Sócrates pedia “fotocópias” a Santos Silva quando queria dinheiro

José Goulão / Wikimedia

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

José Sócrates e o seu amigo Carlos Santos Silva usariam uma linguagem cifrada nos telefonemas entre si, sempre que o assunto era dinheiro, uma informação que a acusação usa como prova de que não estavam em causa meros empréstimos e que a defesa pretende contraditar.

O Diário de Notícias revela, na sua edição desta quarta-feira, que José Sócrates e Carlos Santos Silva se referiam a “fotocópias” sempre que falavam de dinheiro. Uma ideia que constará das escutas telefónicas feitas aos dois arguidos do processo Operação Marquês e que o Procurador do Ministério Público Rosário Teixeira, responsável pelo caso, estará a usar como prova de que as elevadas quantias transferidas pelo empresário para a conta do ex-primeiro-ministro não se referiam a meros empréstimos.

Esta refutação, assente no uso de linguagem cifrada, constará da resposta dada pelo Procurador aos recursos apresentados por José Sócrates e por Carlos Santos Silva contra a medida de coacção de prisão preventiva.

O Diário de Notícias acrescenta que o procurador do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) também terá dado “exemplos de outras expressões” utilizadas para substituir a palavra dinheiro.

E as vigilâncias efectuadas ao motorista de José Sócrates, João Perna, terão igualmente detectado que o dinheiro circulava escondido e não “às claras”, em mais um indício de que não estarão em causa simples empréstimos entre amigos.

Confrontado com estes dados pelo Diário de Notícias, o advogado de José Sócrates, João Araújo, frisa apenas que “tudo o que é alegado pode e deve ser contraditado”, dando a ideia de que será isso mesmo o que fará.

Entretanto, o Movimento Revolução Branca (MRB) anunciou que foi admitido pelo juiz Carlos Alexandre como assistente no processo.

O líder do movimento, Pedro Pereira Pinto, afirmou à agência Lusa que “o MRB tinha apresentado o pedido de constituição de assistente no dia a seguir à detenção de José Sócrates. Neste momento, fomos aceites e vamos aguardar pelo desenrolar do processo para agir”.

O movimnto visa combater a “corrupção” e promover a “moralização do Estado” e “dos serventes do Estado”, e Pedro Pinto declara que “na altura, quando fizemos o pedido, fizemo-lo porque achamos que a Operação Marquês é socialmente grave”.

SV, ZAP

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Pois é, fotocópias…já lhe chamaram muita coisa mas essa expressão só é possível de alguém que é um verdadeiro trafulha.E o PS metido nisso e não se desmarca desse artista.
    Será que o velho gágá também falava em fotocópias no caso do fax de Macau? Ou era mais patacas com o seu amigo Melância e outros pulhas desse partido defensor da transparência…
    E o que diz o Sr. Engº Cravinho ? Anda quedo e mudo com isto tudo vá-se lá saber porquê?

  2. Talvez esta coisa das fotocópias tenha sido um habito de estudo que adquiriu quando ia aos domingos para a Faculdade de Engenharia para terminar a sua mais que suada e merecida Licenciatura.
    Penso eu de que…

  3. Se fosse só este caso eramos uns heróis,o problema é que são muitos e ainda não chegou a hora de os prender todos, mas devagarinho chegamos lá , os que riem em ultimo são os que riem melhor

Professor detido por violar aluna menor dentro de escola em Faro

Um professor de 55 anos foi detido, nesta quarta-feira, por suspeitas de ter violado uma aluna de 14 anos no interior de uma escola do concelho de Vila Real de Santo António, no distrito de …

Governo vira-se para Rio para mudar a lei e garantir o novo aeroporto

O Governo está a preparar uma alteração à Lei para evitar que o projecto do novo aeroporto do Montijo seja chumbado. Uma medida que passará, necessariamente, pela necessidade de um entendimento entre PS e PSD …

"Entretenimento saudável". Santa Casa desvaloriza estudo sobre raspadinhas

O Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desvalorizou a investigação da Universidade do Minho que aponta para o vício das raspadinhas. Esta sexta-feira, um artigo científico publicado na The Lancet alertou para …

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …