a afetar os grupos central e oriental dos Açores, informou o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros …

Argentina e Uruguai estiveram completamente às escuras no domingo

Uma avaria deixou sem energia, este domingo, praticamente todo o território da Argentina e do Uruguai, além de partes do Brasil e do Paraguai, anunciaram as empresas fornecedoras de eletricidade. "Uma falha maciça no sistema de …

Novo laser ataca e mata células cancerígenas da corrente sanguínea em tempo real

Uma equipa de cientistas da Universidade de Arkansas testou com sucesso um laser que encontra e mata células cancerígenas - tudo do lado de fora da pele. A ideia é matar as células cancerígenas antes que …