Governo não dá margem para aumentos na Função Pública

Tiago Petinga / Lusa

António Costa e Mário Centeno

Não haverá aumentos salariais para os funcionários públicos no próximo ano. Segundo um membro do Executivo de António Costa, “não haverá mais dinheiro” para que se abram os cordões à bolsa.

No próximo ano, o Orçamento de Estado voltará a ser de contenção. Por essa razão, não estão previstos quaisquer aumentos salariais na Função Pública em 2019.

“A memória de 2009 impede-o. José Sócrates aumentou função pública em ano eleitoral e em plena crise. Além de que seria visto como puro eleitoralismo“, argumentou ao jornal Público um membro do Governo, alertando para o risco de eleitoralismo num ano em que se realizam eleições europeias e legislativas.

O governante afirmou ainda que os funcionários públicos só terão direto à “concretização da fase seguinte do descongelamento das carreiras“. Além disso, serão feitas as “fases seguintes das reformas antecipadas sem penalização para as longas carreiras contributivas sem penalizações”.

A falta de recursos orçamentais é assumida pelo responsável, que frisa que “o investimento público tem de ir para a manutenção e requalificação de infraestruturas que estão em situação de desgaste crítico”, como é o caso da Ponte 25 de Abril.

No entanto, o salário mínimo nacional deverá mesmo subir, porque “foi assinado sobre ele um acordo com o Bloco de Esquerda” para atingir os 600 euros até ao final da legislatura. Centeno opunha-se a este aumento, mas a fonte afirmou que este não terá incidência orçamental em 2019.

A saúde será também uma prioridade de investimento do Governo, que deverá aumentar os seus recursos financeiros. O governante reconhece, contudo, que as verbas que vão ser disponibilizadas não serão suficientes para resolver todos os problemas.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Esta corja esta a desgovernar com a austeridade dos anteriores. A mim já me estão a rapar para me darem o subsidio de Natal por inteiro em Novembro. Já o ano passado fizeram o mesmo para me darem metade desse subsídio. Com os descontos do ano passado e deste ano não é coisa pouca. Quando os outros lá estavam diziam que eram mais troikistas que a troika, mas agora fazem o mesmo que os outros faziam ou ainda pior. Dizem que a economia está melhor mas o que têm feito é criar impostos. Quem não os conhecer que os compre.

  2. Só pergunto uma coisa: é a gente que vai pagar a reparação da ponte, ou a concessionária é só meter para o saco, e reparações nicles, recebem das portagens e ainda recebem do estado para as reparações! Está tudo doido?

NASA revela que há água na Lua

A NASA revelou, esta segunda-feira, que foi encontrada água em forma de gelo numa superfície da Lua. Os investigadores apontam ainda para a possibilidade de existirem múltiplos depósitos subterrâneos na Lua onde esteja armazenada água …

Itália volta a disputar a fronteira do Monte Branco com França

Depois das autoridades francesas imporem medidas restritivas que afetaram o território italiano, o país reacendeu uma disputa antiga com França. Em causa estão os direitos de fronteira do Monte Branco. Luigi Di Maio, ministro das Relações …

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …