Leão diz que OE prevê uma redução de impostos (e garante que Pedro Nuno não é uma “pedra no sapato”)

Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, João Leão

O ministro das Finanças esteve na TVI, esta terça-feira, tendo abordado várias questões sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), apresentado no mesmo dia aos portugueses.

Inicialmente questionado sobre os impostos atualizados à taxa da inflação (que representam mais 184 milhões de euros) como, por exemplo, o imposto sobre veículos ou sobre o tabaco, João Leão explicou na TVI que estes valores “têm a ver com a evolução da atividade económica“.

“Os valores de impostos que não são taxas têm de ser atualizados todos os anos ou degradam-se com a evolução da economia”, declarou, acrescentando que “a receita de impostos reduz-se em percentagem do PIB”, quando confrontado com o facto de, apesar de o IRS ter um alívio, a receita fiscal prevista com a proposta ser maior.

Confrontado ainda com a enorme carga fiscal sobre o preço da gasolina e do gasóleo, o ministro disse que a opção do Governo foi sim “reduzir os impostos sobre o IRS e, por outro lado, aumentar de forma massiva os apoios às famílias”, referindo o abono de família e as majorações fiscais também para os filhos.

Questionado sobre as retenções na fonte do próximo ano, “vamos refletir tanto quanto possível o desagravamento do IRS nas retenções na fonte, para que as famílias sintam mês após mês a redução do IRS no seu salário“, respondeu.

Quanto a uma eventual atualização à taxa da inflação e a uma mexida no mínimo de existência, o ministro preferiu não responder, explicando que a proposta apresentada ainda está em fase de negociação com os outros partidos.

Investimento na Saúde

Questionado sobre os problemas no Serviço Nacional de Saúde (SNS), como as recentes demissões em bloco em hospitais públicos, o ministro considerou que são “problemas pontuais” e preferiu destacar que, em 2021, o SNS tem mais 29 mil profissionais do que em 2015.

“É como se o SNS tivesse aumentado 25%, foi um aumento massivo. Portugal foi dos países da Europa que mais aumentou o número de profissionais neste período”, referiu.

“No próximo Orçamento do Estado, temos mais 700 milhões de euros“, valor que é complementado “com outras verbas de fundos europeus”, explicou.

Quando questionado sobre a forma da dedicação plena dos médicos, o governante explicou que é algo que “ainda está a ser ponderado”.

Nesta fase, destaca o ministro, o Executivo quer “ajudar o SNS para a fase pós-pandemia, porque é preciso recuperar a atividade normal, e sobretudo fazer uma aposta decisiva e muito importante na modernização do Serviço Nacional de Saúde”.

Problemas na CP e na TAP

Na mesma entrevista, o ministro foi confrontado com as queixas do ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, sobre a inação do seu ministério quanto à CP, tendo sido questionado se este colega é uma “pedra no seu sapato”.

“Este já é o sétimo Orçamento do Estado que preparei e não foi mais difícil de preparar do que os outros. É natural que em todos haja diálogo com os ministros. Temos uma excelente relação. O Governo tem de fazer escolhas. (…) Eu tento fazer com que todos os ministros estejam contentes, dentro do possível. Fazemos esse esforço, mas todos os anos é sempre um desafio”, declarou.

Quanto à situação da CP, é uma questão que “já está a ser ponderada há bastante tempo”, relembrando que é um “esforço que já está a ser feito este ano” e que vai continuar a ser feito no próximo.

Relativamente à TAP, outro tema sensível, João Leão afirmou que “o plano de reestruturação foi um plano muito ambicioso” e quer o Governo quer o ministério das Infraestruturas estão “confiantes” na sua aprovação pela Comissão Europeia.

Sobre as verbas planeadas para a companhia aérea portuguesa, e sobre a eventual possibilidade de serem necessárias ainda mais futuramente, o ministro respondeu que “o Governo e o ministro das Infraestruturas entenderam que era um investimento importante a fazer para o país e que esse investimento compensa”.

“O esforço que o Estado e os portugueses estão a fazer vai ser compensado pelo que a TAP representa para o país”, prometeu.

Apoios às empresas e aumentos na Função Pública

Sobre as críticas dos empresários a esta proposta do Orçamento do Estado, o ministrou considerou ser normal, mas lembrou que tem sim “apoios bastante significativos”. Além disso, lembrou que a “a economia vai crescer no próximo ano 5,5%” e que este será um “cenário muito bom para as empresas”.

Dentro desses apoios, Leão quis destacar o incentivo fiscal à recuperação para as empresas que decidam investir no próximo ano, o que representa “mais 150 milhões de euros de redução de IRS”, o fim do pagamento especial por conta e ainda “programas muito importantes de financiamento às empresas”.

“O Estado vai-se endividar em 1300 milhões de euros para ajudar a financiar as empresas”, disse ainda o governante, lembrando que, em sede de PRR, há ainda cerca de mil milhões de euros para ajudar nesta recuperação económica.

Quanto aos aumentos na Função Pública, o ministro disse que consideraram ser importante fazer uma atualização desses salários, pois vai permitir o “aumento médio do salário dos trabalhadores de 2,5%%”.

Isto é importante, segundo o governante, “não só na Administração Pública, como também no setor privado, para haver um sinal de melhoria significativa nos salários”, lembrando assim o aumento do salário mínimo.

“Queremos, pelo menos, que seja em linha com o aumento do ano passado. No ano passado, tivemos um aumento de 30 euros. Procuramos fazer um reforço dessa dimensão no próximo ano”, afirmou.

  Filipa Mesquita, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cogumelos laminados

O consumo de cogumelos pode diminuir o risco de depressão

Além de reduzirem o risco de cancro e morte prematura, os cogumelos podem beneficiar a saúde mental de uma pessoa. Uma equipa de investigadores da Faculdade de Medicina de Penn State, nos Estados Unidos, analisou dados …

Os hipopótamos de Pablo Escobar começaram a ser esterilizados

O grupo de hipopótamos, mais uma parte do indesejado legado deixado na Colômbia pelo traficante de droga Pablo Escobar, está a ser esterilizado. Quando o Cartel de Medellín estava no seu auge, Pablo Escobar gastou parte …

Ian Brackenbury Channell, o "feiticeiro de Christchurch"

Duas décadas depois, uma cidade neozelandesa decidiu despedir o seu feiticeiro

Vinte e três anos depois, a autarquia de Christchurch, na Nova Zelândia, decidiu despedir Ian Brackenbury Channell, o famoso feiticeiro da cidade. Desde 1998 que Ian Brackenbury Channell era o "feiticeiro de Christchurch", sendo responsável por …

Um dos microscópios de Darwin vai a leilão. Esteve nas mãos da sua família durante quase 200 anos

Um microscópio que Charles Darwin ofereceu ao filho Leonard - e que esteve nas mãos da sua família ao longo de quase 200 anos - vai ser leiloado em dezembro e poderá valer cerca de …

Pedro Sánchez promete abolir a prostituição em Espanha, por considerar que esta "escraviza" as mulheres

Espanha é um dos países europeus com mais trabalhadoras na indústria do sexo, as quais são sobretudo originárias de países da Europa mais pobres, da América Latina e de África. O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez anunciou …

"Um milagre". Dois jovens sobreviveram quase uma semana no deserto australiano

Dois jovens, de 14 e 21 anos, sobreviveram durante quase uma semana no deserto, sem água e sem comida, depois de se terem perdido no Território do Norte, na Austrália. A polícia fala num verdadeiro …

Carlos Moedas

Moedas vai "dar tudo como presidente" e exige que seja respeitada a legitimidade do seu mandato

Carlos Moedas tomou posse, esta segunda-feira, como novo presidente da Câmara de Lisboa, tendo falado dos objetivos para o próximo quadriénio e deixado um elogio ao seu antecessor e alguns avisos à esquerda. Depois dos cumprimentos …

Chanceler austríaco Sebastian Kurz

Sondagens falsas e notícias favoráveis. O lado negro de Sebastian Kurz foi desmascarado

Sebastian Kurz e pessoas que lhe são próximas foram acusados de tentar garantir a sua ascensão à liderança do partido e do país com a ajuda de sondagens manipuladas e notícias favoráveis na imprensa, financiadas …

Tem uma carreira de sonho na Nike, mas cometeu um homicídio há 65 anos

O presidente da Jordan Brand, Larry Miller, revelou que, há 56 anos, matou um adolescente nas ruas de Filadélfia, nos Estados Unidos. O presidente da Jordan Brand — marca do ex-jogador de basquetebol Michael Jordan — …

Rio diz que decisão sobre eventual recandidatura está "quase tomada"

O presidente do PSD afirmou, esta segunda-feira, que a decisão sobre a sua eventual recandidatura está "quase tomada" e será anunciada em breve. Em declarações aos jornalistas à chegada à tomada de posse do novo presidente …