Mentor do furto em Tancos diz que ministro da Defesa acompanhava a devolução do material

Paulo Cunha / Lusa

Guarita abandonada no complexo militar de Tancos

O mentor do furto de armas de Tancos, João Paulino, disse esta quinta-feira em julgamento que militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) lhe disseram que se entregasse o material roubado, “nada lhe acontecia” e que o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, acompanhava o assunto.

No segundo dia de interrogatório em julgamento, João Paulino disse ter tido vários encontros com os arguidos Bruno Ataíde, da GNR de Loulé (de quem é amigo de infância) e do seu chefe, o sargento Lima Santos, a quem contou que estava envolvido no assalto aos paióis da base militar de Tancos, ocorrido em junho de 2017, noticiou a agência Lusa.

“Contei-lhes que sabia onde estavam as armas, que estive envolvido no assalto, mas nunca com pormenores”, referiu João Paulino, dizendo que se sentiu pressionado quando confessou que sabia onde estava o material.

Os dois militares da GNR do Algarve sentiram que João Paulino não estava muito confiante e que temia ser preso e, numa tentativa de criarem uma relação de confiança, disseram-lhe que o assunto “estava a ser tratado ao mais alto nível e que o ministro da Defesa o estava a acompanhar”.

João Paulino disse que os militares, numa tentativa de lhe transmitirem confiança e convencê-lo que a entrega seria segura, lhe pediram para falar com outras pessoas, nomeadamente da Polícia Judiciária Militar (PJM), algo que nunca aconteceu, e adiantaram que o caso “estava a ser tratado ao mais alto nível, inclusivamente o ministro da Defesa [Azeredo Lopes] estava a acompanhá-lo”.

“Disseram-me que o ministro da Defesa tinha conhecimento e, para eu ver que o assunto era sério, pediram-me para ir às instalações da PJM em Lisboa, mas eu nunca fui”, frisou.

João Paulino insistiu que estava com medo de ser preso e que não divulgou pormenores sobre o furto e o material, tendo imposto como condição não falar com mais ninguém das forças de segurança.

A história da entrega do material começa com um telefonema de Bruno Ataíde a perguntar-lhe sobre Paulo Lemos (Fechaduras), o que o levou a dizer ao militar o que sabia sobre Lemos, que sabia onde estava o material furtado e que podia ajudar. Posteriormente, Bruno Ataíde pediu-lhe para falar com o seu superior, sargento Lima Santos, o que aconteceu em várias ocasiões em Pombal.

Sobre a entrega do material na Chamusca, João Paulino referiu que não avisou previamente do local e que o objetivo foi esconder as armas roubadas o mais longe da sua propriedade, acreditando sempre que não seria implicado no caso.

O processo conta com 23 arguidos, entre eles o ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar (PJM) Luís Vieira, o ex-porta-voz da instituição militar Vasco Brazão e vários elementos da GNR do Algarve.

Nove arguidos vão responder por associação criminosa, tráfico e mediação de armas e terrorismo, e os restantes 14, entre eles Azeredo Lopes e dois elementos da PJM, da encenação/encobrimento que esteve na base da recuperação do material, na região da Chamusca, Santarém, em outubro de 2017, numa operação que envolveu a PJM, em colaboração com elementos da GNR de Loulé.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Buraco na camada de ozono ultrapassa o tamanho da Antártida

A dimensão do buraco na camada de ozono no hemisfério sul ultrapassou o tamanho da Antártida, continente com cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados, anunciou hoje o serviço europeu Copernicus, de monitorização da atmosfera. “O …

Políticos e especialistas querem legalizar canábis (com impostos para prevenir o consumo)

Um grupo de 65 personalidades, entre especialistas médicos e ex-ministros, apela à legalização da canábis, considerando que é a melhor forma de prevenir o consumo desta droga, nomeadamente através dos impostos aplicados ao sector. Esta carta …

Mais 1062 casos e seis mortes por covid-19. Internamentos continuam em queda

Há actualmente 497 doentes internados, menos 30 pessoas do que no último balanço. Mais seis pessoas morreram de covid-19 nas últimas 24 horas. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais seis mortes e mais 1062 casos …

Crescimento sustentado da economia dá margem ao Governo nas negociações para OE

Governo tem a seu favor uma evolução positiva das receitas fiscais, o que lhe deverá permitir metas mais ambiciosas de redução do défice ou, em alternativa, assumir mais medidas com impacto negativo no orçamento. O crescimento …

Portugal contratou mais professores, mas salários baixaram

Em ano de pandemia, um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) mostra as diferenças que existem nas carreiras dos professores na Europa e em Portugal. O reforço do número de professores no …

Afinal, a crise no transporte marítimo mundial não vai estragar o Natal - pelo menos em Portugal

O transporte de mercadorias está a desacelerar na Ásia e o aumento dos custos está a causar uma onda preocupação na distribuição. Porém, o problema não se deverá fazer sentir na época de Natal. A falta …

Líder do Estado Islâmico no Grande Saara morto por forças francesas

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou esta madrugada que o líder do grupo terrorista "Estado Islâmico no Grande Saara" (EIGS), Adnan Abu Walid Sahraoui, foi "neutralizado" por forças militares francesas. "Trata-se de um novo grande sucesso …

Portugal vai ser o país europeu com mais escalões de IRS

Com o desdobramento do terceiro e do sexto escalão de IRS, Portugal será, a par do Luxemburgo, o país europeu com mais níveis na tabela de taxas de imposto. As mexidas nos escalões de IRS já …

Fisco enviou 50 mil notificações de IUC indevidas e vai anulá-las

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou o envio de cerca de 50 mil notificações indevidas para pagamento do IUC, que serão anuladas. A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou o envio de cerca de 50 …

A dança das cadeiras de Boris está a ser interpretada como uma preparação das próximas eleições

A remodelação governamental que Boris Johnson levou a cabo esta quarta-feira está a ser lida como uma preparação para as próximas eleições, ainda que o calendário político não exija uma ida às urnas antes de …