ESA e Roscosmos vão tentar aterragem histórica em Marte

ATG Medialab / ESA

-

O módulo Schiaparelli a separar-se da sonda TGO (Trace Gas Orbiter) da missão ExoMars 2016

A missão ExoMars 2016, uma parceria entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos), deverá chegar a Marte no dia 16 de outubro e lançar o módulo Schiaparelli para a superfície do planeta, para realizar estudos ambientais.

ExoMars

O foguetão Proton-M que integra a missão foi lançado a partir de Baikonur, no Cazaquistão, no dia 14 de março deste ano.

A missão ExoMars tem como objetivo encontrar sinais de atividade biológica e geológica em Marte e, se tudo correr conforme o planeado, a NASA deixará de ser a única agência espacial a ter realizado, com sucesso, uma aterragem no planeta.

Mais de 40 missões foram enviadas para o planeta vermelho desde o início de 1960.

A primeira tentativa de levar uma sonda para Marte teve lugar em Novembro de 1962, mas a sonda espacial da União Soviética, designada de Sputnik 24, não conseguiu deixar a órbita da Terra.

Os Soviéticos repetiram a experiência em 1971 e 1973, mas todas as sondas se destruíram com o impacto ou simplesmente não conseguiram chegar ao local planeado.

A Agência Espacial Europeia também não tem muita experiência – em 2003, a sonda Beagle 2 chegou à superfície de Marte, mas os seus painéis solares falharam e o equipamento ficou sem energia e sem qualquer contacto com a Terra.

Agora, a ESA têm enormes expectativas que a missão ExoMars, em parceria com a Roscosmos, aterre no planeta sem se destruir pelo caminho.

ESA/ATG medialab

Ilustração do interior da Schiaparelli, módulo de demonstração de Entrada, Descida e Aterragem da ExoMars 2016.

Ilustração do interior da Schiaparelli, módulo de demonstração de Entrada, Descida e Aterragem da ExoMars 2016.

Segundo os especialistas, a missão leva a bordo a sonda TGO (Trace Gas Orbiter) e o módulo Schiaparelli, que vão chegar ao planeta no dia 16 de outubro e depois vão separar-se.

A sonda TGO vai ficar numa órbita elíptica de 96 horas de duração à volta de Marte, para recolher dados sobre a sua atmosfera e procurar metano – que na Terra é responsável por originar processos biológicos e geológicos -, vapor de água e outros gases.

Já o módulo Schiaparelli irá pousar, no dia 19, no planeta vermelho, para medir a velocidade do vento, humidade, pressão atmosférica e temperatura de Marte.

O local previsto de aterragem é a região Meridiani Planum, e a descida deverá demorar seis minutos.

Os especialistas revelam que o módulo Schiaparelli tem de entrar na atmosfera de Marte num ângulo perfeito – caso contrário irá sobreaquecer – e o paraquedas precisará de abrir corretamente, enquanto que três conjuntos de propulsores vão ajudar a diminuir a velocidade da sonda.

O Schiaparelli tem apenas uma hipótese de aterrar corretamente no planeta e qualquer erro que aconteça nesta missão será analisado para uma próxima missão, em 2020.

BZR, ZAP / Hypescience

PARTILHAR

RESPONDER

Salvini tem trunfo na manga para pedir novamente eleições antecipadas

Uma vitória da Liga nas eleições regionais de Emilia Romagna pode dar a Matteo Salvini o pretexto para exigir eleições antecipadas em Itália. Matteo Salvini continua de olhos postos no cargo de primeiro-ministro e pode voltar …

Trocar garrafas de plástico por descontos só será possível em março

O projeto-piloto para o depósito de garrafas de plástico a troco de talões de desconto nos supermercados estava previsto arrancar em janeiro. Porém, o atraso em desbloquear fundos de financiamento pode empurrar o arranque para …

Depressão Glória. Quedas de árvores, falhas de eletricidade e um ferido grave

A depressão Glória já provocou várias quedas de árvores, falhas na eletricidade e um ferido grave. Coimbra, Viseu e Castelo Branco são os distritos mais afetados. "O concelho mais afetado, neste momento, é Coimbra", afirmou o …

Ministério Público contratou ex-agente da PJ para analisar contas da Operação Tutti Frutti

As contas do caso Tutti-Frutti foram entregues a Edígio Cardoso, antigo diretor da Unidade de Perícia Financeira e Contabilística (UPFC) da Polícia Judiciária, reformado há mais de um ano. A investigação do caso Tutti-Frutti iniciou-se em …

Reconstruções em Pedrógão. Gulbenkian exige indemnização de meio milhão por suspeita de ilegalidades

A Fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de euros por ilegalidades na reconstrução de casas de Pedrógão. Estão em causa cinco habitações. A fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de …

Austrália. Depois dos incêndios, chega o granizo (e já está a provocar estragos)

A Austrália está a recuperar dos enormes incêndios dos últimos meses. No entanto, a costa oriental do país debate-se agora com chuvas intensas que tem provocado inúmeras inundações. As fortes chuvas que caíram esta segunda-feira proporcionaram …

Taxa sobre produtos poluentes rendeu 200 milhões em dois anos

A taxa aplicada sobre produtos poluentes - plástico, cartão, embalagens de vidro, entre outros -, rendeu ao Estado português 199,6 milhões de euros em dois anos, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira. O valor, arrecadado …

"Mito sem sentido". Santos Silva rejeita que Portugal seja "amigo especial" da China

O ministro dos Negócios Estrangeiros rejeitou, em entrevista ao Financial Times, que Portugal esteja a desenvolver uma dependência problemática relativamente à China. É um "mito sem sentido", defendeu Augusto Santos Silva. O governante falou ao …

Justiça espanhola liga ex-ministro a alegado caso de corrupção. António Vitorino nega

A Justiça espanhola diz que o ex-ministro socialista se terá apropriado de 35 milhões de euros da petrolífera estatal venezuelana PDVSA. António Vitorino nega. A justiça espanhola alega que uma sociedade de António Vitorino, antigo ministro …

Há um obstáculo que pode travar a primeira condenação de Salgado

Ricardo Salgado foi condenado a pagar 4 milhões de euros e proibido de ser banqueiro nos próximos dez anos. No entanto, ainda há um último obstáculo que pode travar a sua condenação. O Tribunal Constitucional rejeitou …