“Há uma mudança histórica na Madeira”

Este domingo, no seu espaço habitual de comentário, Luís Marques Mendes disse que, embora ainda não tenham sido apurados todos os resultados das eleições na Madeira, tudo aponta para que haja uma “mudança histórica” no arquipélago.

“Há uma mudança histórica na Madeira. Acabam as maiorias absolutas de um só partido, que existiram durante 40 e tal anos. É uma mudança histórica e estrutural”, disse. “Não acredito que nos próximos anos, alguém consiga voltar a ter maiorias.”

As projeções iniciais “apontam para uma fortíssima bipolarização entre PS e PSD, o que era previsível”. Para Marques Mendes, a novidade destas eleições “é a esquerda”. “O PS durante 40 anos teve sempre fracos candidatos. Desta vez foi diferente”, apontou. Com o crescimento do PS, os pequenos partidos, “sobretudo à esquerda, são engolidos, vítimas desta bipolarização”.

A vitória do PSD é, para o comentador, “um mérito” do partido, “porque há um fator resistência”. Ao fim de 40 anos e do desgaste do poder e, nestes anos em que houve um programa de assistência, aguentar e conseguir ganhar é ótimo”.

este cenário, o ainda presidente do governo regional, Miguel Albuquerque, teria “mérito” porque “uniu o partido”. “Resta saber se com o CDS consegue ter os 24 deputados indispensáveis para fazer coligação de governo.” E se isso não acontecer? “Pode acontecer uma geringonça à esquerda”, atirou Marques Mendes, caso os partidos mais pequenos tenham conseguido sobreviver a “esta bipolarização”.

O PS tem agora “dois sentimentos contraditórios”: ” Faz o seu melhor resultado eleitoral de sempre” e, por isso, “pode cantar satisfação”, mas “a aposta do PS não era ter o melhor resultado de sempre, era ganhar. Se não ganhar tem uma forte desilusão”.

Por outro lado, Marques Mendes considera que os resultados na Madeira “não têm efeito nacional”.

O PSD venceu pela 12.ª vez consecutiva as eleições para a Assembleia Legislativa da Madeira, mas pela primeira vez desde 1976 sem maioria absoluta.

Apurados os resultados finais em todas as freguesias, o PSD obteve 39,46% dos votos, conseguindo fazer eleger 21 dos 47 deputados da Assembleia legislativa madeirense, à frente do PS, que obteve 35,76% e elegeu 19 deputados, e a 3 deputados dos 24 necessários para governar com maioria.

O CDS-PP, com 5,76% dos votos e 3 deputados, foi a terceira força política mais votada, seguido pelo JPP, com 5,47% e também 3 parlamentares. A CDU conquista um lugar, depois de alcançar 1,80% dos votos. Mais nenhum partido conseguiu eleger deputados para a Assembleia Legislativa da Madeira.

Rio “ganhou claramente”, Costa fez-se “de morto”

Sobre os debates entre os líderes partidários, Marques Mendes considerou que Rui Rio esteve “assim-assim”, mas “teve o seu momento alto no debate com António Costa”, na última segunda-feira. O líder do PSD “ganhou claramente”, porque “esteve ao ataque, teve iniciativa, foi assertivo, e colocou António Costa à defesa”.

Além disso, “centrou-se em três temas que são os calcanhares de Aquiles do Governo”: impostos, saúde e crescimento económico. Já António Costa “cumpriu o seu guião, que, em grande medida, é fazer-se de morto”.

Jerónimo de Sousa “não marcou propriamente pontos nos debates”, enquanto Catarina Martins teve “altos e baixos”. O comentador esteve “mal nalguns debates, por exemplo com António Costa. Não foi acutilante como devia ser”. Assunção Cristas, por sua vez, “foi sempre muito igual, pela positiva”. Foi “a mais combativa e manteve um padrão”. André Silva “tirando questões dos animais, é um susto, muito impreparado nas outras matérias”.

Marques Mendes acrescentou que a “maioria absoluta não está alcançada nem de longe nem de perto”.

Demissão de secretário de estado da Proteção Civil

O comentador da SIC defendeu que a demissão do secretário de Estado da Proteção Civil foi uma “demissão tardia, inevitável”, acrescentando que se José Artur Neves tivesse saído em agosto, quando a polémica das golas antifumo estalou, “teria saído pelo seu pé e com dignidade”. “Assim, saiu pela porta dos fundos, empurrado pela Justiça e pelo Ministério Público.”

Esta demissão “tardia” é, defende Marques Mendes, culpa do primeiro-ministro, que empurrou o tema “com a barriga” e, por isso, tem agora um “desgaste em período eleitoral”.

Questionado sobre o parecer do Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República, Marques Mendes considerou que se tratou de “uma vitória” para António Costa. Ainda assim, deve ser feita uma “reflexão”, porque “em todos os governos há sempre problemas” de incompatibilidades e conflitos de interesses com governantes. “Isto mina a confiança das pessoas na política. Veja-se o caso de Manuel Pinho. Ainda hoje não está esclarecida a relação com o BES.”

Marques Mendes sugeriu que os ministros e secretários de Estado passem obrigatoriamente por uma audição parlamentar para garantir que não há incompatibilidades resultantes do passado pessoal e profissional. “Se saírem limpinhos dessa audição, ficam reforçados e, com isso fica reforçada a democracia.”

Sobre a decisão da Universidade de Coimbra de proibir a carne de vaca, Marques Mendes disse tratar-se de uma “medida de enorme hipocrisia”, cuja grande preocupação “não foi ambiental”, mas “economicista. “A grande razão por que o reitor toma esta medida é para poupar dinheiro.”

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Saudações da Tailândia." Depois de fugir da prisão, Sekkaki enviou um postal aos diretores

Depois de fugir da prisão, Oualid Sekkaki provocou os responsáveis do estabelecimento prisional e enviou-lhes um postal. Em dezembro do ano passado, Oualid Sekkaki e outros quatro indivíduos fugiram do estabelecimento prisional de Turnhout, na Bélgica. …

Irlanda. Tribunal decide extraditar motorista acusado da morte de 39 migrantes vietnamitas

O tribunal de Dublin sentenciou, esta sexta-feira, que o motorista acusado da morte de 39 imigrantes vietnamitas - encontrados em outubro num contentor refrigerado, perto de Londres - pode ser extraditado para o Reino Unido, …

Atriz norte-americana confronta em tribunal Weinstein com acusação de violação

A atriz americana Annabella Sciorra, conhecida por ter participado na série "Os Sopranos", confrontou na quinta-feira o produtor Harvey Weinstein em tribunal, acusando-o de a ter violado, em meados dos anos 1990. Segundo avançou o Expresso, …

Mulher agride médica na Urgência do Hospital de Águeda

Uma médica foi agredida, esta quinta-feira, na Urgência do Hospital de Águeda, por uma mulher que acompanhava o filho a uma consulta. De acordo com o Jornal de Notícias, a médica, de 33 anos, que estava …

Polícia do Rio de Janeiro matou cinco pessoas por dia em 2019

A polícia do Rio de Janeiro matou 1.810 pessoas em 2019, um recorde de cinco mortes por dia e um aumento de 18% em relação ao ano anterior, informou o Instituto de Segurança Pública (ISP) …

Governo dedica 20 milhões do Orçamento ao combate à violência doméstica

O orçamento total para combater a violência doméstica em 2020 é de 20,3 milhões de euros, adiantou na quinta-feira a ministra de Estado e da Presidência no Parlamento, Mariana Vieira da Silva, sublinhando o reforço orçamental …

Chega quer câmaras nas fardas e nos carros-patrulha

O Chega, liderado por André Ventura, apresentou um projeto de resolução a defender que os agentes das forças de segurança nacionais devem poder utilizar câmaras, que seriam introduzidas nas fardas e nos carros-patrulha. O partido liderado …

"Não tenho o apoio de Assunção Cristas", diz João Almeida

O candidato à liderança do CDS-PP defende que o partido deve, no imediato, fortalecer-se e depois participar numa "plataforma à direita" de alternativa ao PS, com o PSD, mas sem o Chega. "A alternativa à governação …

Campanha internacional quer salvar leões subnutridos em parque no Sudão

Várias fotografias de leões subnutridos no zoo de Al-Qureshi, no Sudão, atraíram a atenção de milhares de pessoas, que tentam agora salvar os animais. O fotógrafo Ashraf Shazly encontrou cinco leões malnutridos, enjaulados e sem …

Joacine Katar Moreira defende mais direitos para deputados não inscritos em partidos

A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, defendeu nesta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos, durante uma reunião do grupo de trabalho para racionalizar os votos objecto de …