Espanhóis arrasam capacidade de Portugal no combate aos incêndios

Paulo Cunha / Lusa

Incêndio em Pedrógão Grande

Incêndio em Pedrógão Grande

A tragédia de Pedrógão Grande está a pôr em causa o dispositivo português de combate aos incêndios, e de Espanha chegam críticas arrasadoras. Fala-se em “inoperância” e numa “preocupante ausência de meios”, considerando-se que Portugal “não está preparado para fazer frente ao fogo”.

Num artigo intitulado “A inoperância de Portugal na luta contra os incêndios”, estas críticas espanholas surgem no jornal El Mundo que nota que “não é aceitável que, em pleno Século XXI, num país da União Europeia, um incêndio florestal origine um número de vítimas mortais tão elevado”.

Um dado ainda mais inaceitável considerando “os antecedentes dos últimos anos”, lembra o diário espanhol, concluindo que o “terrível episódio” de Pedrógão Grande mostra que “Portugal não está preparado para fazer frente ao fogo”.

O El Mundo lembra que se trata da “tragédia com mais mortes, em apenas um fogo, em quase um quarto de Século em todo o mundo”, o que revela “a inoperância e alarmante falta de recursos do Estado luso para fazer frente aos incêndios florestais”, conclui.

Estamos a falar de “um flagelo que, todos os anos, chicoteia com especial virulência” Portugal, “sem que se tenham adoptado medidas proporcionais para o combater”, realça ainda o jornal, notando que as autoridades lusas foram “completamente esmagadas” pelas circunstâncias de calor extremo e ventos fortes.

Para o diário é evidente que o efectivo colocado em operação foi “claramente insuficiente para controlar, delimitar e, finalmente, extinguir um incêndio de proporções tão devastadoras”.

E o país também “não levou a cabo os melhores trabalhos preventivos, nem tão pouco dispõe de um dispositivo óptimo para controlar” os fogos, considera o El Mundo, referindo a “ineficácia das equipas” e uma “preocupante ausência de meios”.

“A crise e o resgate económico diminuíram consideravelmente a capacidade de investimento do Executivo luso”, considera ainda o jornal, realçando porém, que isso não pode justificar a “desatenção” para com uma “ameaça tão grave e preocupante como é a dos incêndios”.

Falha no sistema de comunicações

Entretanto, o Jornal de Notícias adianta que as antenas que suportam o sistema de comunicação para as situações de emergência falharam. O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, já admitiu esta lacuna que pode ter comprometido severamente uma resposta mais rápida ao incêndio.

O JN nota que “várias antenas” do sistema de rádio de informações que ajudam a coordenar todas as forças da Protecção Civil “não resistiram ao incêndio” e arderam, e “não havia recursos imediatos nas comunicações para colmatar o vazio, tanto mais que a rede de telemóvel também estava gravemente afectada”, aponta o diário.

Governo já pediu explicações

Jorge Gomes adiantou, no especial “Prós e Contras” da RTP sobre o incêndio em Pedrógao Grande, que o Governo vai investigar as circunstâncias em que ocorreu a tragédia.

O primeiro-ministro António Costa já fez “um despacho em que exige esclarecimentos ao Instituto Português do Mar e da Atmosfera para saber as condições atmosféricas e climáticas naquele dia”.

O governante “pôs como exigência saber se houve falha de comunicações do Estado” e também pediu esclarecimentos sobre “o encerramento ou não da estrada nacional onde se deu o fatídico caso”, apontou ainda o Secretário de Estado na RTP. Jorge Gomes também prometeu que o Executivo não vai permitir que “a culpa morra solteira”.

Plano contra incêndios não é avaliado há 4 anos

Entretanto, o jornal Público aponta que o Plano Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, que deveria ser avaliado de dois em dois anos, está há quatro anos sem qualquer avaliação.

O diário refere que o último relatório de supervisão do Plano respeita a 2011/2012 e que nem este foi divulgado publicamente. O Ministério da Agricultura garantiu que seria tornado público ainda hoje.

Por outro lado, há várias propostas do Governo para a floresta que estão paradas “há dois meses na comissão de Agricultura”, avança também o Público.

O jornal refere, nomeadamente, propostas sobre o cadastro florestal, o Banco Nacional de terras, os benefícios fiscais para a gestão florestal, o regime jurídico da arborização e rearborização e o Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

“Nem o Governo, nem a Assembleia da República estão a dar celeridade” à questão, conclui o Público, lembrando que “o prazo de 60 dias para a discussão” destes diplomas termina nesta quarta-feira, 21 de Junho.

SV, ZAP //

PARTILHAR

69 COMENTÁRIOS

    • O Passos é tão responsável como os que lá estiveram anteriormente e os que atualmente estão!
      Qual é a sua dúvida?

    • Não era ele que queria que o diabo viesse. Não veio na Economia, deve ter “rezado” muito para vir de outra forma. Esqueceu-se foi que teve lá vários anos e com uma Ministra da Agricultura que segundo eles era óptima.

      O que terá feito para bem da floresta?

      • A culpa era do meu canário, até que me lembrei que um jesuíta negro (como todos) vestido de branco, andou no mês anterior por aquelas bandas a convencer a Virgem a ir de férias. Afinal Era ela que aguentava a barca até agora… Agora já se percebe a diferença. Sim, e vem a propósito.

      • D. Balelas é mesmo balelas tudo o que é mau é do outro governo só não vê que este governo é uma extensão do governo do Socatres.
        Para si e outros como você chamo pobreza de espiririto.
        É por este motivo quenos portuguêses não consueguimos andar para a frente,pessoas tão ignorantes como estas.

  1. E sempre a mesma coisa. Coitados dos bombeiros e das populações. É assim nos fogos, é na saúde, é na educação. Em Outubro já o Governo se esquece. Será que é tão dificil resolver este problema dos fogos? Com um simples exemplo verdadeiro diria que não. Há uns anos houve um incendio na serra do caramulo devstou tudo. Mas na localidade de Paranho de Arca existe um carvalhal com vário hectares. o fogo cegou, queimou uma orla do carvalhal de cerca de 50 metro e foi fácilmente controlado, porque a seiva e folhas são aquosas. Na primavera seguinte as folhas queimada rebentaram ee os carvalhos não morreram. Claro, mas impor este tipo de floresta mexe com muitos interesses. Mas se eu não posso fazer construção onde quero, mas onde tal está defenido, porque não se opta por este principio. Depois junto a povoações deveria existir uma orla de arvores “bombeiras de pelo menos 300 metros. Além de muitas outras medidas, que não há espaço para aqui descrever, o que esperam e esperaram os nosso politicos inuteis para as tomar? As mortes deviam pesar-lhe na consciência. Mas será que a têm?

  2. Também é incompreensivel que em Espanha um TGV tenha tido o acidente por excesso de velocidade na Galiza porque o maquinista ia distraido…

    • Pois mas isso não faz mal nem não ter uma plano de contingência para 1 atentado terrorista numa estação de metro em Madrid nem mais de 20 anos de ETA. Os espanhóis (e moro a 7 km deles e já trabalhei com eles) acham se perfeitos e magníficos quando não prestam para nada. São narcisistas e egocêntricos e racistas com os portugueses que acham uma raça menor que eles. Esses tristes que à uns anos atrás tiveram um fogo a 60 km da minha terra e ao fim de 4 dias foi preciso chegarem 400 bombeiros portugueses para apagar o seu fogo (que nem era em Serra), combatendo o fogo dentro dele em vez de esperar e olhar para ele como fazem os espanhóis.

    • Eu sou espanhola é eu e a maioria das pessoas que conheço estam a sentir muita pena com o que aconteceu no sabado e com o fogo que continua. É una certeza que Portugal não esta fazer bem os seus planos contra os incêndios, mesmo que Espanha fez mal com aquele comboio. Nos somos vizinhos, temos de nos ajudar os uns aos outros não sómente falar mal dos outros.

      • O que vejo nesta situação é o aproveitamento desta situação para tentar fragilizar o estado português e a sua existência e como bem disse Ni, o Turismo pode realmente ser desviado e não apenas para a Espanha. Como é possível tentarem entrar em Portugal com todo aquele equipamento? Sim, Portugal ainda é um país soberano. Sim, mal ou bem ainda são os portugueses a mandar. Que arrogância pensar que os portugueses não consegues gerir esta situação! Essa notícia publicada em Espanha é apenas para consumo interno e obviamente que demonstra, mais uma vez que Portugal e Espanha são verdadeiramente diferentes, que os seus povos são profundamente diferentes, culturalmente, socialmente, e no carácter. O que desejo neste momento é um governo português que se concentre no essencial, que é organizar as sua forças e proteger a população. Só podemos contar com os nossos. Viva Portugal!

        • Sinto muito pensares isso, eu já morei nos dois paises e penso que são muitas mais as coisas que nos ligam das que nos mantem afastados. É nas desgraças aquela ligação tem que ser ainda mais forte. São países diferentes mas siempre é melhor trabalhar juntos. Ainda assim não sei porque alguns portuguêses como vôce ainda têm o preconcepto de que os espanhois disfrutamos da desgraça dos nossos vizinhos.(disculpas pelo meu português)

          • Consigo compreender a tua maneira de pensar mas…foi efectivamente exagerado a reportagem do El País. Não ajudam ninguém apontando o dedo. Num desabafo posso dizer que sou orgulhosamente português com umas quantas costelas espanholas. Conheço bastante bem ambas as culturas. Não é o povo quem demarca diferenças.

  3. Todos os anos é a mesma coisa. As tragédias repetem-se, e todos os anos desfilam os senhores doutores, senhores diretores, senhores presidentes disto ou daquilo, senhores secretários e demais montes de inutilidade, hipócritas, que com ar pesaroso prometem tudo ser diferente no próximo ano, para voltar a ser tudo igual, sem tirar nem pôr. Os media parecem um bando de abutres, com cada jornalista, disputando o bocado mais dramático, choroso e chocante, esticando esta “noticia” até não poderem mais. Na verdade, existe muita gente se aproveitando desta desgraça, desdo as madeireiras ás forças combate aéreo, etc. Todos, menos os pobres portugueses simples do interior do país, que só esperam não ser eles os próximos sacrificados, e o mundo, a começar pelos espanhóis, riem-se de nós.
    Na melhor das hipóteses, falaremos disto no próximo ano, na pior, até logo, porque ainda estamos a meio de Junho.

  4. Muita gente a falar mas falta perceber o problema. Eu também tenho alguns pedaços de terra onde coloquei eucaliptos, podia ter colocado carvalhos ou outra planta qualquer. Porque é que eu e tantos outros não colocamos ? Porque o eucalipto é fácil, é resistente e dá um bom corte a partir dos 7 / 8 anos, dependendo do terreno. O que falta é orientação e apoio. Agora quem é o inteligente que pretende que eu gaste o pouco que tenho a limpar o terreno sem ter qualquer retorno económico ? Mas é fácil, se assim for, é só agarrar nesses inteligentes e colocá-los a limpar os meus terrenos !!!!

    • Se não limpa porque não tem retorno económico ou não tem meios deve doar a custo da escritora os terrenos para quem os possa limpar…
      Sou a favor que os terenos abandonados a sua sorte sejam desapropriados e doados a quem faça bom uso destes, respeitando o ambiente, as espécies locais “se é pinheiro não é eucalipto”.
      Neste país de espertos existem milhares de imóveis (habitações e terrenos) em completo abandono, no entanto quando alguém procura o proprietário para tentar comprar os mesmos por um bom preço face o seu abandono estes dizem sempre que é um grande imóvel, com boas áreas… etc. querem sempre esfolar os pobres e depois não limpam pois não têm dinheiro se não vendem e não limpa deve ser feita uma desapropriação a custo zero e entregue pelo preço da escritora a quem se comprometa com o seu bom uso evitando assim o abandono.

      • Completamente a favor do que disse…. Só há alguns “senão”….
        Eu tambem sou proprietário de alguns terrenos a pinhal e
        eucalipto (são terrenos pequenos). Desses terrenos não obtenho qualquer rentabilidade porque as árvores são roubadas e vendidas por alguns lenhadores que depois vendem a lenha. Toda a gente sabe desta situação, inclusivé as autoridades, e ninguem faz nada,
        Mantenho os terrenos sem limpar porque isso dificulta um pouco a vida a esses ladrões, além de que não obtenho qualquer rentabilidade para efectuar a limpeza.
        Se eu apanhar um ladrão a roubar uma ou duas árvores no meu terreno e lhe der uma tareia ainda vou ser castigado e terei de pagar uma indemnização a esse ladrão. Se recorrer aos tribunais, além de ter de pagar um balúrdio de custas judiciais não irei receber nada porque o ladrão será inocentado e não terá maneira de me indemnizar…
        Portanto caro João Santos, estou de acordo consigo quando diz que as pessoas deviam manter os terrenos limpos, ou vender os terrenos. Eu vendo os meus terrenos por um valor justo (não os inflaciono, nem os desvalorizo) a quem queira cuidar deles.
        Estas questões exigem uma mexida de fundo, não na nossa legislação, mas em por em prática a mesma. Pois toda a gente sabe que em Portugal nada funciona na prática, porque a CAMBADA QUE NOS GOVERNA só para lá vai, não para proteger os cidadãos de bem, mas sim para encher os próprios bolsos através da corrupão, interesses próprios e arranjar tachos para si mesmos, amigos, familiares e a credores de favores….
        Enquanto não houver governação com honestidade (com governadores honestos e isentos), estas situações não irão mudar nem acabar

  5. Memória curta. Esquecem as várias centenas de bombeiros que foram voluntariamente para Espanha há 3 anos e foram recebidos como heróis porque os espanhóis não estavam a dar conta do fogo…
    E sim o Passo tb tem culpa ou não foi a ministra Assunção Cristas a potenciar o cultivo de eucalipto?

    • Aleluia. ate que enfim alguém puxa pela memoria que alguns parecem ter tao curta.

      Que ninguém esqueça a coluna de Bombeiros Portugueses aclamada pela população Espanhola quando foi preciso ser solidário.

      Acima de tudo que ninguém esqueça quem dá a vida pelos outros.

      Porque dar a cara para aparecer nas noticias tornadas sensação pelos analfabetos que andam por ai de microfone na mão, há muito quem queira.

      ………….principalmente para atribuir culpas sem dar contributos positivos.

  6. Os Espanhóis esquecem-se dos seus próprios incêndios, quem não se lembra do fogo de 1 cisterna (sem sistema de alivio de pressão com 25 ton(autorizada a 19.35ton)de gas em pleno verão que rebentou numa estrada nacional N-340 ( este camião deveria ter circulado pela autoestrada, mas por questões económicas…) junto ao parque de campismo de Los Alfaques (Tarragona) matando mais de 217 pessoas, e ferindo mais 300. E em La Palma/Canarias em Agosto de 2016 arderam 7%
    do território e quando verificaram que o fogo se agravava pediram ajuda de 8 hélis e 3 hidroaviões.
    Todos os comentadores e jornalistas após estes trágicos acidentes são os melhores especialistas do mundo,
    mas quem é a Nação que não tem telhados de vidro?

    • Mas eu recordo-me.
      Quando ocorreu o fogo provocado pelo rebentamento deste camião cisterna em Alfaques eu e o meu irmão estávamos a fazer férias ali e escapámos por pouco por termos parado antes para repousar,devido à sinuosidade da estrada,numa praia.

  7. Vivermos em estado de choque está a tornar-se numa generalização quotidiana.
    Dou comigo a perscrutar os noticiários matinais na expectativa das últimas notícias sobre o que terá acontecido desde as anteriores neste mundo louco.
    Ficamos abalados com os incessantes atentados que ceifam vidas inocentes iguais às nossas, que nos deixam numa orfandade colectiva que põe em causa tudo em que acreditamos, desde sempre.
    A normalidade da Vida é uma figura que se esbate e que se turva a cada desgraça nova, perdendo os contornos daquilo que é, tornando normal a anormalidade conhecida.
    Não bastando estas atrocidades de consciente patrocínio humano, somos aturdidos pela inclemência de catástrofes desmedidas, hoje em Pedrógão e limítrofes por ordem de uma Natureza em desordem, ontem em Greenfelt por negligências por apurar.
    Ambas com um saldo avassalador de sofrimento incalculável. Morrer de causas antinatura movidas seja por que violência for, será sempre dramático. Morrer imolado pelo fogo deve superar qualquer dor imaginável, com momentos prévios de uma lucidez aterradora da percepção do desfecho inevitável.
    Estes nossos 64 óbitos obrigam à identificação de causas e de responsabilidades, com as inerentes consequências, como única homenagem pública verdadeira que respeite a sua memória e evite chorarmos outros no futuro.
    Tudo e todos têm que ser postos em causa, porque este cenário de destruição e de morte se repete todos os anos, numa escalada galopante de resultados irreparáveis.
    Estamos fartos de opções políticas desastrosas, da pulverização de responsabilidades por múltiplos organismos aparentemente profissionais, das incúrias não assumidas a quem compete.
    Agora entraram-nos na carne e no osso. Puseram a nu como estamos desprotegidos. Mostraram que não são dignos de confiança e fazem-nos temer pelas consequências de uma catástrofe maior.
    Responsabilize-se quem tomou as decisões políticas erradas por falta de visão ou por opção egoísta.
    Demita-se quem tenha a consciência de não ter condições para nos defender a Vida!

    • “”Mostraram que não são dignos de confiança e fazem-nos temer pelas consequências de uma catástrofe maior.
      Responsabilize-se quem tomou as decisões políticas erradas por falta de visão ou por opção egoísta.
      Demita-se quem tenha a consciência de não ter condições para nos defender a Vida!”( PEDRO -2017).
      estou nessa!

      Resposta

  8. Oir muito que não gosta-se de dizer isto concordo plenamente com o o jornal espanhol, isto é inadmissivel acontecer num pais que é todos os anos fustigado por imensos fogos deviamos estar mais capacitados para situações dificeis destas, o dinheiro não pode ser cortado na protecção civil, nos bombeiros, cortem noutras coisas mas não nisto é uma vergonha deixarmos chegar as coisas a este ponto para poupar dinheiro, ainda há pouco ouvi o comandante dos bombeiros recusar mais ajuda internacional porque disse ter as coisas controladas quando estamos a ver que não estão, o quê que ele está á espera que arda tudo.

  9. Fala um espanhol.
    Esta notizia não e verdadera.
    Tambem não acho que os politicos espanhois pensem assim.
    Os espanhois admiramos as capacidades dos nossos irmaos portugueses e seu trablaho para combatir o fogo.
    O que acontece é que Portugal tem mais floresta que Espanha e pelo tanto os incendios são muito mais perigrosos.
    Espanha em geral é mais seca.
    É muito facil procurar culpables quando acontece uma tragedia como esta, mais acho que quando é um fogo tão destructivel é impossivel parar-lo.
    Muito obrigado é um abraço para tudos os Portugueses.
    Fernando.

  10. O incêndio de Pedrogão Grande constitui uma negligência do Estado Português e dos seus representantes máximos que terá de ter obrigatoriamente consequências criminais e cíveis, porque:
    1ª Todos os anos desde à pelo menos 40 anos que naquela zona se verificaram incêndios de grandes dimensões, sendo uma das zonas criticas do País
    2ª A proteção civil sabe que estamos perante um ano seco por ter chovido muito pouco no Inverno e na Primavera e por essa a razão uma muito maior probabilidade de incêndios
    3ª Toda a gente em Portugal sabia que iria haver um pico de calor com a eventualidade de trovoadas secas que foi difundido por todos os meios de comunicação com a antecedência de vários dias
    4ª Por diversas vezes em vários anos anteriores se verificaram trovoadas secas que originaram incêndios, não sendo uma novidade os ventos nem as trovoadas secas
    O Povo, nomeadamente o mais pobre e frágil não pode pagar pela incúria, negligência e incompetência dos governantes e dos responsáveis da “Protecção Civil”, estrutura que mostra mais uma vez a sua inoperância.

  11. Alguns ilustres e ilucidados governantes descobriram que a solução dos fogos florestais está em obrigar os proprietarios a limpar os seus terrenos.Isso prova a incompetencia e ignorancia dos nossos governantes pelas seguintes razões:
    -Muito do terreno coberto de mato é rochoso e improprio para a agricultura
    -Muitos dos seus proprietarios tem fracos rendimentos e não conseguem pagar a limpeza de matos.
    -Muitos baldios estão entregues a comissões de baldios que estão sem recursos

    Se pensam obrigar os proprietarios a arranjar dinheiro que não tem,para limpar terrenos que não trazem rendimento o que vai acontecer é que não vão faltar incendios.Poderá muito bem ser uma forma rápida e expedita de muita gente resolver este problema.

    • Se não limpa porque não tem retorno económico ou não tem meios deve doar a custo da escritora os terrenos para quem os possa limpar…
      Sou a favor que os terrenos abandonados a sua sorte sejam desapropriados e doados a quem faça bom uso destes, respeitando o ambiente, as espécies locais “se é pinheiro não é eucalipto”.
      Neste país de espertos existem milhares de imóveis (habitações e terrenos) em completo abandono, no entanto quando alguém procura o proprietário para tentar comprar os mesmos por um bom preço face o seu abandono estes dizem sempre que é um grande imóvel, com boas áreas… etc. querem sempre esfolar os pobres e depois não limpam pois não têm dinheiro se não vendem e não limpa deve ser feita uma desapropriação a custo zero e entregue pelo preço da escritora a quem se comprometa com o seu bom uso evitando assim o abandono.

  12. Ponto 1. A culpa é do primeiro ministro… Afinal não foi ele que disse que estava tudo pronto? ou era mais uma mentira a que ele e restantes compadres nos habituou?
    Ponto 2. Qual é o problema de haver eucalipto em portugal? os terrenos não são florestais? Então o eucalipto também pode fazer parte da floresta. O problema não é o eucalipto é a limpeza à volta dele. Dizer que não se planta mais um eucalipto é dizer asneira, tipo não sei o que digo mas vou inventar um culpado antes que digam que a culpa é minha.
    Ponto 3. nunca enquanto houver um governo de esquerda se vai ver reclusos a limpar matas. Reclusos são minoria e as minorias são protegidas à esquerda.
    Ponto 4. Os verdes tb têm culpa. Então não queriam mais zonas verdes? ora as zonas verdes é que ardem…

    • Senhor Manuel dos Santos, desculpar-me-á o contrariá-lo; mas sim, o eucalipto é uma árvore que consome toda a humidade, chegando mesmo a “secar” fontes, tonando-se um forte combustível na floresta aquando da existência de fogos. Em vez de eucalipto, deverão ser plantados carvalhos, sobreiros, castanheiros, medronheiros… Mas isso está aconselhado e publicado por quem tem conhecimentos sobre a floresta.

        • Mais um expert…
          Então o eucalipto tem de “ter combustível por perto”?!
          Hahahaaa…
          Eu sei que pode ser pedir muito, mas já pensaste que o eucalipto pode ser o combustível?!
          Pois…

          • Outro armado em expert… já experimentaste? tens terreno florestal? O combustível à volta das arvores pode ser qualquer coisa inclusive árvores secas e caídas. Isso é LIMPEZA. Um terreno limpo mas com eucaliptos arde pouco, pode passar lá o fogo que os eucaliptos ficam e crescem na mesma. Aprende antes que seja tarde.

  13. so reclusos!!! também os deputados pois faz-lhes mal dormir muito tempo na assembleia, os ministros que falam falam mas não dizem nada e primeiro ministro / presidente da republica que deveriam dizer a quem de direito que não se vive com a miséria dos outros ao cobrarem iva aos donativos e chamadas solidárias. melhor seria colocarem os milhões de sócrates, salgado e outros tais que tanto ajudavam essas pessoas sem nada. ao contrário, continuam impunes e com os milhões. vou ver se eu ”roubar” ou desviar um pão sem pagar se sou perdoada e tratada da mesma forma.
    agora, o passos também tem culpa!!! grande lata de quem é tendencioso é meter os verdes, blocos e outros a limpar tudo isso que já ganham o suficiente para fazerem tudo e de tudo!!!!
    o passos até tem tido muita paciência pois se me roubassem o lugar dele por direito do voto do povo se fosse ao contrário iria cair o carmo e a trindade. podem dizer ou comentar o que entenderem mas é a realidade e a verdade dói muito não ehhhhhh!!!!! tenham respeito por quem o merece e que enfrentou a situação perdendo tudo começando pelas vidas humanas e mandem essa ”cambada” de políticos deixar de se pavonear e que trabalhem que é para isso que são pagos em vez de discutirem sempre a favor de causa própria!!!!!! o diabo veio pois veio veio com tantos diabos na politica a quererem tirar-lhe o lugar……… finalizo: o maior cego é aquele que não quer ver…….

  14. Muito se fala, mas pouco se acerta…
    A floresta Portuguesa de eucalipos é muito específica. Não existe nenhuma forma de apagar um incêndio em eucaliptal. Mesmo a limpeza desta floresta, que em muitos casos é geográficamente impossível, jamais será uma solução para os incêndios. Limpando todos os anos as áreas, o que teria um custo brutal e completamente imcomportável para a sua rentabilidade, a quantidade de resíduos que o eucaliptal produz durante um ano no seu crescimento natural, nunca impediria a ignição e propagação dos fogos.
    Convençam-se disto:

    QUANDO HÁ UM FOGO EM EUCALIPTAL, SÓ HÁ UMA SOLUÇÃO: DEIXAR ARDER.

    A floresta de eucalipto, sendo um bem importantissimo para a economia Nacional, é fundamental que se criem regras para a sua exploração. Muitas delas já existem, mas não são implementadas nem fiscalizadas. A floresta de eucaliptos é plantada muitas vezes em locais onde jamais deveria estar. Existem plantações de eucaliptos paredes meias com as casas em TODAS as zonas de exploração, quando o afastamento deveria ser de pelo menos 500 metros de qualquer habitação. Não existem nessas zonas um resguardo de pelo menos 30 metros de qualquer estrada para corta-fogo em caso de incêndio. A lei actual diz que o resguardo deve ser de 10 metros para as estradas e 50 para as habitações. De que serve 10 metros num incêndio de eucaliptal?
    Façam-se leis SÉRIAS de acordo com a especificidade desta floresta, implementem-se e fiscalizem-se e acabará o flagelo da perca de vidas humanas com os fogos todos os anos.
    Porque para desgraça dos produtores florestais, fogos em eucaliptal, NUNCA IRÃO ACABAR.

  15. Um artigo de opinião (cheio de erros!), num jornal espanhol, agora representa “os espanhóis”??!
    Enfim… mais um excelente título!…

    • Caro Eu!,
      Como muito bem faz questão de salientar, os detalhes importam.
      O nosso título não diz “Os espanhóis”. Diz “Espanhóis”.
      Faz toda a diferença, uma diferença enorme, que, a ter sido em sentido inverso, não lhe teria seguramente passado despercebida.

  16. Continuo a dizes e a escrever: depois de 74 isto ficou bem pior! Com tantos impostos, porque isto em Portugal nada funciona?! Não é só nisto, mas em tudo! Nada funciona em condições em Portugal! Foi o que deu o 25 Abril de 74!

    • Você pode sempre sair daqui e ir viver para um país com regime autoritário (ditadura), pois infelizmente em pleno século XXI ainda há muitos por aí.

      Portugal não está perfeito; tem muitíssimos problemas, mas culpar o 25 de Abril não passa de uma forma absolutamente imbecil de falar e não dizer nada!

      • Imbecil é a sua mãe e o seu pai que não lhe deram educação! Não sabe argumentar sem insultar!? Não tem capacidade intelectual para isso, certo?! É para isso que gosta do 25 de abril de 74?!?! para insultar..Pois….já reparei que sim…

        • Sentiu-se insultado com o termo imbecil, não sendo ele mais que apenas a verdade relativamente ao seu comentário?! Bem, então nem consigo imaginar como se iria sentir se eu manifestasse aqui aquilo que realmente penso sobre pessoas que pensam como você.

  17. O governo já pediu explicações e quem é que vai pedir explicações ao governo? Serão os seus parceiros na geringonça sempre tão sempre tão activos na crítica aos outros partidos? O melhor mesmo será que todos se assumam como responsáveis pelo que tem acontecido nesta área ao país durante as últimas décadas e que de uma vez por todas se tomem a verdadeiras medidas adequadas, se não houver inteligência neste país suficiente para detectar as verdadeiras causas do mal que peçam ajuda externa.

  18. Falha de comunicações? Então os “comandos” não deveriam estar equipadas com meios alternativos, como por exemplo, os equipamentos de “Banda do Cidadão ” ( City Band) que tão úteis foram, há vários anos, noutras tragédias

    • NÃO, os espanhóis não esquecem o que passou em Cáceres, porque nós somos um povo que sabe apreciar a solidariedade. Por isso nós aplaudimos os bombeiros portugueses no video de Youtube. Por isso nós somos o país que mais ajuda está enviando a nossos irmãos portugueses. E por isso, como espanhola que eu sou, me fere ler comentários como o seu, que interpreta erroneamente um artigo escrito de um ponto de vista objetivo como se fosse escrito com a intenção escura de humilhar a um país. Não cometa um erro: o jornal espanhol que escreve isto, também constantemente escreve nas coisas que ficam ruim na Espanha. Os espanhóis agradecem e nós aplaudimos os bombeiros portugueses quando eles vieram nos ajudar. E Algum português deste foro, em vez de estar satisfeito e apreciar a ajuda dos espanhóis, sentem-se humilhados. Cavalheiros, deixe os complexos para outro momento que os bombeiros espanhóis e os franceses e o italiano e qualquer um que está dando a ajuda , vai para a terra de voçe para salvar vidas, não para invadir o seu país como se eles fossem o exército napoleônico.

  19. António Costa exige explicações?!?! Não!! NÓS é que EXIGIMOS explicações a António Costa!!!
    Geringonça: R.I.P!!!

    Apenas após a morte de 62 pessoas se verificou que, afinal, a geringonça não funciona mesmo e que tudo o resto das “boas notícias” (ratings, etc…) será mais do mesmo: Tapar o Sol com a peneira!!

    Já se desconfiava… Havia dinheiro para tudo, sem cortar em nada… E afinal não houve dinheiro para o mais importante (nem há, no resto, mas os buracos estão escondidos, como este estava). Só há dinheiro para dar aos amigos (e aos próprios) nos negócios do fogo…

    A única coisa que interessa á geringonça é colocar os boys em posições chave e, quando há emergências, os boys não sabem lidar com elas. Um castelo de cartas, é tudo o que este governo é, um castelo de cartas que se esvaiu como o fumo dos incêndios!

    O Rei… Afinal… ia NU!

  20. A unica solucao resume-se apenas a PREVENCAO!!!!

    Mas se a fizermos, nao alimentamos os varios parasitas que vivem a custa dos fogos, privados, politicis e ate bombeiros.

  21. A culpa é da natureza.
    Quem é que podia prever que em pleno mês de Junho, com mais de 40ºC e humidade quase nula, pode haver uma ignição e que a mesma pode dar origem a um incêndio???
    É como nas cheias, quem é que pode prever que nos meses invernosos pode chover muito, haver folhas no chão e isto acontecer numa altura de maré alta, dando origem a “uma” cheia, ainda por cima na capital do país, por mais do que uma ocasião.
    Estas coisas ninguém as pode prever, mas se não chover no inverno e não houver ignições no verão, poderão ver que este governo está totalmente preparado e tudo faz para proteger a população, basta a natureza estar do nosso lado.

  22. Natureza??? Aqui onde estou fez 42º C e nada ardeu…porque será? De acordo com o PM vai demorar 10 anos ate se resolver o problema dos incendios.
    Pergunto: Quanto está ele a receber por fora para não fazer nada relativamente a mafia organizada dos incendios? a culpa é do SIRESP? a sério? mas temos todos 10 anos? abram mas é a pestana senão queimam nos o pais todo e nós os tolinhos não fazemos nada. Viva a Navigator, os fulanos dos aviões alugados e os madeireiros!!! Esta merda é toda deles!!!

  23. O que causou todos estes incêndios e tragédia, não foi o Passos, mas a ignorância no combate e impreparação dos comandos e os grandes voluntários que são os nossos bombeiros, e o problema é simples; é não andar atrás do fogo, mas esperar o fogo no sítio certo, prevenindo a retaguarda e os reacendimentos.
    A ignorância e o facciosismo são inimigos do bem e da sabedoria.
    Este país tem inteligência bacoca a mais.

RESPONDER

Mais de 200 sismos em Yellowstone colocam supervulcão em risco de erupção

Especialistas em atividade sísmica informam que a atividade começou, naquela zona, a 8 de fevereiro, mas desde o dia 15 que tem vindo a acelerar e aumentar de magnitude, o que pode colocar o supervulcão …

Comic Con Portugal troca Matosinhos por Oeiras

A edição de 2018 da Comic Con Portugal vai realizar-se no concelho de Oeiras, e não em Matosinhos como nos últimos anos, de acordo com um comunicado divulgado esta terça-feira pela autarquia presidida por Isaltino …

A 24 de março, estudantes americanos vão marchar pelas suas vidas em Washington

Um grupo de estudantes que sobreviveu ao tiroteio da semana passada, numa escola de Parkland, na Flórida, está a preparar uma marcha em Washington para exigir mudanças na política de armamento dos Estados Unidos. Os sobreviventes do …

Oxfam: mais 26 casos denunciados e cada vez menos financiamento

A Oxfam revelou que recebeu 26 novas denúncias de má conduta sexual por parte de funcionários. A confirmação foi dada esta terça-feira por Mark Goldring, presidente executivo da organização, no parlamento britânico. Desde que o escândalo …

Exército alemão sem equipamentos básicos como coletes de protecção e abrigos de Inverno

A Alemanha, uma das principais economias da Europa, tem um dos exércitos mais mal equipados da NATO, de acordo com um documento confidencial do Ministério da Defesa alemão que foi divulgado por órgãos de informação. Segundo …

Vítor Constâncio deixa BCE com reforma milionária

Quando em Maio deixar o cargo de vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vítor Constâncio vai ter direito a uma "reforma dourada" de 25 mil euros por mês. Os números correspondem à pensão do BCE …

Hugo Soares acusa direção do PSD de "desrespeito institucional grave"

O presidente do PSD não convocou o líder parlamentar, Hugo Soares, para a Comissão Permanente nem para Comissão Política Nacional. Estatutos dizem que presidente da bancada tem assento nos órgãos. O Observador avança que hoje, pelas …

Análises ao sangue e urina poderão detetar precocemente doenças do espectro do autismo

Análises inovadoras ao sangue e à urina poderão vir a detetar precocemente o autismo nas crianças, ligado a danos nas proteínas que estão no plasma sanguíneo. Uma equipa de cientistas baseada na universidade britânica de Warwick …

Torres do Estabelecimento Prisional de Lisboa estão sem vigilância durante 14 horas por dia

As torres do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), onde no início de fevereiro houve desacatos com os reclusos, estão sem vigilância durante 14 horas por dia. O aviso é do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda …

Novos modelos fornecem informações do coração da Nebulosa Roseta

Uma nova investigação, liderada pela Universidade de Leeds, fornece uma explicação para a discrepância entre o tamanho e idade da cavidade central da Nebulosa Roseta e o tamanho e idade das suas estrelas centrais. A Nebulosa …