Arábia confirma morte de Khashoggi no consulado. Foi durante “uma luta”

Ali Haider / EPA

O jornalista saudita desapareceu no passado dia 2 de outubro em Istambul

A Arábia Saudita reconheceu esta sexta-feira que o jornalista saudita Jamal Khashoggi foi morto no seu consulado em Istambul, na Turquia, durante uma luta, referindo que 18 sauditas estão detidos como suspeitos.

“Investigações preliminares realizadas pelo Ministério Público sobre o desaparecimento do cidadão saudita Jamal bin Ahmad Khashoggi revelaram que discussões, que ocorreram entre ele e as pessoas que se encontraram com ele durante a sua presença no consulado saudita em Istambul, levaram a uma luta com o cidadão, Jamal Khashoggi, que causou a sua morte. Que a sua alma descanse em paz”, refere a agência noticiosa SPA, citando os procuradores sauditas.

A agência estatal de notícias saudita revelou também que um conselheiro próximo do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, foi demitido, juntamente com três líderes dos serviços de inteligência do reino e oficiais.

De acordo com a agência Reuters, o rei Salman ordenou ainda a formação de um comité ministerial liderado pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para reestruturar os serviços secretos do reino. As informações até  agora reveladas não identificam os 18 sauditas detidos pelas autoridades.

Esta é a primeira vez que as autoridades da Arábia Saudita que, até então, negaram qualquer responsabilidade ou envolvimento no desaparecimento do jornalista, admitem a morte de Jamal Khashoggi.

Na semana passada, a CNN dava conta que as autoridades sauditas se preparavam para admite a morte do jornalista estando, para isso, a elaborar um relatório em que admitiam a morte do jornalista, justificando-a como resultado de um interrogatório que correu mal.

De acordo com o canal de notícias norte-americano, a Arábia acrescentava no relatório que a operação tinha sido levada a cabo sem transparência e autorização, garantindo ainda que os responsáveis iam ser punidos.

Trump considera justificações “credíveis”

O Presidente norte-americano considerou credíveis as explicações da Arábia Saudita sobre a morte do Jamal Khashoggi no seu consulado em Istambul. Donald Trump questionado por jornalistas se julgava a versão de Riade “credível” respondeu: “Sim, Sim”.

“Ainda é cedo, não terminamos a nossa avaliação ou investigação, mas acho que é um passo muito importante”, acrescentou em referência às revelações sauditas.

Os Estados Unidos acrescentaram ainda, através da porta-voz da administração, Sarah Sanders: “Estamos tristes por saber que a morte de Khashoggi foi confirmada”.

Sanders disse ainda que tomaram nota do anúncio do reino saudita de que “a investigação sobre o destino de Jamal Khashoggi está a avançar” e que foram tomadas medidas “contra os suspeitos que foram identificados até ao momento”.

Guterres está “profundamente preocupado”

Já o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, declarou este sábado estar “profundamente preocupado com a confirmação da morte de Jamal Khashoggi”.

De a acordo com um comunicado divulgado pela ONU, António Guterres aponta para a “necessidade de uma investigação rápida, completa e transparente sobre as circunstâncias da morte” de Jamal Khashoggi. “Os responsáveis são totalmente responsáveis” pelas suas ações, acrescentou ainda o secretário-geral das Nações Unidas.

Khashoggi, jornalista saudita residente nos Estados Unidos desde 2017, era apontado como uma das vozes mais críticas da monarquia saudita. O jornalista, de 60 anos, entrou no consulado da Arábia Saudita em Istambul no dia 2 de outubro para obter um documento para casar com uma cidadã turca e nunca mais foi visto.

De acordo com notícias que foram publicadas na Turquia e nos EUA, as autoridades turcas têm provas de que o jornalista foi torturado e assassinado no consulado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Ora cá começa a lavagem dos mandantes.
    18 detidos, uns demitidos, blá, blá, o conselheiro que aconselhou mal,…
    Ah, luta, hã?
    18 contra aquele especialista em Muai-Thai, ah, ah, ah…
    Luta tão intensa que até tiveram de usar um especialista forense para “juntar” os restos?
    Chiça, é lata!

  2. È incrível e revoltante assistir aonde chega a hipocrisia dos estados e organizações internacionais. A Arábia Saudita é um regime de porcos, que são tratados com todos os salamaleques pela comunidade internacional, só porque têm muito dinheiro. Os Estados Unidos que lhes venderam todo um arsenal militar, invadiram o Iraque a pedido dos sauditas, quando o Iraque apesar do Sadam era uma sociedade muito mais evoluída em termos de direitos humanos do que Arábia Saudita. Fazem-se eventos desportivos internacionais nestes países árabes ricos, como a natação etc, onde as mulheres desses países nem podem vestir um fato de banho, não podem conduzir, nem votar, etc, etc, etc. Onde esta a coeerencia quando em outros casos eventos foram boicotados ate pelos próprios atletas ???…..

Responder a Eu! Cancelar resposta

Espanha pode ficar isenta de cumprir caudais do rio Tejo por causa da falta de chuva

Os caudais do Tejo podem ficar ainda mais baixos dentro de semanas. Com a falta de chuva, Espanha deverá invocar a exceção prevista na Convenção de Albufeira para não libertar os valores mínimos de água …

Haaland tem cinco namoradas e meio mundo atrás dele (mas pode seguir o caminho da Red Bull)

Apesar do interesse de grandes clubes do futebol mundial, Haaland pode seguir o trilho da Red Bull e transferir-se para do Salzburg para o Leipzig. O norueguês é uma das maiores jovens promessas da atualidade. Erling …

PSD pondera propor fim dos debates quinzenais e torná-los mensais

O PSD está a ponderar apresentar uma proposta para acabar com os debates quinzenais com o primeiro-ministro e torná-los mensais. A proposta passa também pela substituição de um desses "duelos" atuais por um debate temático …

Segunda vítima mortal nos protestos de Hong Kong. Xi Jinping condena manifestações

O quarto dia consecutivo de protestos ficou marcado pela morte de um homem de 70 anos. Esta é a segunda vítima mortal desde o início das manifestações em Hong Kong. De acordo com a imprensa internacional, …

Governo prepara dois novos escalões de IRS para a classe média

O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que o objetivo do Governo no próximo Orçamento é dar “um primeiro passo” para conferir uma maior progressividade no IRS e diminuir o peso deste imposto sobre os vencimentos da …

Dois procuradores do caso Tancos vão sair do DCIAP

Os procuradores Vítor Magalhães e João Valente, da equipa que investigou o caso Tancos, vão sair do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) no âmbito do movimento de magistrados do Ministério Público (MP), …

Cerca de 40% dos hospitais têm ruturas diárias de medicamentos

Os preços "excessivamente baixos dos medicamentos genéricos" são a causa mais importante identificada pelos hospitais para as ruturas de fornecimento. Quase 40% dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) indicam ter diariamente ruturas no fornecimento …

Secretário de Estado: despenalizações como a que absolveu o Benfica vão terminar. "Será inapelável"

João Paulo Rebelo assegurou que a entrada em vigor da lei de combate à violência no desporto evitará situações como a que levou à recente anulação do castigo imposto ao Benfica. O secretário de Estado da …

Morales quis dialogar. Presidente interina da Bolívia mandou-o calar-se

O ex-Presidente Evo Morales ofereceu-se para regressar à Bolívia para "ajudar a pacificar o país, não para ser candidato", mas Jeanine Añez, que assumiu a presidência interina do país, respondeu que Morales não pode participar …

Cientistas reconstruiram a cara mutilada de uma guerreira Viking

Um esqueleto encontrado num cemitério Viking em Solør, na Noruega, tinha sido identificado como sendo de uma mulher há vários anos, mas os especialistas não tinham a certeza se tinha sido verdadeiramente uma guerreira. Agora, a …