Disse que seria o próximo a morrer depois de Marielle (e foi mesmo)

(dr) João Figueiredo / Facebook

Menos de um dia depois do homicídio de Marielle Franco, João Maria Figueiredo, agente e segurança de 36 anos, disse que seria o próximo. Foi mesmo – nove meses depois.

Não tinham passado nem 24 horas sobre a execução da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro, na noite de 14 de março do ano passado, quando João Maria Figueiredo pegou no microfone no Fórum Social Mundial, em Salvador, para dizer “hoje ela foi a vítima, o próximo posso ser eu“. Nove meses e uma semana depois, Figueiredo, membro do grupo Policiais Antifascismo, foi assassinado em Natal, capital do Rio Grande do Norte.

O polícia, de 36 anos, cumpria no dia 21 de dezembro, às 17h00, o percurso de sempre do trabalho para casa, na região norte de Natal, perto da periférica São Gonçalo do Amarante, quando foi atingido ao volante da sua moto por cinco tiros, três no lado direito do corpo e dois no lado esquerdo, junto à boca e ao ombro.

Os assassinos levaram a arma e o telemóvel que Figueiredo transportava mas não mexeram no dinheiro e deixaram a moto no lugar do crime. A polícia ainda trabalha com a possibilidade de latrocínio – roubo seguido de morte -, além da hipótese de execução.

Segundo os quatro polícias, “em princípio é homicídio e não latrocínio”. “Tudo bem que não seria fácil tirar-lhe o dinheiro e ficar com a moto seria perigoso porque é facilmente localizável, mas ainda assim o facto de ter sido morto no percurso que fazia regularmente leva a crer que foi homicídio.”

Ajuda à tese de homicídio o facto de as munições encontradas no local serem de calibre 40, de uso exclusivo da polícia. Para a tese contrária contribuem os números da violência no Rio Grande do Norte, o estado mais inseguro do país, com 68 mortes a cada cem mil habitantes e o registo de 26 agentes mortos só em 2018.

A polícia também recorda que muitos projéteis calibre 40 estão hoje nas mãos de criminosos, após assaltos a esquadras.

Os integrantes do Policiais Antifascismo, a que Figueiredo pertencia, um grupo organizado nas redes sociais em 2017 a partir do Rio de Janeiro, não têm dúvidas, no entanto, de que se tratou de execução. “A gente não pode afirmar nada categoricamente mas tudo aponta para uma execução”, diz Alexandre Santos, investigador da Polícia Civil de São Paulo, citado pelo jornal Folha de S. Paulo.

Santos afirma ter sofrido perseguições, dentro da própria polícia, por pertencer ao grupo de cerca de 400 agentes espalhados pelo país que defende o respeito aos direitos humanos, a descriminalização das drogas e outros pontos altamente minoritários nas forças policiais brasileiras.

O próprio Figueiredo, que atuava como segurança de Fátima Bezerra, a governadora do Rio Grande Norte e única mulher a desempenhar essas funções no Brasil, chegou a ser preso em 2016 pelo comando da Polícia Militar após criticar nas redes sociais o sistema de segurança pública do país. Bezerra, que considerava o soldado “um irmão”, prometeu “firmeza numa cobrança séria e profunda sobre quem foram os responsáveis do crime”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Polícias antifascistas, ou tratar-se-há de algum grupo fascista de cor inversa? Anda mal um país com tanto oportunista armado em salvador da pátria!.

RESPONDER

Biologia sintética pode levar a uma catástrofe global no futuro

Apesar dos aspetos positivos da evolução da biologia sintética, há certas preocupações que este avanço científico acarreta. Nas mãos erradas, a modificação genética de um vírus pode ser um problema de grandes dimensões. A cepa da …

Estamos mais propensos a devolver uma carteira perdida se ela estiver cheia de dinheiro

Os humanos podem ser mais bondosos do que aquilo que pensa. Quando encontramos uma carteira perdida, mais rapidamente a devolvemos ao dono se estiver cheia de dinheiro. Pode parecer um paradoxo, mas a verdade é que …

O T-Rex tem dois novos primos tailandeses

Duas novas espécies de dinossauros, que eram predadores eficientes e parentes distantes do Tiranossauro-Rex, foram identificadas em restos fósseis encontrados há 30 anos na Tailândia, revelou a Universidade de Bonn, na Alemanha. Há três décadas, …

Encontrados os corpos de sete alpinistas desaparecidos em maio nos Himalaias

Os corpos de sete alpinistas desaparecidos na Índia, nos Himalaias, foram encontrados no domingo por uma equipa de socorristas especializados em intervenções em alta montanha, anunciou a polícia. De acordo com o Expresso, os socorristas tinham …

Há uma "corrida brutal" por mega-centrais de energia solar (e pode aumentar a factura da luz)

A aposta do Governo português no sector das Energias Renováveis está a fomentar uma "corrida brutal" a projectos solares de grandes dimensões. Uma procura excessiva que preocupa a REN - Redes Energéticas Nacionais que avisa …

No adeus ao Prédio Coutinho, últimos 12 moradores recusam entregar chaves

Os últimos 12 moradores do prédio Coutinho em Viana do Castelo recusaram, nesta segunda-feira, 24 de junho, entregar a chave das habitações à VianaPolis no prazo fixado para aquela sociedade tomar posse administrativa das últimas …

Reino Unido. Boris Johnson em queda nas sondagens depois de discussão com namorada

A discussão de sexta-feira com a namorada está a afetar a campanha de Boris Johnson à liderança do Partido Conservador britânico. Desde quinta-feira, o ex-ministro caiu de uma vantagem de 27 pontos percentuais nas sondagens para …

NASA encontra nuvens de metano em Marte (e aguarda notícias de vida)

A sonda espacial Curiosity, da NASA, detectou elevado níveis de emissão de metano na superfície de Marte. A presença do gás, normalmente produzido por seres vivos, pode ser evidência de vida bacteriana no planeta vermelho. A descoberta, …

Factura do gás ainda cobra taxa "eliminada" em 2017

A taxa cobrada pelos municípios às empresas distribuidoras de gás natural, que estava previsto no Orçamento do Estado desde 2017 que deixaria de ser cobrada aos consumidores, continua a constar nas facturas das famílias. A medida …

Marques Mendes acredita que o SNS está pior do que no tempo da troika (e culpa Centeno)

Luís Marques Mendes afirmou que a situação que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) é tão má que, na atualidade, o panorama "é pior do que no tempo da troika". E tudo por causa de …