Guterres quer segundo mandato na ONU. E vitória de Biden terá sido o incentivo para avançar

Justin Lane / EPA

O secretário-geral da ONU, António Guterres

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse aos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança este domingo que gostaria de ficar para um segundo mandato.

A informação foi adiantada por dois diplomatas, ouvidos pela Bloomberg, que acrescentaram que o português António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, deverá informar oficialmente o presidente da Assembleia Geral da ONU em breve.

António Guterres, de 71 anos, assumiu o cargo em janeiro de 2017 para um mandato de cinco anos que temina no final deste ano. Segundo os diplomatas, Guterres, que conseguiu evitar a ira de Donald Trump abstendo-se de criticar o presidente dos Estados Unidos em público, esperou pelos resultados das eleições de novembro antes de tomar uma decisão sobre um segundo mandato.

Liderados por Donald Trump, os Estados Unidos entraram em confronto repetidamente com a ONU e as suas organizações, deixando a Organização Mundial da Saúde (OMS) e irritando o Conselho de Segurança com o seu esforço para acabar com o acordo nuclear multinacional com o Irão.

Por sua vez, Biden anunciou que anulará “no primeiro dia” da sua presidência a decisão tomada pelo republicano Donald Trump de retirar Washington OMS caso vença o sufrágio.

Guterres fez da mudança climática a sua bandeira principal, pressionando os países a aumentar os seus compromissos para reduzir as emissões de carbono. A administração de Biden sinalizou que o clima será uma prioridade e a sua escolha para a embaixadora da ONU, Linda Thomas-Greenfield, é uma diplomata com experiência em quatro continentes.

O chefes mais recentes da ONU cumpriram dois mandatos e os diplomatas esperavam que o chamado P5 – Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, China e França – apoiasse a sua candidatura à reeleição.

Guterres, que às vezes foi criticado por não ter conseguido chamar a atenção as potências mundiais por abusos dos direitos humanos, teve de passar por um período turbulento na ONU quando Trump se afastou do organismo mundial, enquanto a China se tornava cada vez mais assertiva.

O processo de seleção para um chefe da ONU foi chamado de opaco, com os cinco membros permanentes exercendo uma influência desproporcional sobre quem é selecionado, embora a eleição de 2016 tenha sido a primeira a ser mais aberta.

Os críticos também pediram à ONU que finalmente nomeasse a sua primeira mulher como chefe.

Escrevendo em nome de um grupo de 25 países, Costa Rica e Dinamarca, em dezembro, conclamaram a ONU a garantir que o “próximo processo de seleção” atenda aos “padrões mínimos de transparência”.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “Guterres fez da mudança climática a sua bandeira principal”
    Pois, com exceção do que podia ter feito, e não fez, para evitar a quantidade brutal de lixo associado à Covid19, tais como os largos milhões de máscaras descartáveis, luvas e afins…
    Quando acabar a Covid19, certamente ele e a Greta não se calarão a dizer que foi um desastre e que no futuro é preciso mudar… mas a questão é que não fizeram nada num momento decisivo.

RESPONDER

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …

"Guerra das matrículas" faz escalar tensão entre Sérvia e Kosovo

Esta semana, a fronteira entre o norte do Kosovo e a Sérvia esteve bloqueada por protestos de elementos da etnia sérvia, que não aceitam a decisão do governo kosovar, de etnia albanesa, de proibir a …

Num golpe de "fake it until you make it", Hong Kong vai a eleições a saber o vencedor

Hong Kong prepara-se para as primeiras eleições legislativas após as mudanças no sistema eleitoral implementadas pela China para garantir a vitória dos seus aliados. Aos olhares mais desatentos, as eleições em Hong Kong são mais um …

Stefano Pioli propõe regra de basquetebol que contribui para um "futebol de ataque"

O treinador do Milan, Stefano Pioli, propõe uma alteração nas regras do futebol que promete revolucionar o desporto rei. De forma semelhante ao basquetebol, uma vez dentro do meio campo adversário, as equipas não poderiam voltar …

Um dos maiores sites de dados sobre a covid-19 na Austrália é, afinal, gerido por adolescentes

Aproveitando o momento em que passaram a integrar as estatísticas que os próprios fazem chegar diariamente à população australiana, o grupo de três jovens revelou a sua identidade para surpresa de muitos dos seus seguidores. …

Mais cinco mortes e 713 casos confirmados em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais cinco mortes e 713 casos confirmados de covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este sábado registaram-se mais cinco mortes e 713 novos casos …

Dirigente da Huawei detida no Canadá pode voltar à China após acordo com EUA

A justiça dos EUA aceitou hoje o acordo entre o Departamento da Justiça e a Huawei, que vai permitir à filha do fundador e diretora financeira do conglomerado chinês de telecomunicações regressar à China. Uma juíza …

Depois do coro de críticas, brasões da Praça do Império passam do jardim para a calçada

Os brasões florais que representam as capitais de distrito e as ex-colónias portuguesas vão mesmo ser retirados da Praça do Império, em Lisboa, mas passarão a estar representados em pedra da calçada. É a solução …