Falsas presenças. Deputados vão ter de dizer “sim” após login no plenário

Manuel de Almeida / Lusa

A partir desta quarta-feira, os deputados vão ter de fazer o login habitual e confirmar com um “sim” – para dizer que estão mesmo no plenário.

Depois das várias polémicas com presenças-fantasma, no final do ano passado, todas as bancadas do Parlamento concordaram com a introdução de um novo registo de presença em plenário, que fosse mais pessoal e intransmissível do que um simples login com recurso a uma password (que os deputados podiam facilmente partilhar com colegas de bancada).

O recurso a qualquer registo com dados biométricos foi rejeitado à partida e o modelo encontrado, que entra em vigor já esta quarta-feira, passa por apenas acrescentar um passo à autenticação, de acordo com as indicações que os deputados receberam via e-mail.

“Assim, após a inserção das credenciais (username e password), aparecerá o seguinte popup. Poderá registar a presença, premindo o botão “SIM”, ou, caso não pretenda registar a presença na reunião, deverá premir a cruz, no canto superior direito”, lê-se no email enviado aos deputados e a que o Observador teve acesso. Se o deputado carregar no “sim” tem de esperar 30 segundos até a sua presença ser efetivamente registada no sistema de informação para o plenário.

(dr)

Se, pelo contrário, carregar na cruz, o computador fica disponível para outro tipo de trabalho sem que tenha sido automaticamente registada a presença em plenário. “Neste caso, o sistema assinala que a presença não se encontra registada e poderá, em qualquer altura, efetuar o registo na sessão plenária. Para tal, bastará premir o botão “Presença por Registar” disponível no SIP ou reiniciar a sua sessão”, lê-se ainda no email.

“A alteração tem como objetivo evitar registos de presenças feitos inadvertidamente”. Em causa está o facto de, no início de novembro, o deputado e secretário-geral do PSD José Silvano ter sido registado por duas vezes em sessões plenárias quando, na verdade, estava a quilómetros de distância em eventos de representação partidária.

Uma deputada colega de bancada, Emília Cerqueira, veio admitir que tinha entrado no computador de José Silvano “para aceder a documentos de trabalho”. “Nunca me pediu, nem eu o fiz, ou se o fiz, fi-lo inadvertidamente”, disse em conferência de imprensa.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

    • Não…
      Antes, podia ser inadvertido, para aceder a documentos de trabalho.
      Agora que têm de clicar no “SIM”, já sabem. Como são todos honestíssimos e agora não há desculpa, niunguém mais vai “marcar presença” uns pelos outros.
      Não é óbvio???

  1. Muito inovador!!!
    Porque é que o registo com dados biométricos foi rejeitado para os deputados e está em vigor noutros serviços do Estado (ex. hospitais). Serão os deputados seres superiores? Ou esta é mais uma forma de poderem contornar o sistema?

  2. Mais manobras e carambolas. No final das contas vão continuar a “albrabar”… Não, eu é que sou tendencioso, incrédulo e maldizente…

  3. Lá vão passar a ter mais trabalho.
    Ter de carregar no sim para registar a presença do colega…e depois foi deixa de ser “inadvertido” para ser “distração”! Podiam estar distraídos a…sei lá…pintar a unhas!

    • Lá estão vocês, Pj e RatM…
      É mesmo querem ser “tendenciosos, incrédulos e maldizentes”.
      Então, é evidente que agora é mesmo IMPOSSÍVEL ser inadvertido e estar distraído… muito menos a pintar as unhas – onde é que já se viu?….

  4. o problema nao é o deputado dizer “sim”
    ele faz isso e depois pira-se da assembleia e vai trabalhar para a empresa e ai ja ganhou o dinheiro
    para acabarem com isto só ha uma soluçao. acabem com esse subsidio de presença
    o mesmo aconteceu com a vereadora da câmara que “mamou” duas presenças e por pouco minutos
    esteve na câmara (pouco tempo e nao acabou a reuniao) e depois foi para a assembleia para outra reuniao.
    so esteve meio dia em cada uma, mas ganhou como se estivesse um dia inteiro nas reunioes
    acabem com este subsidos e assim combatem a malandrice de estarem em 2 ou mais locais ao mesmo tempo

RESPONDER

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …

Caso Marega. PGR tinha brigada anti-racismo no jogo de Guimarães

A equipa do Ministério Público estava de serviço, no jogo entre V. Guimarães e FC Porto, quando o jogador maliano decidiu abandonar o campo na sequência de cânticos racistas. De acordo com o semanário Expresso, a …

Cientistas descobriram o que comiam os primeiros australianos

Uma equipa de arqueólogos e anciões aborígines encontraram sobras carbonizadas de há 65 mil anos, que estão a mostrar o que comiam as primeiras pessoas a viver na Austrália. Os investigadores e anciões aborígines locais recuperaram recentemente …