Governo já tem acordo com a Altice sobre o SIRESP

Mário Cruz / Lusa

António Costa anunciou esta quinta-feira, durante o debate quinzenal, que o Governo já aprovou uma solução para a SIRESP SA. “O acordo com a Altice está fechado.”

Há muito tempo que o Executivo tentava, ainda que sem sucesso, assumir uma posição maioritária sobre o consórcio que gere o Sistema Integrado de Redes de Emergência. A questão tornou-se mais premente com a recusa de visto, pelo Tribunal de Contas, ao pagamento dos investimentos na resiliência e redundância da rede que o Governo exigiu e a SIRESP SA concretizou.

Esta quinta-feira, durante o debate quinzenal na Assembleia da República, o primeiro-ministro não avançou detalhes sobre a solução aprovada para a SIRESP pelo Conselho de Ministros. A nacionalização da empresa esteve sempre em cima da mesa, mas como uma solução de último recurso, avança o Público.

O acordo com a Altice está fechado“, disse Costa. Já “com a Motorola está genericamente concluído”, havendo “duas questões de pormenores” que aguardam a autorização da da “casa mãe” da Motorola. O anúncio surgiu depois de Assunção Cristas questionar o primeiro-ministro com o atraso na concretização da promessa que havia feito no Parlamento, há mais de 15 dias, quando disse que o acordo estaria por horas.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Altice Portugal disse que “o que há neste momento é um acordo de princípio relativo aos pressupostos da aquisição das participações dos privados por parte do Estado” no SIRESP.

Desde o verão do ano passado, o Estado português tem 33% da empresa, onde a Altice tem a maioria e a Motorola pouco mais de 14%.

O chefe do Governo respondeu à presidente do CDS que a “formalização jurídica dos acordos já foi estabelecida“, adianta o Diário de Notícias. “Foram mais horas que a expectativa que eu tinha”, assumiu Costa, ressalvando que, desde 13 de maio, “não houve qualquer interrupção do sinal” do SIRESP.

No mês passado, um notícia avançada pelo Público dava conta de que um dos cenários em cima da mesa das negociações era encontrar uma solução para o investimento que o SIRESP pediu ao Executivo e que não foi pago. Na altura, o SIRESP ameaçou cortar as comunicações na época de incêndios, se o Estado não pagasse a dívida acumulada de 15 milhões de euros.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

FC Porto tira pão da boca ao Sporting ao desviar central brasileiro

Os 'dragões' podem estar perto de chegar a acordo para a transferência de Gustavo Henrique. O central do Santos estava em negociações com o Sporting, mas uma forte investida do FC Porto, pode ter mudado …

Será que os cães conseguem farejar uma gravidez?

Já ouvimos falar de cães a farejar bombas e de cães a farejar cancro. E quanto à gravidez, o que poderá o nariz de um cão dizer? Há várias mulheres grávidas a relatar que o cão …

Quatro mortos em manifestações na Bolívia. São 23 desde o final de outubro

Comissão Interamericana de Direitos Humanos registou pelo menos 122 feridos desde sexta-feira. Já houve 23 vítimas mortais desde o final de Outubro, início da crise social e política na Bolívia. Quatro pessoas morreram no sábado em …

UE acusada de pagar aos próprios traficantes para travar imigração

A União Europeia conta com um processo no Tribunal Penal Internacional interposto por Omer Shatz e Juan Branco. A UE é acusado de pagar aos próprios traficantes para parar a imigração. Omer Shatz, advogado e professor …

Governo quer ter a primeira refinaria de lítio da Europa

O Governo quer abrir a primeira refinaria de lítio no continente europeu. No entanto, João Galamba refere que tudo depende dos resultados do estudo de impacto ambiental das minas. Sem confirmar que venha a haver minas …

Cientistas desvendam novas pistas sobre o maior macaco que já existiu

O mítico "Bigfoot" é uma criatura lendária mas, durante milhões de anos, o verdadeiro — um símio com o dobro do tamanho de um ser humano adulto — percorreu as florestas do Sudeste Asiático, antes …

Preço do tabaco pode aumentar. Decisão cabe ao Governo

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo. Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um …

Derrocada em Borba. Um ano depois, ainda é uma ferida aberta e problemas continuam

Um ano depois do acidente na pedreira de Borba, o sindicato que representa os trabalhadores garante que os perigos persistem, enquanto a associação Assimagra salienta que foi um caso “isolado” e está a avançar com …

Caracóis estão a ficar amarelos para se adaptarem às alterações climáticas

Nas áreas urbanas, os caracóis estão a ficar com as cascas amarelas para se adaptarem às alterações climáticas. Os cientistas vão agora analisar os padrões das penas dos pássaros, para perceberem se também há uma …

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …