Barreiras Duarte não estava no Parlamento mas “votou” contra o Orçamento

PSD / Flickr

Feliciano Barreiras Duarte, secretário-geral do PSD

O ex-secretário-geral do PSD, Feliciano Barreiras Duarte, votou contra o Orçamento de Estado para 2019 (OE2019), apesar de não se encontrar presente no Parlamento à hora da votação final da proposta do Governo na generalidade.

Um caso de “voto-fantasma” que surge depois das falsas presenças no Parlamento de José Silvano, José Matos Rosa e Duarte Marques, também deputados do PSD.

De acordo com o que apurou o SAPO 24, Feliciano Barreiras Duarte marcou presença na sessão de discussão do OE2019, no passado dia 30 de Outubro, mas ausentou-se antes da votação do documento na generalidade. Apesar disso, o seu voto contra ficou registado, o que significa que alguém usou a sua password para votar por ele.

Uma “fonte autorizada pelo deputado” justificou àquela publicação que o ex-secretário-geral do PSD teve que sair do plenário, cinco horas antes da votação final, devido a “uma emergência familiar“.

“A sua saída do Parlamento, depois de ter assistido a toda a sessão [da manhã], teve a ver com a sua condição de Pai, que tem tido um dos seus filhos com sucessivos problemas de saúde, que o tem levado inclusive a muitos internamentos hospitalares e a outros acompanhamentos médicos e familiares regulares”, explicou a mesma fonte.

Feliciano Barreiras Duarte não se lembra “se deixou o sistema ligado”, nem sabe “o que se passou a seguir”, mas é certo que não pediu a ninguém para votar por ele, assegura esta fonte não identificada.

O Observador acrescenta que o deputado do PSD saiu do Parlamento antes da pausa para o almoço, pelas 13 horas, enquanto a votação final só aconteceu já depois das 18:30 horas. Assim, alguém teve de entrar no sistema com a password de Feliciano Barreiras Duarte, para poder votar por ele.

O deputado do PSD já reportou o caso aos serviços da Assembleia da República, “para que a sua ausência da votação seja devidamente registada”, como apurou o Observador.

O Regimento da Assembleia da República determina que “não é admitido o voto por procuração ou por correspondência”.

Em termos práticos, o “voto-fantasma” de Feliciano Barreiras Duarte não teve consequências decisivas, designadamente no resultado final da votação do OE2019, que foi aprovado, nem nos ganhos pessoais do deputado.

O ex-secretário-geral do PSD esteve, recentemente, envolvido noutra polémica devido a irregularidades no seu currículo, caso que o levou a abandonar o cargo no partido. Além disso, também recebeu subsídios de deslocação do Parlamento por ter declarado que vivia no Bombarral, no distrito de Leiria, quando residiria de facto em Lisboa.

ZAP //

PARTILHAR

14 COMENTÁRIOS

  1. Este tipo é um artista português, verdadeiro modelo do nacional chico espertismo, só podia militar nas hostes do PSD. Primeiro,não vai aos plenários e no entanto a sua presença é confirmada e validade. Depois, continua a não ir aos plenários e consegue votar. Será a implementação do tele voto na Assembleia da República? E pensar que esta gente tão honesta já nos (des)governou, e só de pensar que por azar um dia possam voltar a ser /des)governo, até fico com os cabelos em pé….

    • Assino por baixo. Parafraseando o Sr.Joaquim, “são apenas bonecos do parlamento, é indiferente estarem ou não”. O problema é que quem lhes paga somos todos nós, e eu, custa-me pagar a alguém que não trabalha..

  2. Não sei qual o escândalo. Em Portugal ao contrário de países evoluidos como o Brasil ou Estados Unidos o mandato do deputado não é seu é do partido. São apenas bonecos por isso é indiferente estarem lá ou não no parlamento

  3. Pode ter sido um voto por correspondência, por antecipação. E ter sido considerado / contado aquando a votação ;). Fora de brincadeiras, o banho de ética do Dr. Rui Rio, apesar de o apreciar, está a ser minado pelos seus colegas de partido, que de ética pouco ou nada têm salvo um ou outro.

  4. Eu só vou acreditar nas presenças se forem validadas por impressões digitais, ou scaner das retinas. E não podem levar a mal, há muitos hospitais em que as presenças dos médicos, infermeiros, etc, são validadas pelas impressões digitais.
    Com estes mafiosos não se pode facilitar, nem têm receio ou vergonha, estão completamente impunes.

  5. Mais um caso a confirmar a tendência para a comédia que domina aquela sala que deveria ser um exemplo nacional mas que infelizmente mais parece uma farsa, vá lá confiar em políticos!.

  6. Se eles representam os cidadãos e uma vez que “o exemplo vem de cima”, vamos todos proceder do mesmo modo (com faltas, atrasos, entradas tarde e saídas cedo, dormir e pintar unhas, marcar ponto estando ausente, falar ao telemóvel e teclar assuntos particulares e profissionais doutras atividades, etc.) nos nossos empregos.

  7. Alguém se lembra do voto queijo limiano de Daniel Campelo? Talvez não fosse preciso, pois ainda se descobria que algum dos outros não estava lá.

  8. Como é possíiiivel … E estes fulanos ainda falam em serem transparentes … Deveriam ser expulsos por faltarem à verdade.
    Se fosse a julgamento e prestasse falsas declarações (que esteve e votou) poderia ir preso? É este o país, é isto que temos.

  9. Epá a sério?
    Mais uma e outra vez do partido da setinha!
    Mas será que se uniram todos para os tramar?
    Este PSD vai de mal a pior…

RESPONDER

Cartel de Sinaloa abre fogo e obriga polícia a libertar filho de “El Chapo”

O filho de El Chapo, Ovidio Guzmán López, foi libertado depois de várias horas de violência que se seguiram à sua detenção e o ministro da Defesa argumentou com medidas de segurança para o fazer. O …

Portugal tem 796 mil “eleitores-fantasma”

Portugal tem mais 796 mil eleitores do que população residente com 18 e mais anos. O número de inscritos nos cadernos eleitorais, em território nacional, apresenta uma diferença de 9,3% face ao número de residentes …

Lenine Cunha e Ana Filipe conquistam mais duas medalhas nos INAS Global Games

Os portugueses Lenine Cunha e Ana Filipe conquistaram esta quinta-feira medalhas de prata e bronze, respetivamente, nos INAS Global Games, competição mundial para atletas com deficiência intelectual, que decorre em Brisbane, na Austrália. Os dois pódios …

Homem detido em França por ameaça de ataque inspirado no 11 de setembro

Um indivíduo identificado como sendo um radical islâmico foi detido em França acusado de terrorismo devido a uma ameaça de sequestro e ataque inspirado no atentado às Torres Gémeas, nos Estados Unidos, em 2001, anunciaram …

Nick Cave and The Bad Seeds regressam a Portugal em 2020

Dois anos depois do concerto no NOS Primavera Sound, no Porto, Nick Cave and The Bad Seeds vão regressar a Portugal no Campo Pequeno, em Lisboa. Os dois concertos, marcados para 22 e 23 de abril, …

Retirar amianto é 50 vezes mais barato do que tratar doente de cancro

A Quercus alertou esta sexta-feira que retirar uma cobertura de amianto de uma escola fica 50 vezes mais barato do que tratar um doente com mesotelioma, o cancro da pleura do pulmão provocado pela exposição …

Sócrates critica recusa do PS em fazer acordo escrito com o Bloco de Esquerda

O antigo primeiro-ministro José Sócrates critica a recusa do PS em fazer um acordo escrito de legislatura com o Bloco de Esquerda, considerando que revela "uma visão meramente utilitária" e que pode gerar "ressentimento" à …

Pelo menos 28 mortos e 55 feridos em explosão de uma mesquita no Afeganistão

Pelo menos 28 pessoas morreram e 55 ficaram feridas devido a uma explosão numa mesquita na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, durante o período de oração desta sexta-feira, anunciaram as autoridades locais. "Os números …

Pedro Alves escolhido para a presidência executiva do Banco Montepio

Pedro Gouveia Alves, atual presidente do Montepio Crédito, foi escolhido para novo CEO do Banco Montepio. O nome reuniu o consenso de Carlos Tavares e de Tomás Correia. O Banco Montepio escolheu Pedro Alves como novo …

Tancos. Sindicato dos procuradores sugere que ordem para não inquirir Costa e Marcelo é ilegal

O Sindicato dos procuradores sugere que a ordem do diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) que travou a inquirição de António Costa e de Marcelo Rebelo de Sousa, como testemunhas no …