Erdogan ameaça reconhecer assassinatos de nativos norte-americanos como genocídio

Tolga Bozoglu / EPA

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou reconhecer o assassinato de nativos americanos pelas mãos de colonos europeus em resposta à decisão de Washington de repreender Ancara pelo genocídio arménio.

Na semana passada, o Senado dos Estados Unidos (EUA) votou a favor do reconhecimento do genocídio na Arménia, uma ação inicialmente paralisada pelos republicanos por insistência do Presidente norte-americano Donald Trump, noticiou o Independent.

No seguimento, Erdogan ameaçou reconhecer os assassinatos de nativos norte-americanos, afirmando que a morte de milhões de indígenas nas mãos de colonos europeus também deve ser vista como um genocídio.

“Deveríamos nos opor [aos EUA], votando essas decisões no parlamento. E é isso que faremos”, disse o Presidente turco ao canal de notícias A Habe. “Podemos falar sobre a América sem mencionar os [nativos americanos]? É um momento vergonhoso na história dos EUA”, acrescentou.

Cerca de 1,5 milhão de arménios foram mortos durante o Império Otomano, antecessor da Turquia moderna, no início do século XX. A Turquia, contudo, nega que os assassinatos sejam genocídio, defendendo a morte de arménios e turcos como consequências da guerra. Alega ainda um número mais baixo de mortes do que as centenas de milhares registadas.

Embora as implicações da legislação dos EUA sejam em grande parte simbólicas, foram vistas pela Turquia como um desafio direto à política externa do país.

O projeto para reconhecer os assassinatos na Arménia como genocídio iniciou após a decisão de Ancara em enviar tropas para o norte da Síria, explorando o vácuo de poder deixado pela retirada das forças norte-americanas para atacar as milícias curdas que serviram como aliadas dos EUA.

Mas o líder da Turquia não está sozinho na intenção de abordar a questão dos indígenas norte-americanos indígenas. O congressista democrata do estado de Minnesota, Ilhan Omar, recusou-se a apoiar a lei votada nos EUA até que as mortes de nativos norte-americanos e o comércio de escravos fossem avaliados à mesma luz pelo Congresso.

Uma equipa do University College London estima que 55 milhões de indígenas morreram após a conquista das Américas, iniciada no final do século XV. Acredita-se que a maioria dessas mortes tenha sido causada por doenças – com os povos indígenas incapazes de criar imunidade a doenças que nunca haviam cruzado o Atlântico. A guerra, a escravatura e o deslocamento também contribuíram para o declínio dessas populações.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

    • Quem é que se cala? Os Americanos são os primeiros a reconhecê-lo e admiti-lo publicamente. Ainda este ano o Governador da Califórnia pediu desculpa publicamente pelo genocídio dos povos nativos da Califórnia, e usou a palavra genocídio. E há 10 anos o Congresso Americano fez um pedido formal de desculpas pelo forma como foram tratados os nativos Americanos. Já agora, até 1776 não eram Americanos, eram Ingleses…

      Portugal já pediu desculpa pelo genocídio de que foi parcialmente responsável no Brasil,e pelo tráfico transatlântico de escravos de África para o Brasil? Se calhar é melhor não atirar pedras ao ar quando se tem telhados de vidro…

    • Este infeliz comentário denegride a moral e a insensatez humana. Manda ele seguir um parvo no uso da sua estupidez. Quer o cavalheiro dizer que: Se me culpas de assassino também te culpo a ti. Se ignorares a minha chacina, também vou ignorar a tua. E as vitimas que se “fogam”, não é? Grande postura intelectual!

RESPONDER

Mais duas baixas por covid-19. Benfica desfalcado para jogo com o Braga

Depois de Waldschmidt, Gilberto, Vertonghen, Diogo Gonçalves e Grimaldo, também Otamendi e Nuno Tavares estão infetados com covid-19 e, consequentemente, fora do jogo com o Sporting de Braga. O surto de covid-19 no SL Benfica deixou …

De norte a sul do país, autarcas pressionam Governo para fechar escolas

Os diretores escolares esclarecem que não têm qualquer autonomia para encerrar escolas, dependendo essa decisão de um parecer da entidade de saúde pública local e da confirmação por parte dos serviços do Ministério da Educação. …

Muito mais do que tabaco. Cientistas identificam drogas tomadas pelos maias em recipientes antigos

Uma equipa de cientistas da Washington State University identificou a presença de planta que não é do tabaco em recipientes de drogas dos antigos maias. Os investigadores detetaram "marigold mexicana" (Tagetes lucida) em resíduos retirados de …

Pico na primeira semana de fevereiro. Mesmo confinando, modelo prevê 1154 doentes em UCI

Portugal deverá ter 1.154 doentes internados em cuidados intensivos num pico na primeira semana de fevereiro, mesmo com um confinamento igual ao de março, avança um modelo da NOVA Information Management School. Portugal deverá duplicar o …

Biden assume leme dos EUA. Trump concede 140 perdões (e pede que se "reze" pelo sucessor)

Joe Biden assume esta quarta-feira o leme dos Estados Unidos. Porém, antes de sair, o Presidente cessante, Donald Trump, perdoou e comutou penas a mais de 140 pessoas. Nas horas finais da sua presidência, Donald Trump …

Ouvir música clássica enquanto faz exercício? A Ciência sugere que sim

Estudos sugerem que, ao contrário daquilo que pensa, ouvir música clássica enquanto se pratica exercício físico pode ajudá-lo no seu treino. Para muitas pessoas, uma parte essencial de qualquer regime de exercício é a música que …

“Não queiram fazer mistérios onde não existem”. UE encerrou caso do procurador europeu

A União Europeia (UE) deu por "encerrado" o caso do procurador europeu José Guerra e dos lapsos no seu currículo enviado pelo Governo. “A reunião dos membros do Conselho da UE decorreu na segunda-feira e …

Jack Ma reaparece após estar "desaparecido" quase três meses

O bilionário fundador do gigante do comércio eletrónico chinês Alibaba reapareceu, esta quarta-feira, numa reunião virtual com professores rurais, após meses de incerteza sobre o seu paradeiro. No vídeo, publicado no site do jornal chinês Tianmu …

Jesus voltou a testar negativo. Benfica confirma presença na Taça da Liga

O treinador do Benfica voltou a testar negativo ao novo coronavírus, num segundo teste realizado esta terça-feira, dia em que o clube anunciou ter 17 casos de infeção na sua estrutura profissional de futebol. "O Benfica …

Novas regras do confinamento entram em vigor esta quarta-feira (mas há exceções nos horários)

As novas medidas de restrição para travar a pandemia de covid-19 em Portugal entraram em vigor às 0h desta quarta-feira no âmbito do estado de emergência em vigor no país.  O primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira que …