Conselho da Magistratura adia análise de declarações de Carlos Alexandre

José Sena Goulão / Lusa

O juiz Carlos Alexandre

O juiz Carlos Alexandre

O Conselho Superior da Magistratura adiou para depois de 27 de setembro a análise da entrevista televisiva do magistrado Carlos Alexandre, preferindo aguardar pela decisão da Relação sobre o pedido de afastamento do juiz, movido por José Sócrates.

Em comunicado enviado esta quinta-feira à agência Lusa, o órgão de gestão e disciplina lembra que a análise da entrevista de Carlos Alexandre à SIC estava agendada para 27 de setembro, mas decidiu adiar o procedimento uma vez que na quarta-feira entrou no Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) um incidente de suspeição do magistrado, com fundamento nas declarações prestadas na televisão.

“A apreciação que cabe ao Conselho não se confunde com aquela que é pedida ao Tribunal da Relação. Todavia, a coincidência temporal de uma e de outra é suscetível de prejudicar a perceção pública da cabal distinção destes planos“, justifica o Conselho Superior da Magistratura (CSM).

Por esse motivo, o CSM anunciou que “difere a análise da entrevista para momento posterior à decisão pelo Tribunal da Relação do Referido incidente”, pelo que “retira da tabela da sessão plenária de 27 de setembro” este ponto da ordem dos trabalhos.

Na quarta-feira, a defesa do ex-primeiro-ministro José Sócrates na Operação Marquês apresentou um pedido de recusa do juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC).

O pedido de afastamento de Carlos Alexandre do processo Operação Marquês surge no seguimento de uma entrevista concedida pelo magistrado à SIC na passada quinta-feira, na qual disse sentir-se escutado no seu dia-a-dia e que não é rico nem tem amigos que o sejam.

Num artigo de opinião publicado no sábado no Diário de Notícias, José Sócrates já havia revelado ter dado instruções aos seus advogados “para apresentarem as respetivas queixas aos órgãos judiciais competentes”, entendendo que a referência aos amigos foi uma alusão baseada “na imputação que o Ministério Público” lhe faz nesse processo.

Na quarta-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) informou que concedeu mais 180 dias para a “realização de todas as diligências de investigação consideradas imprescindíveis” na Operação Marquês.

Em nota enviada à imprensa, a PGR esclareceu que os magistrados do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) indicaram que circunstâncias imponderáveis e extraordinárias impediam a conclusão da investigação” até 15 de setembro, como previsto.

Em finais de março, o diretor do DCIAP tinha fixado para 15 de setembro o prazo limite para a conclusão do inquérito da Operação Marquês, mas posteriormente, em julho, disse que não garantia que o prazo fosse cumprido.

A defesa de José Sócrates considerou “ilegais, abusivas e arbitrárias” as decisões de prorrogar o prazo e a recusa do procurador em dar a conhecer aos arguidos as suas justificações.

“O Ministério Público só não encerra o inquérito porque não quer. Porque não tem factos e porque todas as provas que tem impõem o imediato arquivamento, que é a última coisa que quer reconhecer”, afirmaram em comunicado os advogados João Araújo e Pedro Delille.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não concordo com a justificação do adiamento.
    Independentemente do afastamento ou não do juíz deste caso, o Conselho de Magistratura devia pronunciar-se, sem esperar, acerca da conformidade da entrevista.
    O CSM sabe muito bem que os juízes estão bem… nos tribunais. Quando começam a querer ser vedetas de televisão e comentadores, dá nisto!

RESPONDER

Netanyahu anuncia retirada da sua imunidade parlamentar

Benjamin Netanyahu retirou o pedido de imunidade ao Parlamento israelita contras as três acusações de que foi alvo em novembro, que envolvem casos de corrupção, fraude e abuso de confiança. O primeiro-ministro de Israel disse, em …

Vitória já tem proposta por Tapsoba (e pode fazer encaixe histórico)

O Vitória de Guimarães recebeu uma proposta por Edmond Tapsoba que pode levar os vimaranenses a abrir mão do jogador. Sabe-se que a proposta recebida ronda os 20 milhões de euros. A notícia avançada esta terça-feira …

Livre exige que património das ex-colónias em museus portugueses seja devolvido

O Livre quer que todo o património das ex-colónias, presente em território português, possa ser restituído pelos países de origem de forma a “descolonizar” museus e monumentos estatais. O partido da papoila quer que o património …

Pedro Sánchez usou helicóptero que procurava homem desaparecido

O primeiro-ministro espanhol requisitou, na passada quinta-feira, um helicóptero que estava a ser utilizado nas operações de busca de um homem de 34 anos que estava desaparecido em Maiorca. De acordo com o jornal espanhol ABC, tratava-se …

Isabel dos Santos contrata advogados de Ronaldo, Meghan e J. K. Rowling

Isabel dos Santos decidiu esta segunda-feira processar o consórcio de jornalistas. Para tal, contratou a mesma firma de advogados que conta com clientes como Cristiano Ronaldo, Harry e Meghan Markle e J. K. Rowling. Depois de …

ERC dá parecer favorável à nova direção de informação da RTP

A Entidade Reguladora para a Comunicação (ERC) deu, esta segunda-feira, "parecer favorável à nova direção de informação da RTP", 20 dias depois de a equipa liderada por António José Teixeira ter sido indigitada. O Conselho Regulador …

OE2020. BE quer fim do regime "aberrante" dos vistos gold

O BE destacou, entre as cerca de 200 propostas de alteração que apresentou ao Orçamento do Estado, o fim do regime dos ‘vistos gold’ e a obrigação de qualquer injeção de capital no Novo Banco …

Após 20 anos de silêncio, sinos e carrilhões de Mafra voltam a tocar

Os sinos e os carrilhões do Palácio de Mafra vão tocar a partir de 1 de fevereiro, após obras de restauro, depois de os primeiros sinais de deterioração surgirem a 11 de setembro de 2001, …

Encontro secreto de bispos críticos do Papa Francisco em resort de luxo em Sintra

Uma centena de bispos de todo o mundo reuniu-se em Sintra, no resort de luxo Penha Longa, num encontro envolvido em secretismo que não contou com intervenientes portugueses. As razões ou o que se discutiu …

Quim Torra perde mandato de deputado. Catalunha arrisca ficar sem Governo

O presidente independentista da Catalunha perdeu o seu mandato como deputado regional, esta segunda-feira, o que levanta dúvidas sobre a sua continuação à frente do Governo regional. Quim Torra, do partido Juntos pela Catalunha de Carles …