Espanha acolhe barco com 629 migrantes recusado por Itália e Malta

O primeiro-ministro espanhol anunciou, esta segunda-feira, que o país vai acolher em Valência o barco Aquarius, onde se encontram 629 migrantes, que navega no Mediterrâneo e que Itália e Malta se recusaram a receber.

“O presidente do Governo, Pedro Sánchez, deu instruções para que Espanha cumpra os seus compromissos internacionais em matéria de crises humanitárias”, segundo um comunicado do Executivo espanhol.

O comunicado acrescenta que o primeiro-ministro deu instruções para que Espanha acolha num porto espanhol o barco Aquarius, que transporta 629 migrantes, dos quais 123 são menores não acompanhados e sete grávidas.

“É nossa obrigação ajudar a evitar uma catástrofe humanitária e oferecer um porto seguro a estas pessoas, cumprindo desta forma as obrigações do direito internacional”, disse Pedro Sánchez, citado pelo Expresso.

O porto de Valência foi o escolhido para receber o navio e o autarca da cidade, Joan Ribó, destacou o seu papel como “cidade refúgio” e considerou “absolutamente desumano que se deixe um barco à deriva nesta situação”.

A vice-presidente do Governo Regional valenciano também abordou o caso, considerando impossível que, em pleno século XXI, “629 pessoas estejam num barco à deriva pelo Mediterrâneo, que já levou milhares de vidas e se converteu numa fossa comum da vergonha”. “Queremos abrir esse corredor de esperança no Mediterrâneo. Valência está disposta a recebê-lo”, afirmou Mónica Oltra, citada pela Renascença.

Itália e Malta recusaram acolher barco

Os migrantes foram resgatados do Mediterrâneo ao longo do dia de sábado e, no domingo, o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, proibiu o barco de atracar num porto do país, tendo sido instruído a manter-se em alto mar, a 35 milhas de Itália e a 27 milhas de Malta, segundo a ONG francesa responsável pelo navio, SOS Mediterranée.

Itália pediu a Malta que acolhesse os migrantes, mas o Executivo maltês defendeu que a responsabilidade era de Itália porque as operações de salvamento dos migrantes ocorreram numa zona marítima coordenada por Roma.

Apesar da posição de Salvini, várias cidades do Sul de Itália já tinham desafiado o Governo e disseram estar prontas para receber o Aquarius, entre elas Palermo, Nápoles, Messina e Régio de Calábria.

Salvini deu uma conferência de imprensa na qual afirmou que a situação do navio “se resolveu graças ao bom coração do Governo espanhol“. Os chefes de Governo de Itália e de Malta também agradeceram o gesto espanhol. “Tínhamos pedido um gesto de solidariedade da União Europeia para esta emergência. Devo agradecer às autoridades espanholas terem dado acolhimento ao nosso pedido”, disse Giuseppe Conte.

Conte, à frente da coligação de Governo entre a Liga e o Movimento 5 Estrelas, sublinhou que “a verdadeira emergência continua a ser a gestão dos fluxos migratórios“.

Joseph Muscat agradeceu igualmente a Madrid, numa declaração em que volta a criticar Itália. “Agradeço a Espanha e ao primeiro-ministro Pedro Sánchez por receberem o Aquarius depois de Itália violar a lei internacional e provocar um impasse. Malta vai enviar mantimentos frescos para o barco”, escreveu no Twitter. “Temos de nos sentar e discutir como evitar que isto volte a acontecer. Esta é uma questão europeia”, escreveu.

Viagem para Espanha é um “desafio considerável”

Antoine Laurent, responsável para as operações marítimas da SOS Mediterranée, explicou à Associated Press que chegar a Valência, a 750 milhas marítimas ou 1.400 quilómetros de distância da atual posição do navio, “não é possível com 629 pessoas a bordo”.

O navio teria de ser reabastecido no mar, “o que não é fácil de organizar”, disse, apelando “a Itália para encontrar uma solução muito em breve perto da posição” do navio, que está a 35 milhas de Itália e a 27 milhas de Malta.

Por outro lado, a presença a bordo de 629 pessoas “é considerável para um navio como o Aquarius, que só tem 80 metros”, e a equipa médica a bordo é “muito reduzida”, disse o mesmo responsável à rádio FranceInfo.

Entre os migrantes a bordo “não há casos graves, mas isso pode pior muito rapidamente”, disse, referindo haver pessoas que “caíram à água e engoliram água ou sofreram queimaduras por contacto com combustível”.

O Aquarius “aguarda instruções” das autoridades italianas, disse, contrariando uma afirmação feita horas antes por Salvini, de que o navio já estava a caminho de Espanha.

“Esperamos que isto se resolva o mais rapidamente possível. De qualquer maneira é uma obrigação de Itália encontrar uma solução rapidamente”, disse Laurent.

Outro navio espera permissão para aportar em Itália

Entretanto, um navio da guarda-costeira italiana com 790 migrantes a bordo aguarda desde domingo que lhe seja atribuído um porto em Itália, um segundo caso depois do Aquarius.

Fontes da Guarda Costeira italiana, citadas pela EFE, precisaram que os migrantes foram recolhidos no Mediterrâneo por navios militares e mercantes durante o dia de domingo e transferidos para o navio-patrulha Diciotti, cujo comandante aguarda que lhe seja atribuído um porto.

Segundo alguns media italianos, foi convocada uma reunião de emergência do comando da Guarda Costeira para avaliar o suposto encerramento dos portos ordenado pelo ministro do Interior.

Atualização (17h53):
Antoine Laurent, responsável para as operações marítimas da SOS Mediterranée, desmentiu a afirmação feita horas antes por Salvini, de que o navio já estava a caminho de Espanha.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Se as pessoas são “todas iguais” porque é que nos países dominados por latinos e africanos é só crime fome e miséria? Porque é que o México, por exemplo, não é tão rico como os EUA? Na África e nos países sul-americanos só sabem fazer filhos para mandar para a Europa e para os EUA.

  2. A Turquia recebeu dinheiro da UE para manter lá os migrantes. Ou teria havido uma invasão colossal anos atrás. Temos de decidir rapidamente o que fazer com estas pessoas. Só há duas hipóteses, visto que nunca mais voltam ao país de origem, aceitá-las e registá-las na UE com direitos, ou impedir que entrem e expulsar os que estão. Se a situação fosse inversa os europeus não seriam aceites lá devido às culturas violentas e cristiandade.

RESPONDER

Descobertas oito novas fontes de Explosões Rápidas de Rádio vindas do Espaço

As Explosões Rápidas de Rádio (Fast Radio Bursts, FRBs) são dos enigmas mais intrigantes da astronomia moderna. Estes sinais de rádio, por norma, duram milésimos até desaparecer, mas alguns repetem-se de forma irregular. Desde a descoberta …

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …