Comissão de Proteção Dados veta divulgação integral de relatório sobre Pedrógão

António Cotrim / Lusa

A Comissão Nacional de Proteção Dados (CNPD) vetou a publicação integral do capítulo seis do relatório elaborado por Domingos Xavier Viegas sobre os incêndios de Pedrógão Grande, permitindo apenas que os familiares das vítimas tenham acesso à informação.

“A CNPD não autoriza a publicação ou divulgação pública integral do capítulo seis do relatório, intitulado ‘o complexo de incêndios de Pedrógão Grande e concelhos limítrofes, iniciado a 17 de junho de 2017’, na ‘versão destinada a ser tornada pública’, elaborado pelo Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra”, refere o parecer, feito a pedido do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

A CNPD considera que a divulgação pública do relatório expõe “as pessoas num grau muito elevado, afetando significativamente os direitos fundamentais ao respeito pela vida privada e à proteção de dados pessoais”.

A 16 de outubro, foi entregue ao Governo o relatório de Domingos Xavier Viegas, que na altura foi divulgado à exceção do capítulo seis, que faz uma descrição detalhada sobre as últimas horas de vida das 65 vítimas mortais do incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande a 17 de junho, bem como o que sucedeu ou terá sucedido com os sobreviventes durante os fogos.

O relatório foi divulgado ainda pela ex-ministra Constança Urbano de Sousa, mas o atual ministro Eduardo Cabrita pediu à CNPD que se pronunciasse sobre os termos da eventual divulgação pública do capítulo seis.

No parecer, a CNPD refere que, “apesar do esforço de anonimização”, é possível “relacionar os factos e situações descritos com as vítimas, testemunhas e sobreviventes e, com isso, identificar a quem dizem respeito”.

“A divulgação generalizada, sobretudo no contexto da Internet, da informação pormenorizada sobre cada uma das vítimas e das suas últimas horas de vida expõe as pessoas num grau muito elevado, afetando significativamente os direitos fundamentais ao respeito pela vida privada e à proteção de dados pessoais”, lê-se na deliberação, datada de 21 de novembro e divulgada na página da Internet daquele organismo.

A CNPD considera também que os familiares diretos das vítimas podem ter conhecimento parcelar do descrito no capítulo seis do relatório, nas “partes que digam especificamente respeito aos respetivos parentes falecidos”.

Apesar do veto, a Comissão Nacional de Proteção Dados a autoriza a publicação dos três pontos do capítulo seis, desde que previamente sejam colocados no anonimato “alguns elementos que podem permitir indiretamente a identificação dos intervenientes” e que “cada um dos intervenientes der o consentimento”.

Um dos pontos que pode ser divulgado refere situações de prestação de socorro, que, segundo a CNPD, corresponde “a uma das principais funções públicas” e, como tal, sujeito a um reforçado acompanhamento e controlo pela sociedade”.

O parecer da CNPD considera relevante dar a conhecer o número de casos em que por causa da quebra da energia elétrica não foi possível assegurar, através do uso de água, a proteção das pessoas e das casas, tendo provocado a sua fuga, bem como o número de casos em que as comunicações telefónicas falharam impossibilitando o pedido de ajuda.

Vítimas querem que relatório seja divulgado “para que não volte a acontecer”

Dina Alves, responsável da Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) defende, no entanto, que, “para que não volte a acontecer”, devem ser tornadas públicas as informações constantes do capítulo 6 do relatório sobre o incêndio, do qual consta a descrição das circunstâncias de 27 mortes durante a tragédia de 17 de junho.

A associação vai reunir com o autor do relatório e tem também marcada, para esta sexta-feira, uma reunião com o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

“O objetivo número um é que aquilo que se passou não volte a acontecer. E é por isso que é muito importante que o capítulo 6 tenha uma divulgação pública“, defendeu ao Diário de Notícias.

A divulgação do capítulo 6, admitiu, “poderá ferir suscetibilidades. Mas a nós, enquanto associação de vítimas, o que importa é que fique claro que os nossos familiares, vizinhos e amigos passaram por aquilo”, defendeu: “Há situações lá descritas que é importante que sejam do domínio público, para que as mortes não tenham sido em vão“.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Erosão causada por tempestade tropical revela naufrágio do século XIX na Florida

Depois da tempestade tropical Eta arrebatar o norte da Florida no início deste mês, um banhista fez uma descoberta inesperada enquanto caminhava na costa de St. Augustine. Ao caminhar pelas dunas de areia de Crescent Beach, …

Uma mentira de um trabalhador de uma pizzaria forçou o confinamento na Austrália do Sul

O estado da Austrália do Sul decretou um confinamento geral, no dia 18 de novembro, depois de um funcionário de uma pizzaria ter mentido. Segundo o Huff Post, o homem, de nacionalidade espanhola, estava infetado com …

Jogar Monopólio, Scrabble ou até bilhar pode ser (ainda) mais divertido com uma nova mesa touch

Por mais divertidos que sejam os jogos de tabuleiro, estes podem ser um passatempo caro pois quem realmente gosta não se cansa de os comprar. Agora, a empresa Arcade1Up criou o Infinity Game Table que …

A apreensão histórica de cetamina na Tailândia não foi assim tão histórica. Eram só aditivos alimentares

Análises laboratoriais revelaram que a apreensão "histórica" de cetamina anunciada pelo Governo da Tailândia há cerca de duas semanas foi, na verdade, uma apreensão de aditivos alimentares e agentes de limpeza. As autoridades tailandesas anunciaram, …

Para clínicas de Terceiro Mundo. Dispositivo movido a energia solar esteriliza equipamentos médicos ao ar livre

As autoclaves são consideradas essenciais para esterilizar equipamentos médicos, mas não estão disponíveis nos países de Terceiro Mundo, onde o acesso à eletricidade é limitado. Um novo dispositivo portátil, movido a energia solar, pode ser …

China pondera novas regras sobre estrangeiros para "proibir o extremismo religioso"

Um projeto-lei publicado esta semana pelo Ministério da Justiça chinês aponta para novas restrições sobre a atuação de fiéis estrangeiros no país, com o intuito de evitar a disseminação do "extremismo religioso" ou do uso …

Regar, cortar e matar insetos. Robô dá conta de todas as tarefas de jardinagem (e até afasta intrusos)

A jardinagem é uma terapia para muitas pessoas, mas também pode ser um incómodo. O robô Yardroid foi projetado para lidar de forma autónoma com essas tarefas, utilizando inteligência artificial. Semelhante a um tanque em miniatura, …

ProToiro vai impugnar IVA das touradas e avança com queixa em Bruxelas

A Federação Portuguesa de Tauromaquia (ProToiro) vai avançar com a impugnação do valor do IVA na tauromaquia e com uma queixa na Comissão Europeia, exigindo que a taxa passe de 23% para 6%. Em comunicado, a …

Braga 3-3 Leicester | Vardy rouba triunfo luso nos descontos

Um "balde de água fria". A recepção do Sporting de Braga ao Leicester não foi parca em emoção e em bom futebol. Os minhotos foram superiores na primeira parte e chegaram ao intervalo em vantagem. Contudo, …

Equipa de Biden escondeu um anúncio de emprego secreto no código-fonte do seu site

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, escondeu um anúncio de emprego no código-fonte do seu site de transição, enquanto inicia o processo de contratação da nova administração para a Casa Branca. De acordo com …