Cientistas de todo o mundo juntam-se para salvar a Terra dos robôs assassinos

Milhares de cientistas e académicos, incluindo o astrofísico britânico Stephen Hawking, lançaram esta terça-feira um apelo para a proibição de armas ofensivas autónomas, ou “robôs inteligentes assassinos”, alertando para o perigo de poderem errar alvos ou ser usados por terroristas.

“As armas autónomas escolhem e acertam em alvos sem intervenção humana. Têm sido descritas como a terceira revolução na prática da guerra, após a pólvora e as armas nucleares”, afirmam os signatários, numa carta aberta publicada na abertura da IJCAI, a Conferência Internacional sobre Inteligência Artificial, em Buenos Aires.

Os robôs assassinos inteligentes, que podem tomar a decisão de matar sem controlo humano – ao contrário dos ‘drones’ telecomandados que ainda precisam de intervenção humana – estão a preocupar as Nações Unidas, os cientistas e as organizações de defesa dos direitos humanos.

Na linha da frente das preocupações da comunidade científica e empresarial com o avanço da Inteligência Artificial estão personalidades como Stephen Hawking, Elon Musk ou Bill Gates, que em Fevereiro manifestou as suas preocupações com o avanço da IA.

Hawking, um dos mais proeminentes astro-físicos do mundo, revelou em dezembro do ano passado que temia que a Inteligência Artificial pudesse destruir a humanidade.

Um dos fundadores da Apple, Steve Wozniak, acha também que os robôs vão conquistar o mundo – mas não está preocupado, porque os homens serão as suas mascotes, e bem tratados pela nova espécie dominante.

Em sentido contrário, Linus Torvalds, o fundador do sistema operativo Linux, diz que a ameaça da Inteligência Artificial é “má ficção científica”.

Duas reuniões de peritos já foram realizadas em Genebra sobre o assunto, como parte da Convenção da ONU sobre Certas Armas Convencionais.

“A tecnologia de inteligência artificial chegou a um ponto onde o desenvolvimento daqueles sistemas é, praticamente senão legalmente, possível nos próximos anos, mais do que nas próximas décadas”, referem na carta aberta investigadores de professores de Harvard, Berkeley, Cambridge, Liège.

Toby Walsh, professor de Inteligência Artificial na Universidade New South Wales, na Austrália, e signatário do ato, afirmou que “todas as tecnologias podem ser utilizadas para o bem e para o mal”.

Para o professor, o desenvolvimento da inteligência artificial deve ser feito, mas de maneira regulamentada, visto que as aplicações civis são múltiplas, e acompanhada de uma legislação restrita.

Toby Walsh salientou também que as empresas de armamento dos principais países desenvolvidos têm feito progressos consideráveis no desenvolvimento da Inteligência Artificial com aplicações militares.

Levará centenas de anos até que os robôs possam ter mais inteligência do que os humanos”, disse há cerca de um mês Steve Wozniak, “e serão necessários muitos anos até que tudo o que nos rodeia seja controlado por computadores e robôs”.

Mas segundo os cientistas participantes na IJCAI-15, Wozniak está enganado. Os robôs inteligentes que vão controlar o mundo poderão estar já ali ao virar da esquina.

ZAP / Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Trump anunciou acordo com Arábia Saudita que fez disparar petróleo. Mas Rússia desmente

O Kremlin desmentiu esta quinta-feira mensagens do Presidente norte-americano, Donald Trump, prometendo uma redução da produção saudita e russa de petróleo, que provocaram uma subida forte das cotações, o que compromete aquele crescimento. Em Nova Iorque, …

Mais de 100 detenções e 1126 pessoas barradas na fronteira

Cento e oito detenções foram feitas nos primeiros 15 dias do estado de emergência devido à covid-19 e mais de mil entradas foram recusadas no país através das fronteiras com Espanha, revelou o ministro da …

Cuidadores informais vão receber apoios a partir de abril (mas estatuto fica suspenso)

Mesmo que os processos de reconhecimento do estatuto fiquem congelados, o Executivo garante que os cuidadores informais vão receber apoios a partir de abril. Os apoios estão garantidos desde dia 1 de abril, mas a pandemia …

UGT quer garantia de pagamento do subsídio de refeição em teletrabalho

A UGT propõe uma alteração legislativa que garanta o pagamento do subsídio de refeição em regime de teletrabalho e pede ao Governo que intervenha já para “pôr cobro imediato às situações injustas” que se estão …

Negócios online. Registo de domínios .pt triplicou desde o início da pandemia

Apesar de o registo de domínios .pt ter triplicado desde o início da pandemia em Portugal, ajudar os pequenos comerciantes tradicionais a usarem o digital ainda é muito importante. Os negócios de origem portuguesa começaram a …

Bolsonaro critica governadores por terem "medinho" do vírus

O presidente brasileiro acusou os governadores de terem medo de serem infetados pelo povo. "Desconheço qualquer hospital que esteja lotado", acrescentou Bolsonaro, após serem informações contrárias. O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, voltou esta quinta-feira a criticar …

Homossexuais, bissexuais e pessoas com tatuagem ou piercing já podem dar sangue nos EUA

Os Estados Unidos (EUA) reviram na quinta-feira as regras que impedem muitos homossexuais de doar sangue, num esforço para combater a grave escassez de doações devido ao surto da Covid-19. Desde 2015, homens que tiveram relações …

Um em cada cinco portugueses circulou nas estradas sem justificação

No passado sábado, um em cada cinco portugueses circulou nas estradas sem justificação. No domingo, o valor caiu para metade, com apenas um em cada dez condutores a fazê-lo. Face à quarentena obrigatória implementada pelo estado …

Morreu Bill Withers, a voz de Ain’t no Sunshine

O músico norte-americano Bill Withers, que escreveu canções soul como “Ain’t no Sunshine” e “Lean on me”, morreu na segunda-feira em Los Angeles (Califórnia), aos 81 anos, de complicações cardíacas, revelou esta sexta-feira a família. Três …

Confinamento leva vítimas de violência doméstica a denunciar agressores por SMS

Situações como o confinamento agora imposto, o desemprego e a incerteza, estão a levar a um aumento da procura de apoio psicológico por parte de mulheres registadas como potenciais vítimas de violência doméstica, sobretudo através …