Documentário da Netflix sobre Maddie é “manipulador” e um “falhanço moral”

findmadeleine.com

Lucy Mangan, crítica de televisão do jornal The Guardian, descreveu o documentário “O Desaparecimento de Madeleine McCann”, dizendo que era um “um simples recontar da história”.

O documentário “O Desaparecimento de Madeleine McCann” estreou esta sexta-feira na Netflix. A crítica do The Guardian considera-o “tão moralmente e criativamente falhado” que, acredita, os espetadores teriam uma “melhor perceção” sobre o caso da criança desaparecida no Algarve em 2007 se se “sentassem sozinhos numa sala escura por 10 minutos para tentar sentir a angústia dos pais”

“Foi puramente uma repetição de tudo o que, para quem estava vivo na altura ou tem idade para perceber os apelos periódicos dos McCann, já se sabia”, escreve Lucy Mangan, que atribuiu uma estrela – de zero a cinco – ao documentário.

“Não foi o desinteresse de um caso esquecido, não foi a reanálise de um erro da justiça suspeito. Não revelou novos factos, nenhuma nova visão. Nem sequer tinha um ponto de vista”, escreveu no The Guardian.

A crítica lamenta que o primeiro episódio da série seja ocupado com “o desaparecimento, o pânico, o horror inicial e a demora da resposta da polícia”. No fundo, escreve, resume-se à descrição de “todos os becos sem saída, todas as partes de uma história que ainda não tem fim recapitulados de forma inútil”.

Lucy Mangan critica o facto de os episódios serem preenchidos “por comentários estranhos”, como “a história do Algarve como um destino de férias, os relatos de jornalistas e de como eles correram para o local e, em seguida, os seus relatos de como esperaram e não receberam qualquer notícia”.

O facto de não ter sido havido uma “ronda de entrevistas publicitárias antes da estreia” foi, para Lucy Mangan, um presságio: “Nunca é um sinal de grande confiança no produto”. “Valeu a pena a espera? Confundiu os rumores e os céticos? Não e não”, escreveu.

Já Ed Power, na crítica que escreve para o The Telegraph, considera que o documentário é “manipulador” e “não nos diz nada de novo”. O crítico conclui e lamenta que “O Desaparecimento de Madeleine McCann” tenha vindo “simplesmente confirmar que o género de casos de crime reais se tornou um prisioneiro das tendências mais crassas”.

Anna Menta, da Decider, classificou-a como “um agitador na febril fascinação pública, sem novas informações ou insights tangíveis para justificar a sua existência”.

Madeleine McCann desapareceu há quase 12 anos, de um apartamento de férias na Praia da Luz, em Portugal. O caso teve um grande mediatismo durante vários anos e nunca se chegou a saber o que aconteceu à criança que, na altura, tinha apenas três anos.

O caso de Maddie vai agora ser explicado num documentário da Netflix. The Disappearance of Madeleine McCann surge na forma de série, com oito episódios, e inclui entrevistas inéditas – tanto a amigos da família McCann, como também a investigadores que trabalharam no caso, incluindo o português Gonçalo Amaral.

O novo documentário avança com uma nova teoria sobre o que terá acontecido à menina inglesa: raptada, levada por um grupo de traficantes de crianças e ainda viva.

Kate e Gerry McCann recusaram-se a participar no documentário, alegando que a investigação policial ainda está em curso. “Não vimos na altura, e continuamos a não ver, como é que este programa ajudará na busca por Madeleine e, em particular, ajudar a investigação policial. Pode até potencialmente obstruí-la“, disseram os pais da criança.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Não se percebe é por que razão ou razões esta criança tem mais visibilidade do que as outras que também desapareceram antes e depois dela. E é notória a cumplicidade e culpa dos pais da mesma. Principalmente da mãe. A criança não vai ser encontrada porque está morta. Até os pais acreditam na mentira que inventaram, mas os portugueses não são parvos.

    • Yá sabes bué. .ate pk investigaste a fundo o caso .. Quem vê o documentário e fica com interesse ha de ternura noção donque aconteceu. . mas uma coisa e certe passado 12 anos os pais nao enriqueceram e continuam a pagar a detectives privados para a procurarem. So osnceguetas e que ainda acreditam na teoria da corrupta PJ que so agiu para defesa do turismo no Algarve uma “mina de ouro para Portugal”

  2. Manipuladores e falhados morais são os pais da Maddie, que continuam intocáveis e acarinhados pela imprensa cúmplice do seu país!!
    E mais não digo, porque toda a gente e até o casal McCann, sabe a verdade…

    • Yá eubsei a verdade eles esconderam oncorpo da menina na igreja e foi juntamente com uma senhora inglesa para o crematório para apagar vestígios. . e qd ela morreu cortaram na em pedaços e puseram dentrondo frigorifico onde a pj nunca investigou . por amor de deus.. Investiguem as coisas a fundo antes de darem uma opinião cconclusiva e absorda.. E mais.. Os pais nao enriqueceram em 12 anos.. E tão a beira da falência pois contratar detectives privados sai muito caro !! Principalmente quando sao uma farsa!!

RESPONDER

Ana Rita Cavaco ataca plano de inverno (e duvida que Marcelo "tenha ficado mais sossegado")

Ana Rita Cavaco reuniu-se com Marcelo Rebelo de Sousa, mas duvida que o Presidente tenha ficado mais tranquilo após ter ouvido os representantes do setor da Saúde, no Palácio de Belém. Ana Rita Cavaco, presidente da …

Nuno Mendes, "hábil como Ronaldinho"

  Portal conceituado destaca o jovem lateral do Sporting e cita Cristiano Ronaldo... várias vezes. Gigantes europeus atentos à evolução do jogador. Nuno Mendes é o foco de um artigo do portal Goal, embora Ronaldo (e Ronaldinho) …

Irão e Rússia estarão a tentar interferir nas presidenciais dos EUA

O diretor nacional dos serviços de informação dos Estados Unidos disse na quarta-feira que Irão e Rússia obtiveram informações dos eleitores norte-americanos e que estão a tentar interferir nas eleições presidenciais de 3 de novembro. "Queremos …

Cientistas revertem a doença de Parkinson em ratos

Uma equipa de cientistas conseguiu reverter totalmente a doença de Parkinson em ratos. Os animais deixaram de apresentar sintomas e recuperaram neurónios. A doença de Parkinson resulta da redução dos níveis de uma substância que funciona …

Entrevista a Carlos Cueva, autor de estudo inédito sobre os jogos à porta fechada

Carlos Cueva, 34 anos e professor na Universidade de Alicante há seis anos. Estudou em Inglaterra, onde completou um doutoramento em Economia. O ensino e a investigação ocupam o seu tempo. É especialista em investigação …

Ministro da Saúde do Brasil infetado com covid-19

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde brasileiro, está infetado. Também esta quarta-feira, o governante foi admoestado por Jair Bolsonaro, que negou haver intenção do Brasil comprar 46 milhões de doses de vacina chinesa. O ministro da Saúde …

PSD vai votar contra o OE2021. PS acusa Rio de abandonar defesa do "interesse nacional"

O secretário-geral adjunto socialista disse esta quarta-feira que não surpreende o voto contra do PSD à proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), considerando, no entanto, que Rui Rio “deixou cair” o valor do …

As vacas preferem interagir cara a cara com as pessoas. Ficam mais relaxadas

Um novo estudo descobriu que as vacas preferem interagir com os seres humanos cara a cara e que ficam os animais ficam mais relaxados com este tipo de interação do que quando ouvem uma voz …

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus para dois por semestre

O Presidente da República promulgou o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por …

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? A Ciência pode responder em breve

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? Uma equipa de investigadores propõe uma experiência que pode resolver essa questão espinhosa de uma vez por todas. Já alguma vez esteve em mais de um sítio …