Corbyn quer eleições (e vai adiar o Brexit se as vencer)

andymiah / Flickr

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn

Num discurso em Wakefield, sobre a estratégia do Labour para a saída do Reino Unido da União Europeia, Corbyn estabeleceu como prioridade chumbar o acordo da primeira-ministra e marcar eleições de seguida.

Apesar de reconhecer que quer propor uma moção de censura ao executivo conservador de May, o trabalhista preferiu esconder o jogo – não disse quando o faria. “A nossa prioridade terá de ser convocar uma eleição. Não só é a opção mais prática, como é também a mais democrática”, insistiu.

Jeremy Corbyn pôs um travão aos anseios de uma fatia alargada do Partido Trabalhista, que quer acelerar a apresentação de uma moção de censura ao Governo de Theresa May e quer ouvir o líder defender um segundo referendo ao Brexit.

Cornyn, contudo, admite que poderá ser necessário adiar a data de saída, para poder sentar-se à mesa com Bruxelas, escreve o Público.

May teve duas derrotas no Parlamento em dois dias: viu os deputados limitarem a ação do Governo num cenário de divórcio sem acordo e reduzirem, de 21 para três dias, o tempo disponível para apresentar o seu plano B para o Brexit, se o plano A for chumbado.

Face à oposição dentro e fora da aliança parlamentar entre o Partido Conservador e o Partido Unionista Democrático, tudo aponta para uma terceira derrota, mais estrondosa na terça-feira, quando o acordo for apresentado na Câmara dos Comuns.

Corbyn pautou-se pela ambiguidade. Por um lado, desafiou May a convocar eleições e assegurou que se a primeira-ministra não o fizer, o Labour avança para a censura. Mas por outro, disse que essa movimentação só ocorrerá “no momento em que o partido entender que terá melhores hipóteses de sucesso”.

“É óbvio que não temos deputados suficientes para ganhar uma moção sozinhos. Por isso precisamos que os restantes membros da câmara votem connosco, para acabarmos com o impasse”, justificou.

Apesar de Bruxelas já ter repetido que o acordo na mesa é o único que está disposta a oferecer, Corbyn continua convicto de que é possível rever os termos do Brexit. Uma possibilidade que, defende, está ao alcance do vencedor das eleições, que receberá “um mandato renovado para negociar um acordo melhor para o Reino Unido”.

Com a saída da UE agendada para 29 de março, resta pouco tempo para pôr em prática o plano de Corbyn. Questionado sobre o calendário apertado em que pretende ter uma moção, uma eleição, uma renegociação do acordo e um divórcio, o trabalhista acabou por admitir: um Governo liderado por si teria de pedir aos 27 Estados-membros a extensão do prazo definido pelo artigo 50º do Tratado da UE e adiamento da data de saída.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E no final caso vença vai fazer as pazes com os nossos guarda-costas europeus e exigir-lhes ainda mais regalias e descompromissos do que aqueles que tinham anteriormente e nós cá deste lado do continente vamos achar muita graça como os ingleses conseguem sempre ludibriar estes nossos atentos protectores. Será que ainda vamos ter a libra como moeda, conduzir à esquerda e inglês como língua única?

Augusto Inácio abandona comando técnico do Desportivo das Aves

O treinador Augusto Inácio deixou hoje o comando técnico do Desportivo das Aves, informou em comunicado o 18.º e último classificado da I Liga de futebol. "Augusto Inácio já não é treinador do Clube Desportivo das …

"A Google sabe sempre onde são os primeiros surtos de gripe"

Hoje em dia, "há uma tendência para disponibilizar tudo na Internet", o que pode ser perigoso e ter consequências para toda a vida. O alerta é da presidente da Comissão Nacional de Protecção de Dados …

Queda de avião ligeiro causa três mortos no Brasil

Um avião ligeiro caiu hoje na cidade brasileira de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, deixando três mortos e três pessoas feridas, segundo informações do corpo de bombeiros divulgadas pela imprensa local. O acidente aconteceu em …

Austrália pressionada a restituir 5000 milhões de dólares a Timor-Leste

A Austrália deve devolver cinco mil milhões de dólares (4470 mil milhões de euros) a Timor-Leste, defenderam entidades que foram depor num inquérito no Parlamento australiano, responsável por examinar a conduta do país durante as …

Joacine deverá ter tolerância devido a gaguez

Uma fonte parlamentar disse ao Expresso que Joacina Katar Moreira, deputada eleita pelo Livre, deverá ter "flexibilidade" pela mesa da Assembleia da República durante o seu discurso. A entrada de novos partidos para no Parlamento traz …

"Gostaram da geringonça." Manuel Alegre diz que eleitores de esquerda estão "desiludidos"

Em entrevista à Rádio Renascença, Manuel Alegre disse que quem votou à esquerda pode sentir-se desiludido por não haver uma nova geringonça. Manuel Alegre considera que, para existir um novo acordo entre os partidos de esquerda, …

Em Portugal, há 153 idosos para cada 100 jovens

O retrato estatístico da Pordata revela que há em Portugal 153 idosos por cada 100 jovens, o que equivale ao terceiro maior rácio da União Europeia. São 10,2 milhões, mais velhos que novos, num país em …

Estamos a viver um "apartheid climático" (e quem tem menos dinheiro vai sofrer ainda mais)

O mundo está a viver um "apartheid climático" e no futuro, serão os mais pobres os que mais vão sofrer as consequências das alterações climáticas. O alerta é do cientista Alexandre Quintanilha. "Estamos a viver um …

Catalunha. Manifestações provocam 199 detidos e 289 polícias feridos numa semana

Quase 200 pessoas foram detidas e 289 agentes da polícia ficaram feridos desde a passada segunda-feira nos protestos na Catalunha contra a sentença que condenou 12 dirigentes políticos catalães, segundo fontes policiais. Desde a passada segunda-feira, …

Quase metade do rendimento das famílias na Grande Lisboa é para pagar renda

A prestação derivada da compra de uma casa na Área Metropolitana de Lisboa (AML) representa uma taxa de esforço de 28% para as famílias. Contudo, arrendar é ainda mais dispendioso, com as rendas a representarem …