Corbyn quer eleições (e vai adiar o Brexit se as vencer)

andymiah / Flickr

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn

Num discurso em Wakefield, sobre a estratégia do Labour para a saída do Reino Unido da União Europeia, Corbyn estabeleceu como prioridade chumbar o acordo da primeira-ministra e marcar eleições de seguida.

Apesar de reconhecer que quer propor uma moção de censura ao executivo conservador de May, o trabalhista preferiu esconder o jogo – não disse quando o faria. “A nossa prioridade terá de ser convocar uma eleição. Não só é a opção mais prática, como é também a mais democrática”, insistiu.

Jeremy Corbyn pôs um travão aos anseios de uma fatia alargada do Partido Trabalhista, que quer acelerar a apresentação de uma moção de censura ao Governo de Theresa May e quer ouvir o líder defender um segundo referendo ao Brexit.

Cornyn, contudo, admite que poderá ser necessário adiar a data de saída, para poder sentar-se à mesa com Bruxelas, escreve o Público.

May teve duas derrotas no Parlamento em dois dias: viu os deputados limitarem a ação do Governo num cenário de divórcio sem acordo e reduzirem, de 21 para três dias, o tempo disponível para apresentar o seu plano B para o Brexit, se o plano A for chumbado.

Face à oposição dentro e fora da aliança parlamentar entre o Partido Conservador e o Partido Unionista Democrático, tudo aponta para uma terceira derrota, mais estrondosa na terça-feira, quando o acordo for apresentado na Câmara dos Comuns.

Corbyn pautou-se pela ambiguidade. Por um lado, desafiou May a convocar eleições e assegurou que se a primeira-ministra não o fizer, o Labour avança para a censura. Mas por outro, disse que essa movimentação só ocorrerá “no momento em que o partido entender que terá melhores hipóteses de sucesso”.

“É óbvio que não temos deputados suficientes para ganhar uma moção sozinhos. Por isso precisamos que os restantes membros da câmara votem connosco, para acabarmos com o impasse”, justificou.

Apesar de Bruxelas já ter repetido que o acordo na mesa é o único que está disposta a oferecer, Corbyn continua convicto de que é possível rever os termos do Brexit. Uma possibilidade que, defende, está ao alcance do vencedor das eleições, que receberá “um mandato renovado para negociar um acordo melhor para o Reino Unido”.

Com a saída da UE agendada para 29 de março, resta pouco tempo para pôr em prática o plano de Corbyn. Questionado sobre o calendário apertado em que pretende ter uma moção, uma eleição, uma renegociação do acordo e um divórcio, o trabalhista acabou por admitir: um Governo liderado por si teria de pedir aos 27 Estados-membros a extensão do prazo definido pelo artigo 50º do Tratado da UE e adiamento da data de saída.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. E no final caso vença vai fazer as pazes com os nossos guarda-costas europeus e exigir-lhes ainda mais regalias e descompromissos do que aqueles que tinham anteriormente e nós cá deste lado do continente vamos achar muita graça como os ingleses conseguem sempre ludibriar estes nossos atentos protectores. Será que ainda vamos ter a libra como moeda, conduzir à esquerda e inglês como língua única?

RESPONDER

Marco António Costa apoia Pinto Luz. Cavaco também era “improvável e desconhecido”

O antigo vice-presidente do PSD declarou, esta segunda-feira, o seu apoio ao candidato Miguel Pinto Luz, afirmando que, em 1985, Cavaco Silva também foi um vencedor "improvável e desconhecido". "Em maio de 1985, o Governo de …

Veneza com "centenas de milhões" de euros de prejuízo por causa das cheias

A cidade de Veneza, com inundações nos últimos dias, voltou este domingo a registar uma maré alta, mas de menor magnitude, tendo as chuvas intensas que afetam Itália levado a alertas para as cidades de …

Vila Galé abandona projeto que ameaçava reserva indígena no Brasil

O Vila Galé anunciou que vai abandonar o projeto para a instalação de um resort na região da Bahia, que tem estado debaixo de críticas por estar previsto para um local de potencial reserva indígena. Em …

Depois de ter sido expulsa da Hungria, universidade criada por George Soros reabre na Áustria

A Universidade da Europa Central, criada pelo bilionário George Soros em Budapeste, na Hungria, em 1991, foi expulsa do país depois que o primeiro-ministro Viktor Orbán a acusou de promover valores liberais no país, incluindo …

Bloco defende fim de portagens nas ex-Scut do interior

A coordenadora do BE defendeu esta segunda-feira, no Porto, o fim das portagens nas ex-Scut do interior do país e a necessidade de "rever" as parcerias público-privadas rodoviárias por serem "absolutamente lesivas para os cofres …

Jovem muçulmana de Tavira já tem equipamento para jogar basquetebol

A jovem atleta do Clube de Basquetebol de Tavira, impedida de alinhar num jogo no passado domingo, já possui o equipamento que lhe permite jogar segundo as regras da modalidade e da religião muçulmana. Fátima Habib …

Presidente da Catalunha começa a ser julgado por desobediência

O presidente do Governo regional da Catalunha reconheceu, esta segunda-feira, que não cumpriu a ordem da comissão nacional de eleições espanhola de remover os símbolos separatistas alegando ser "ilegal" e de cumprimento "impossível". "Sim, eu desobedeci", …

Um restaurante acabou de abrir a um quarteirão da Casa Branca. Chama-se "Comida de Imigrante"

Um restaurante chamado "Immigrant Food" ("Comida de Imigrante") abriu a um quarteirão da Casa Branca. O local quer fazer com que ajudar imigrantes seja tão fácil como pedir comida de um menu. Assim, além de comida, …

Trump admite testemunhar no inquérito para a sua destituição

O Presidente dos EUA admitiu, esta segunda-feira, "considerar seriamente" a possibilidade de testemunhar por escrito no inquérito para a sua destituição, que decorre no Congresso. "Embora não tenha feito nada de errado e não goste de …

INE espanhol está a "espiar" telemóveis para estudo estatístico

Um estudo do INE espanhol está a receber duras críticas por alegadamente infringir a privacidade de dados dos cidadãos. O gabinete irá monitorizar os telemóveis dos espanhóis. O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Espanha deu …