Aquarius vai para Espanha com ajuda de barcos militares italianos

Christophe Petit Tesson / EPA

O navio Aquarius, da ONG francesa SOS Mediterranée, que as autoridades italianas e maltesas se recusaram a acolher

O barco com mais de 600 migrantes, que Itália e Malta se recusaram a acolher, vai fazer a viagem até Espanha com a ajuda de dois barcos militares italianos.

Após Espanha se ter oferecido para receber, no porto de Valência, o barco Aquarius, onde se encontram 629 migrantes – 123 das quais são menores não acompanhados e sete grávidas – o responsável pelas operações marítimas da SOS Mediterranée, ONG francesa responsável pelo navio, informou que não havia condições para chegar em segurança.

No entanto, a viagem, que deverá demorar quatro dias a ser feita, já está assegurada, uma vez que dois barcos militares italianos vão ajudar a processar toda a operação, avança o Observador. O Aquarius vai transportar uma centena de migrantes e está previsto que os restantes viajem em duas embarcações da Guarda Costeira e da Marinha Italiana que, esta manhã, também se dispuseram a levar alimentos e medicamentos.

Esta terça-feira, o presidente do conselho executivo da Córsega, Gilles Simeoni, também anunciou estar disponível para acolher o barco.

A oferta de acolher o navio em Valência foi uma decisão direta e pessoal do novo presidente do Governo, Pedro Sánchez, considerando ser a sua obrigação “ajudar a evitar uma catástrofe humanitária e oferecer um porto seguro a estas pessoas, cumprindo desta forma as obrigações do direito internacional”.

Recorde-se que os migrantes foram resgatados do Mediterrâneo no fim-de-semana e o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, proibiu o barco de atracar num porto do país, embora várias cidades – Palermo, Nápoles, Messina e Régio de Calábria – tenham desafiado o Governo e mostraram-se disponíveis para receber o Aquarius.

european_parliament / Flickr

Matteo Salvini, líder da Liga e novo ministro do Interior italiano

Itália pediu a Malta que acolhesse os migrantes, mas o Executivo maltês defendeu que a responsabilidade era de Itália porque as operações de salvamento ocorreram numa zona marítima coordenada por Roma.

Entretanto, a presidente da Câmara de Madrid, Manuela Carmena, disse que a capital pode acolher 20 famílias, até um máximo de 100 pessoas. Numa mensagem no Twitter, a autarca afirmou que “com a ajuda de todos a situação pode ser resolvida em breve”.

A Câmara de Madrid está a aguardar que o Governo central aceite a oferta, segundo fontes municipais, e a vice-presidente do Governo, Carmen Calvo, pediu ao presidente da Federação Espanhola de Municípios e Províncias (FEMP), Abel Caballero, que coordene as ofertas que estão a chegar aos municípios para hospedar os 629 migrantes.

O ministro dos Negócios Estrangeiros já afirmou que Espanha, ao oferecer-se para acolher os migrantes a bordo do Aquarius, quer pressionar os líderes da União Europeia a discutir as políticas de migração ainda este mês.

Josep Borrell disse à radio espanhola Ser que o gesto de Espanha procura impedir que os países ignorem a situação ao “permitir que um membro da UE lide com o problema enquanto os restantes descartam responsabilidades”.

O governante prometeu levar o problema aos chefes de Estado ou de Governo da UE, no Conselho Europeu a realizar-se nos dias 28 e 29 de junho.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Prasitas a ajudar parasitas, mas os conflitos acabaram, portanto hora de retornar as origens. A Europpa tem 40 milhoes de pobres e andamos a sustentar originarios de paises ricos cheios de petroleo

RESPONDER

Acordo com Groundforce falha por acionista maioritário ter ações penhoradas

O acordo entre a TAP e a Pasogal, acionista da Groundforce, falhou, porque as ações do acionista já estão penhoradas e, assim, não podem ser dadas como garantia, disse à Lusa fonte oficial do Ministério …

Apenas 24 países têm mulheres no poder. Igualdade de género alcançado somente "em 130 anos"

Menos de 500 milhões de pessoas dos cerca de 7,8 mil milhões que constituem a população mundial têm atualmente uma mulher Presidente ou chefe de governo, avançou a ONU Mulher. "Ao ritmo atual, a igualdade de …

Império de Cristiano Ronaldo mudou-se para Portugal (na pista dos benefícios fiscais)

Após ter dissolvido a CRS Holding no Luxemburgo, Cristiano Ronaldo passou a sede de uma das suas principais empresas para Lisboa renomeando-a CR7 Lifestyle Unipessoal. Nesta altura, o craque já tem seis empresas instaladas em …

Coro de crianças na Alemanha compõe música de apoio a Portugal

Um coro com cerca de quatro dezenas de crianças, da cidade de Tecklenburg, na Alemanha, criou uma música para "dar conforto" aos portugueses durante a pandemia de covid-19. "Quando eu li nas notícias sobre a situação …

Pelo menos 6% das portuguesas já foram vítimas de agressão física ou sexual

No dia em que se assinala o Dia Internacional da Mulher, a Pordata compilou um conjunto de indicadores que retratam a situação da mulher, em Portugal e na União Europeia.  Segundo o Eurostat e a Agência …

PS exige "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro

As federações do PS de Aveiro, Coimbra, Guarda, Leiria, Oeste, Santarém e Viseu exigiram este domingo a "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro de Portugal (TCP) e a convocação de eleições …

“Opaco” e “mal estruturado”. Pilotos criticam plano de adesão voluntária da TAP

Esta segunda-feira, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) definiu o programa de medidas voluntárias da TAP como “mal estruturado”, “absolutamente opaco” e com “deficiências de informação”. A direção de recursos humanos da companhia “revela-se …

"Bolsonaro pode estar a preparar guerra civil", temem politólogos

Politólogos ouvidos pelo DN temem que o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, possa estar a preparar uma guerra civil. "Deseja armar a população, confia em poderes paralelos e estimula a indisciplina dos escalões mais baixos …

PRR: PSD quer que Governo conheça todos os contributos entregues na consulta pública

O PSD pediu acesso esta segunda-feira, através do parlamento, à documentação relativa a todos os contributos decorrentes da consulta pública do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Num requerimento entregue segunda-feira no parlamento e dirigido ao …

Líder do Volt é candidato à Câmara de Lisboa

Tiago Matos Gomes anunciou a sua candidatura à Câmara Municipal de Lisboa. É a primeira vez que o Volt Portugal vai a votos. O líder do recém-criado Volt, Tiago Matos Gomes, é o cabeça de lista …