Costa numa encruzilhada: pressionado por Rio, encostado pela esquerda e assombrado pela austeridade

Hugo Delgado / Lusa

Antigos parceiros de geringonça, principal rosto da oposição e União Europeia pressionam António Costa que, entre a espada e a parede, continua a recusar aceitar a palavra “austeridade” no léxico.

O Governo e o PS têm rejeitado a ideia de um regresso forçado às políticas de contenção como resposta à recessão económica que se aproxima, fruto da crise desencadeada pelo novo coronavírus.

“O país não precisa de austeridade, precisa de relançar a economia”, disse, recentemente, o primeiro-ministro numa entrevista ao Expresso, para logo a seguir sublinhar: “mas já ando nisto há muitos anos para não dar hoje uma resposta que amanhã não possa garantir”.

Se há uns dias, António Costa garantiu que a austeridade não seria a receita para resolver a crise, prefere agora não se comprometer. E os números sustentam esta decisão.

De acordo com as previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI), Portugal pode fechar 2020 com uma dívida pública de 135% do PIB – um valor recorde, que supera a pior marca da crise financeira (132,9% em 2014) -, um défice de 7%, um previsível agravamento dos juros da dívida e uma taxa de desemprego na ordem dos 13,9% (mais do dobro do registado). Tudo isto somado à incerteza dos mercados.

O Expresso escreve que o Governo tem dado garantias de que tudo fará para evitar aumento de impostos, cortes nas despesas com salários, pensões ou outras prestações sociais. Certo é que os primeiros sinais da crise começou a dar nas vistas: mais de um milhão de trabalhadores em regime de lay-off e, só nos primeiros 16 dias de abril, o total de desemprego registado subiu em mais de 40 mil pessoas para cerca de 360 mil.

Este cenário motiva pressões à esquerda e à direita. António Costa provocou os antigos parceiros da geringonça, numa entrevista à Lusa, afirmando que “ficaria muito desiludido se só pudesse contar com BE e PCP nas vacas gordas”.

O Bloco de Esquerda não hesitou em responder e o PCP não se deixou ficar. Enquanto Catarina Martins garantiu que não aceitará uma política de austeridade e acusou Mário Centeno de ser um agente duplo na Europa; Jerónimo de Sousa declarou que a “austeridade está aí”, que as vacas nunca foram gordas e que se exige um plano imediato para investimentos, salários e nacionalizações.

Com as relações à esquerda frias, Costa volta-se para a direita e olha para Rui Rio como um parceiro de negociações. Ainda assim, o líder social-democrata já deixou claro que não passa chegues em branco e que é necessário reconhecer que a situação é grave. Para Rio, é preciso adotar medidas que não serão populares ou fáceis de tomar.

No Twitter, Rio lançou farpas ao Governo, na sequência dos aumentos na função pública.”Quando há trabalhadores em lay-off a receber só 2/3 do salário, outros atirados para o desemprego e as finanças públicas brutalmente pressionadas pelos gastos que estamos a ter de fazer, estes aumentos [na função pública] não podiam acontecer”, criticou.

Fica claro que se António Costa quiser contar com o apoio do PSD terá de se aproximar das soluções propostas pelos sociais-democratas.

Mas nesta história entra ainda a União Europeia, uma vez que a resposta do Governo português dependerá diretamente dos mecanismos de apoio europeus.

Esta terça-feira, o ministro das Finanças e Presidente do Eurogrupo disse esperar conseguir negociar um plano de recuperação “com 12 zeros” e traçou as diferenças em relação à crise das dívidas soberanas: a economia cresceu 25 trimestres consecutivos, a generalidade dos países tem o défice sob controlo, “o euro tem hoje uma rede de proteção incomparavelmente superior à da crise de 2008”, e o eixo Paris-Berlim tem uma “visão muito clara e muito construtiva” sobre o caminho a percorrer.

Mário Centeno colocou os trunfos em cima da mesa e repetiu, ainda, que a recuperação da economia vai ser mais rápida do que o cenário vivido na crise anterior. Resta saber se será o suficiente para evitar o bicho papão, chamado austeridade.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Se não fosse a realidade triste com que nos iremos confrontar isto até teria alguma piada. O inimigo número 1 da austeridade ter de a promover.
    E isso será uma realidade se a conjuntura internacional não recuperar rapidamente. O que de resto deverá acontecer. Até ao final do ano isto vai estar tudo em banho maria e o nosso amigo Costa vai ter de fazer o que os outros tiveram de fazer. Neste caso é por causa do vírus SARS-COV-2. No outro caso, foi por causa do outro vírus mais difícil de combater, o vírus da corrupção e da vigarice.

  2. En todas as situações de catastrophes naturais ou bélicas, os impactos Sociais em termos de Saúde e de equilíbrios Económicos dos países atingidos, sempre sofreram no “após”, de medidas de reconstrução, neste caso Económica com a retoma da actividade Laboral e Impostos. O problema vai ser na Equidade dos esforços pedidos aos Portugueses. O combate na fuga aos Impostos e na Corrupção, terá que ser combatida com uma mão de ferro; decisões e acções nesse sentido que até a Data falham ou não são conduzidas de forma eficaz. Nesse caso o Auster Idade tem toda a razão de denunciar estas chagas da nossa Sociedade !…… Espero que algo mude !

  3. Não percebo como é que ainda há gente que pense que o Dr Costa acabou com a austeridade. Nem com a austeridade nem com o brutal aumento de impostos que ainda é maior do que no tempo do seu criador, o Dr Gaspar. O pior é que nem uma coisa nem outra resolveram o problema, bem antes pelo contrário, porque o problema continua a ser a dimensão megalómana da estrutura político-adiministrativa do estado. Pode o Dr.Costa o Dr.Rio ou outro Dr. qualquer, propagandear qualquer paleativo tipo banha-da-cobra que enquanto o país não tiver 116 deputados eleitos uninominalmente, 18 autarquias e 308 freguesias, não há medidas que sustentem a economia.

RESPONDER

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …

Akon ainda não construiu a "Wakanda da vida real", mas o Uganda já lhe está a dar terrenos para a segunda

O artista de R&B Akon ainda não concretizou a sua visão ambiciosa de uma cidade “futurística” alimentada por uma criptomoeda chamada “Akoin” e construída num terreno que lhe foi dado pelo governo senegalês. Contudo, o …