Proposta de Orçamento mostra um “profundo desconhecimento” do país

António Cotrim / Lusa

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, considerou esta terça-feira que a proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) mostra um “profundo desconhecimento” e está de “costas voltadas” para o país.

“É um Orçamento que mostra um profundo desconhecimento e uma grande insensibilidade àquilo que é o conjunto do nosso país e as necessidades de coesão territorial”, afirmou Assunção Cristas, numa sessão de apresentação da proposta de OE2019 aos militantes e simpatizantes do CDS-PP, no concelho da Batalha, distrito de Leiria.

Para a líder do CDS-PP, este é um “orçamento feito em Lisboa de costas voltadas para o resto do país”, acrescentou.

“Basta ver nos passes das áreas metropolitanas. Se há uma política diferente, que seja para todo o país e que não se esqueça o resto do país onde, muitas vezes, não há rede de transportes coletivos sequer para poder fazer este tipo de políticas, mas onde há portagens e o peso do gasóleo e da gasolina a penalizar as empresas e as famílias”, salientou.

Cristas afirmou também que a proposta do Governo, liderado pelo socialista de António Costa, é “capaz de ficar conhecido para a história como o Orçamento da tourada“.

“Olhando para o IVA da Cultura, percebemos que há um país em Lisboa que não olha para o resto. Não são só os espetáculos tauromáquicos que estão em causa, mas é tudo o que é espetáculo ao ar livre”, assinalou.

A líder centrista frisou que “basta sair de Lisboa para perceber que a generalidade das manifestações culturais são eventos ao ar livre”. Por isso, “quando aparece uma proposta para afastar a tourada, mas não só, que só fala dos recintos fechados” está a ser excluída “uma grande parte da cultura que é produzida em todo o país”, sublinhou.

Assunção Cristas, que apontou algumas das propostas de alteração ao OE2019 apresentadas pelo partido, considerou “inédito” que o primeiro-ministro “não tenha apresentado” a proposta de OE na Assembleia da República.

“É um primeiro-ministro que se esconde e não apresenta o seu Orçamento. Quando houver alterações de regimento havemos de propor que seja obrigatório o primeiro-ministro dar a cara e submeter-se a perguntas sobre o Orçamento do Estado”, revelou.

Ainda sobre a proposta, a presidente do CDS-PP referiu que “diz uma coisa, mas depois vai ser executado de forma muito diferente”.

“A verdade é que os orçamentos aprovados não correspondem aos executados e isso sente-se no corte profundíssimo do investimento público que tem impacto em várias áreas, da saúde aos transportes, à manutenção das infraestruturas, naquilo que não se vê e vejam como agora estamos com este drama da estrada que abateu em Borba“.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Viu-se o que fizeste quando estavas no governo do Passos… Só conversa da treta… Esta malta (povo) nunca mais aprende que esta gajada política, toda ela, sem excepção, apenas pretende PODER e TACHO! O Povo e Portugal que se lixem quando estão no poleiro!

  2. Olha, olha… esta senhora advogada não esteve já no governo (e até foi ministra!) onde só andou a fazer asneiras e a defender os interesses dos seus amigos/clientes como a Mota Engil (no Tua, etc e para onde o seu “chefe” foi trabalhar)?!
    Pois… viu-se bem o seu “conhecimento do país”!…

RESPONDER

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …

Putin avisa que quem ameaçar a Rússia "se irá arrepender como nunca"

O presidente Vladimir Putin emitiu um alerta durante o seu discurso anual ao Governo. O líder frisou que qualquer membro da comunidade internacional que ameace a Rússia "se irá arrepender como nunca se arrependeu antes". O …

Nove anos depois, Bruxelas deixa de monitorizar atividade da CGD

A Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia (DG Comp) encerrou o processo de monitorização do plano estratégico da Caixa Geral de Depósitos (CGD). "A Caixa Geral de Depósitos, S.A. (CGD) informa que recebeu comunicação da Direção …

Se não fosse o vídeo de Darnella Frazier, "Derek Chauvin ainda seria polícia"

Darnella Frazier, na altura com 17 anos, foi a responsável pelo vídeo que mostra o ex-agente da polícia Derek Chauvin a prender o afro-americano George Floyd, que acabou por não resistir. Esta terça-feira foi um dia …

Eutanásia. Jurisdição do PSD considera haver matéria para processo disciplinar a Rio e Adão Silva

O Conselho Nacional de Jurisdição do PSD considerou que existe "matéria bastante para abertura de processo disciplinar" ao presidente do partido e ao líder parlamentar por violação de uma decisão do Congresso sobre eutanásia, faltando …