Tancos: Militares sem jipe para as rondas durante 11 dias

Paulo Novais / Lusa

Entrada dos Paióis Nacionais do Polígono Militar de Tancos

Um acidente com o jipe na área dos paióis uma semana e meia antes do assalto aos armazéns de armamento e a sua tardia substituição, criou uma lacuna nas rondas de vigilância aos locais. A possibilidade de ter sido alguém do Exército a fazer o assalto, como tinha avançado o general Rovisco Duarte, ganha força.

Os militares que estavam responsáveis por garantir a segurança aos Paióis Nacionais de Tancos através de rondas, estiveram 11 dias impossibilitados de as fazer de carro, tendo em conta que as instalações têm cerca de 340 mil metros quadrados.

Um acidente com o jipe na área dos armazéns levou a que as rondas de carro ficassem limitadas a determinadas horas do dia: uma à hora de almoço e outra pelo jantar. Fora desse período, as rondas sobre quatro rodas eram a exceção, avança o Observador.

Os Paióis Nacionais de Tancos têm 20 pavilhões, entre paióis e paiolins. Uma parte está vazia, a outra guarda algum material. Os armazéns assaltados eram os que guardavam o material mais significativo. Foi exatamente isso que levou o Chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, a assumir que, “para haver algo deste género, tem de haver informação interna“.

E agora, a janela de oportunidade aproveitada, sabendo-se então que apenas duas vezes ao dia eram feitas rondas de carro, volta a dar força a essa possibilidade.

Em condições normais, as rondas são um misto dos dois modelos, cada uma com uma função específica: enquanto que nas deslocações a pé se verificam, por exemplo, a integridade dos “selos” nas portas que garantem que não foram abertas de forma indevida, na volta de jipe, que cobre a extensa área de forma mais rápida, os militares atentam a sinais como o estado da rede.

No dia do assalto, 28 de junho, o portão de um dos três paiolins mais sensíveis foi o primeiro sinal de alerta. Quando os militares passaram por ali, pouco depois das 16h, aperceberam-se de que um dos portões estava escancarado.

Perceberam mais tarde que tinham sido levadas algumas dezenas de “granadas de mão ofensivas e munições de calibre 9 milímetros”, como, aliás, o Exército fez saber no primeiro comunicado que divulgou sobre o assunto. Mas havia mais material desaparecido – material considerado muito mais sensível.

Ao lado desse paiolim, um segundo armazém assaltado inspirava mais cuidados. A fechadura também tinha sido destruída, mas o portão estava encostado.

Com receio de que o edifício pudesse estar armadilhado – arriscar detonar um explosivo naquele local teria consequências graves, uma vez que no interior ainda havia bastante material de guerra armazenado -, os militares não entraram e optou-se por acionar uma equipa de inativação de explosivos do regimento de Engenharia nº1, instalado a umas centenas de metros dos paióis.

Só depois terá sido detetado o corte na zona norte da rede que delimita o terreno dos paióis, a cerca de 500 metros dos armazéns assaltados.

Sem jipes, com as torres de vigia nos paióis desativadas e com o sistema de videovigilância inutilizado há vários anos, a segurança ao espaço era assegurada por rondas de jipe – limitadas aos momentos de troca de equipas – e a pé. A ação de vigilância que detetou o arrombamento foi, segundo o Observador apurou, realizada a pé.

O furto a Tancos foi detetado a meio da tarde de 28 de junho. Na mesma noite, os inspetores da Polícia Judiciária Militar estiveram no terreno a recolher as primeiras provas e as equipas cinotécnicas da GNR bateram os terrenos à volta dos paióis de Tancos em busca de algum material furtado que pudesse ter sido deixado para trás ou de algumas pistas sobre os autores do assalto.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Se bem entendemos anda tudo a cair enquanto o governo perde o seu tempo a anunciar maravilhas, quando rebenta a bolha fecham-se em copas e não comparecem onde deveriam sendo o PR a dar a cara para que as pessoas sintam no mínimo algum conforto e esperança.

    • Também não me parece que o PR tenha estado bem porquanto anunciou que as investigações tinham de prosseguir até ao fim e em bom rigor parece que se conformou com o relatório elaborado pelo Exercito. Os comandantes exonerados já foram readmitidos, enfim, daqui até receberam as medalhas, louvores, promoções, já não faltará muito, garanto. Enfim…Tudo como dantes… Não esquecer que o PR é por inerência de funções o Comandante Chefe das F Armadas

  2. Esta instituição não é uma qualquer instituição de “vão de escada” e sem experiência de gestão! Antes pelo contrário é uma instituição fechada e com regras próprias e especiais, mais, tem uma experiência acumulada de várias centenas de anos em tempos de paz e de guerra. No entanto, acidentes acontecem. Dito isto, o PR é o Comadante em Chefe, mas, não é para andar atrás de cada um a ver o que andam a fazer! Para isso existem os comandantes, certo? Avariou 1 jipe, ok, é normal, acontece. O que não é normal é que esta viatura seja a unica viatura de 4 rodas a funcionar em todo o complexo; claro que não é, certo? Ou seja, “quem não tem cão, caça com gato!”, não havia aquela viatura há outra e se não houvesse nenhuma iam a pé ou acampavam à porta! Num teatro de guerra se avariar um equipamento, desiste-se ou imputa-se as culpas ao PR? Claro que não, desenrasca-se a situação seja de que maneira for!!!

    • As F. Armadas não são uma instituição qualquer, muito menos de “vão de escada” e têm regras próprias e especiais além da experiência de gestão. Admitamos tudo isso e mais o que se queira. Mas como explicar então que uma Instituição assim tão, tão competente justifique um “assalto” aos paios por ter uma viatura avariada?
      O assunto é sério de mais para que se brinque assim com as pessoas.
      As F Armadas actuais não são competentes; não são capazes; não têm honra; não têm mérito. (exemplos disso não faltam: Colégio militar, morte de instruendos dos comandos; submarinos;Messes da F.Aérea-até um general está preso, entre muitas outras situações e isto para só falar dos casos mais mediáticos). As F Armadas actuais preocupam-se apenas com as promoções, louvores, medalhas, regalias sociais, esta é que a verdade.
      É certo que ao PR não compete andar atrás de cada militar a ver o que faz, era o que mais faltava, mas o que não pode é permitir que os comandantes directamente envolvidos no “assalto” (houve mesmo assalto?) tenham sido exonerados pelo Chefe do EME e passado pouco tempo tenham sido readmitidos sem que haja ainda apuramento das responsabilidades. Ou será que não há mais nada a dizer sobre isto? Bom se assim for força então com as promoções aos postos seguintes para todos aqueles que têm responsabilidades sobre o “assalto”

RESPONDER

Jogar Monopólio, Scrabble ou até bilhar pode ser (ainda) mais divertido com uma nova mesa touch

Por mais divertidos que sejam os jogos de tabuleiro, estes podem ser um passatempo caro pois quem realmente gosta não se cansa de os comprar. Agora, a empresa Arcade1Up criou o Infinity Game Table que …

A apreensão histórica de cetamina na Tailândia não foi assim tão histórica. Eram só aditivos alimentares

Análises laboratoriais revelaram que a apreensão "histórica" de cetamina anunciada pelo Governo da Tailândia há cerca de duas semanas foi, na verdade, uma apreensão de aditivos alimentares e agentes de limpeza. As autoridades tailandesas anunciaram, …

Para clínicas de Terceiro Mundo. Dispositivo movido a energia solar esteriliza equipamentos médicos ao ar livre

As autoclaves são consideradas essenciais para esterilizar equipamentos médicos, mas não estão disponíveis nos países de Terceiro Mundo, onde o acesso à eletricidade é limitado. Um novo dispositivo portátil, movido a energia solar, pode ser …

China pondera novas regras sobre estrangeiros para "proibir o extremismo religioso"

Um projeto-lei publicado esta semana pelo Ministério da Justiça chinês aponta para novas restrições sobre a atuação de fiéis estrangeiros no país, com o intuito de evitar a disseminação do "extremismo religioso" ou do uso …

Regar, cortar e matar insetos. Robô dá conta de todas as tarefas de jardinagem (e até afasta intrusos)

A jardinagem é uma terapia para muitas pessoas, mas também pode ser um incómodo. O robô Yardroid foi projetado para lidar de forma autónoma com essas tarefas, utilizando inteligência artificial. Semelhante a um tanque em miniatura, …

ProToiro vai impugnar IVA das touradas e avança com queixa em Bruxelas

A Federação Portuguesa de Tauromaquia (ProToiro) vai avançar com a impugnação do valor do IVA na tauromaquia e com uma queixa na Comissão Europeia, exigindo que a taxa passe de 23% para 6%. Em comunicado, a …

Braga 3-3 Leicester | Vardy rouba triunfo luso nos descontos

Um "balde de água fria". A recepção do Sporting de Braga ao Leicester não foi parca em emoção e em bom futebol. Os minhotos foram superiores na primeira parte e chegaram ao intervalo em vantagem. Contudo, …

Equipa de Biden escondeu um anúncio de emprego secreto no código-fonte do seu site

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, escondeu um anúncio de emprego no código-fonte do seu site de transição, enquanto inicia o processo de contratação da nova administração para a Casa Branca. De acordo com …

Costa ligou a Lagarde para garantir que vai cumprir compromissos com Novo Banco

O primeiro-ministro ligou, esta quinta-feira, à presidente do Banco Central Europeu (BCE) para assegurar que o Governo cumprirá os compromissos assumidos no quadro da venda do Novo Banco. "Portugal é um Estado de direito que cumpre …

Mário Ferreira acata decisão da CMVM e lança OPA sobre a Media Capital

O empresário anunciou, esta quarta-feira, que vai lançar uma OPA a 69,78% das ações da Media Capital, depois de a CMVM o ter obrigado a realizar esta operação. A Pluris Investments, empresa detida por Mário Ferreira, …