Costa não exclui demissão apesar de o diploma dos professores estar condenado ao fracasso

João Relvas / Lusa

O primeiro-ministro não descarta a hipótese de o Governo se vir a demitir, mesmo depois de o PSD e o CDS terem recuado, garantindo que rejeitariam um diploma que reconhecesse na íntegra o tempo de carreira dos professores, pondo em causa as contas do país. O texto parece condenado ao fracasso, ao passo que a crise política parece mais perto de estar sanada.

“O Governo não terá outro remédio senão demitir-se”, assegurou esta segunda-feira o líder do Executivo, em declarações à TVI, mantendo a ameaça de demissão em cima da mesa caso o decreto para a aprovação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias seja aprovado em votação final. Esta foi a primeira entrevista de António Costa depois da ameaça de demissão.

Costa anunciou na passada sexta-feira, e depois de todos os outros partidos terem votado favoravelmente o diploma em causa na especialidade, que o Governo não teria outra opção senão demitir-se, uma vez que a medida afetaria as contas e a governabilidade do país.

E o mesmo fator financeiro foi frisado ontem pelo primeiro-ministro: “São consequências que põem em causa a estabilidade financeira do país, a equidade entre os portugueses e a credibilidade internacional de Portugal. Isto compromete a governabilidade no presente e condiciona de forma inadmissível a governabilidade no futuro. Se se confirmar, o Governo não terá outro remédio”, reiterou António Costa.

Foi também o fator financeiro que fez com que a direita recuasse. PSD e CDS decidiram depois do anúncio de sexta-feira fazer “salvaguardas financeiras” nas propostas que vão levar à votação final ao Parlamento.

Os partidos liderados por Rui Rio e Assunção Cristas, respetivamente, querem deixar claro no diploma que a recuperação do tempo de serviço dependerá sempre das condições financeira do país – no fundo, a direita acionou um “travão financeiro”. Os líderes da direita anunciaram que vão avocar para plenário, imediatamente antes da votação final global, normas condicionantes de ordem económico-financeira à possibilidade de recuperação de tempo de serviço, sem as quais dizem não votar a favor do texto final.

À esquerda, a posição mantém-se: Bloco e PCP dizem que as condições agora apontadas pela direita são inaceitáveis e, como tal, não vão recuar, mantendo o seu sentido de voto.

Contas feitas, a esquerda prepara-se para chumbar as propostas da direita e, como isso, PSD e CDS não aprovam o reconhecimento integral da carreira. A coligação negativa desfaz-se e a medida deverá cair por terra, salvando a demissão do Governo socialista.

Tal como sintetiza o semanário Expresso, o” (des)cruzamento destas vontades inviabilizará o diploma aprovado na última quinta-feira”. E a demissão do Executivo parece esvaziar-se.

Ainda assim, António Costa mantém todos os cenários em aberto, uma vez que PSD e CDS “têm dito tudo e o seu contrário”. “Aquilo que desejo é o que anunciei, que não haja qualquer alteração ao decreto, que se mantenha o que é compatível com a capacidade orçamental do país, e que permita assegurar aos professores o mesmo que aos oficiais da GNR (…) e outros corpos sociais e manter credibilidade internacional do país”, disse.

“Não é possível ser justo para com os professores e com as outras carreiras sem fazer cortes (…) Prefiro falar a verdade”, sustentou o primeiro-ministro.

Na entrevista à TVI, que Assunção Cristas e Rui Rio recusaram participar, Costa voltou a apontar baterias à direita, poupando os partidos de esquerda – tudo em linha com o que tinha dito já na passada sexta-feira. “Quem deu grande cambalhota foi o PSD e o CDS”.

António Costa voltou a recusar estar a forçar eleições antecipadas: “A última coisa que um primeiro-ministro deseja é demitir-se e que haja uma crise política (…) Se isso fosse assim, não teria dito o que disse no momento da especialidade e esperava pela votação final global e quando não houvesse remédio demitia-me”.

O Presidente da República não se pronunciou ainda sobre a situação. Assunção Cristas pediu uma audiência com Marcelo Rebelo de Sousa mas o pedido ficou, para já, em resposta. “O Presidente já tinha definido uma agenda interna mínima até às eleições europeias”, explicou ao Expresso a assessoria de comunicação da Presidência.

2 anos, 9 meses e 2 dias

Tendo em conta o recuo do CDS e PSD e o reafirmar de posição do Bloco e PCP, o diploma do professores deverá cair por terra. Para os professores, estas são más notícias: sem que o diploma seja aprovado, vigorará a lei do Governo, sendo apenas contados 2 anos, 9 meses e 18 dias – longe dos 9 anos, 4 meses e 2 dias reivindicados pelos docentes.

A partir desta terça-feira, o Parlamento entra num período crucial no que respeita à decisão final sobre este diploma. Para esta tarde está marcada uma nova reunião da comissão parlamentar de Educação. Apesar de a crise política parecer sanada, Costa insiste em esperar para ver. “Aguardo com serenidade”, confessou.

Quanto as votos que poderá ter perdido da classe docente, o primeiro-ministro lamenta. “Os professores podem votar todos contra mim. Olhe, tenho pena. Até posso achar que é injusto. Mas eu não vou criar ilusões a dizer que vou devolver a integralidade do tempo porque eu sei que não só não vou eu como não vai ninguém”, rematou.

SA, ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

    • Ou ir dar umas aulas, coisa que, ao que parece, já não faz há mais de 20 anos. Como é que isto é possível?! O homem deveria ter tirado uma qualquer licenciatura em Sindicalismo! Agora, professor!!! Será tanto como eu que nunca dei uma aula em toda a minha vida.

  1. O Nogueira vai até casa mas sem a viola no saco. Este não é lambe p….. do patronato como o Carlos Silva da UGT

    • Qual patronato? O Estado ladrão que gasta dinheiro (dos contribuintes) à bambalhona e quando o carcanhol não chega carrega forte e feio nos contribuintes? Esta canalha é que eu queria ver a gerir uma empresa em concorrência com outras e a vender os mesmos produtos. Para ver como é que eles se aguentavam!|!!

  2. Está visto que o macaco já tinha a dele fisgada…
    Como o seu golpe de teatro está condenado ao fracasso, e como ele queria mesmo era eleições antecipadas, vem agora ameaçar que ainda assim se pode demitir !!
    Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo.

  3. É curioso ouvir políticos, que esperamos serem sensatos e de rigor, a exigir direitos e benesses como se o dinheiro surgisse ininterruptamente de qualquer fonte. E os encargos com a gestão corrente do país? Gere-se mal? Então que apresentem soluções e tornem-se credíveis ao eleitorado. Se a mensagem não passa vejam as acções recorrentes dos seus correlegionários, e ponham em prática um manual de ética.

    • Políticos sensatos e de rigor??? Rsrsrsrsrsrsrrsrrsrsrrsrsrrrsrsrrsrrsrsrrrrrsrrrsrsrrssrrsrsrrsrsrrssrrsrsrrsrsrrsrsrrsr

  4. Quem se põe a analisar a classe politica Portuguesa… a conclusão que tira é que os políticos primeiro pensam neles depois no partido, e nos amigos e nunca no País… Depois dão o dito por não dito… Que raio de gente que nos havia de calhar….

RESPONDER

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …

"Narco Drones" apanhados a entregar drogas numa prisão chilena

Reclusos e cúmplices no exterior estão a usar drones para contrabandear droga para a prisão mais antiga do Chile. As autoridades chilenas descobriram que o esquema de contrabando tinha como objetivo transportar drogas para a Ex …

Erupção do vulcão Etna causa problemas económicos na Sicília

Nos últimos meses, o vulcão Etna tem estado em constante erupção e o custo de limpeza das cinzas está a deixar muitas cidades da Sicília à beira da falência. O vulcão Etna – um dos mais …

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …

Costa diz que Portugal vai ter "o dobro" de fundos comunitários para investir

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, que Portugal vai contar, nos próximos sete anos, com "o dobro" de fundos comunitários para investimento, considerando que esta "é uma oportunidade única" que não pode ser desperdiçada. "Vamos ter a …

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …