Aprovada a lei que permite animais em restaurantes

Os animais de companhia podem, a partir de Maio, acompanhar os donos a estabelecimentos comerciais devidamente sinalizados e que podem fixar uma lotação máxima, de acordo com a lei aprovada no Parlamento nesta sexta-feira.

O texto de substituição, acordado na comissão de Economia, foi aprovado por unanimidade, a partir de projectos do Partido Ecologista “Os Verdes”, do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e do Bloco de Esquerda, tendo sido acolhidas propostas do PS, por exemplo.

Nos termos da lei, que entra em vigor 90 dias depois de publicada, é permitida a entrada de animais em estabelecimentos, “em espaços fechados”, que os aceitem, mas é necessário obedecer às regras descritas na lei.

Por um lado, pode ser fixada uma lotação máxima de animais pelo restaurante, de modo a “salvaguardar o seu normal funcionamento”.

Os animais terão de estar presos, “com trela curta”, e “não podem circular livremente”, estando vedada a sua presença na zona de serviços ou onde existam alimentos.

O dono do estabelecimento pode, igualmente, fixar uma área reservada para clientes com animais ou permitir a sua presença em todo o espaço.

Na especialidade, e de acordo com o relatório da comissão, a que a agência Lusa teve acesso, prevaleceu a maior parte dos artigos do PEV, tendo sido aprovadas algumas propostas de alteração feitas pela bancada do PS, como a de permitir que se defina o número máximo de animais num estabelecimento.

Destas proibições são excluídos os cães de assistência, para os cegos.

Os projectos de lei que possibilitam a permissão de animais de companhia em estabelecimentos fechados de restauração, para além dos cães de assistência já legalmente autorizados, foram votadas na generalidade em 13 de Outubro.

O projecto do PAN nasceu de uma petição remetida ao Parlamento pelo deputado único daquele partido, André Silva, e visava alterar legislação de 2015, que não permite a entrada de animais em espaços fechados de restauração e bebidas, mesmo que o proprietário do estabelecimento o autorizasse.

// Lusa

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Este país é do melhor.. leis para os panascas, adopções de tanga e cãezinhos é logo a aviar.. continuam a morrer mulheres e crianças vitimas de violência e nisso ninguém faz nada. Era o que me faltava agora estar no restaurante a levar com o cheiro dos cães e o ladrar etc.. fosgasse há MINIMOS!
    Do melhor isto..

  2. Adoro cães, já tive vários e agora não tenho por motivos de saúde, mas NUNCA levaria o meu cão a um restaurante. Existem limites para tudo e este é um deles.

  3. Quando falta o bom senso falta tudo. Estamos em presença de uma lei estúpida. O p.s. vai dando estas esmolinhas aos políticos da esquerda fidalguinha, e sabemos bem com que intenção. Esperamos que quando o Costa já não precisar deles, o que é muito provável que aconteça, revogue de imediato estes leisinhas parvinhas e esquerdelhitas que envergonham toda a gente de bom senso.
    Maria Minhota

  4. “Os animais terão de estar presos, “com trela curta”, e “não podem circular livremente”, estando vedada a sua presença na zona de serviços ou onde existam alimentos.”
    mas se o empregado tras a comda na bandeja, logo tem que andar a fazer fintas para nao pisar os caes, logo ao pe dos caes ha comida. imagino o empregado a passar com a bandeja e um cao a coçar e a soltar as pulgas, rsssss
    pelo que ouvi, os donos dos restaurante podem ou nao aprovar espaços destinados a caes.
    a estes restaurantes eu nao punha la os pes, mesmo que a comida fosse quase de borla
    os que aprovaram esta lei estao mais preocupados com os caes do que com as mortes de crianças e mulheres vitimas de violencia domestica.
    ainda nao vi estes partidos entrarem com petiçoes para mudar a lei sobre violencia domestica.
    ja agora porque nao levam tambem os caes para a assembleia da republica para lhes fazer companhia?

  5. O Tuga fica escandalizado com pouco e para fazer valer o seu ponto de vista (o de Tuga escandalizado, claro está) serve qualquer linha de argumentação ou lógica… até a da batata: Como há mulheres e crianças mal tratadas ninguém tem nada que se preocupar com coisas ‘menores’ (como direitos dos animais).

    Aceite está lógica ficam no entanto diversas questões para responder: E aumentar salário mínimo ou reformas? O governo pode pensar? Cá para mim as crianças vêm primeiro. Desbloquear carreiras na função pública? Pode? Não! As crianças estão claramente primeiro. Resolver o problema lá dos lesados do BES (ás custas de dinheiro público)? Pode ou as crianças vêm primeiro? Agora uma grande: Orçamento de Estado? Pode-se pensar ou as crianças vêm primeiro?? E podia continuar…

    Tenham lá calma. Só vai ao restaurante quem quer. Ninguém vai apontar uma arma à cabeça de ninguém e obrigar as virgens ofendidas a comer onde estiverem cães ou gatos ou periquitos.

    Cá por mim não acho nem bem nem mal (não tenho cães sequer). Acho é que deve ser dada liberdade às pessoas para decidirem onde e com quem querem estar e isso não ser ilegal.

    Como dizia o outro: Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

RESPONDER

Se recebeu uma chamada da Tunísia, não devolva. É fraude

Clientes de várias operadoras nacionais têm recebido, nas últimas semanas, um "anormal" volume de chamadas internacionais. As operadoras suspeitam de fraude. Segundo o Jornal de Notícias, várias pessoas têm recebido chamadas de u número internacional que …

FMI avisa que vêm aí "tempos sombrios" e que "todos vão sofrer"

Kristalina Georgieva, chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), avisou que os próximos tempos serão sombrios e que todos irão sofrer. Numa introdução às reuniões da primavera do FMI e do Banco Mundial, que decorrem entre 14 …

Merkel pede paciência: situação continua "frágil"

Angela Merkel pediu paciência aos alemães e admitiu que "não será necessário" impor no país medidas mais rigorosas de confinamento. A chanceler alemã, Angela Merkel, apelou esta quinta-feira à paciência dos alemães, num momento de crescente …

Detido bilionário chinês que criticou Presidente Xi Jinping. Estava desaparecido há um mês

O bilionário chinês Ren Zhiqiang que criticou a forma como Presidente da China, Xi Jinping, lidou com a pandemia, está sob custódia das autoridades chinesas devido a uma investigação em que é o principal suspeito. …

Bloqueio dos coronabonds pela Holanda é "irresponsável"

Jean-Claude Juncker, antigo presidente da Comissão Europeia, considera que o bloqueio pela Holanda do uso do Mecanismo Europeu de Estabilidade é "irresponsável". O antigo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerou esta quinta-feira “irresponsável” o bloqueio …

Creche recusou receber filho de enfermeira por falta de funcionários. Meteram baixa

A creche e pré-escolar "Voar mais alto", em Setúbal, recusou receber uma criança de três anos, filha de uma enfermeira, por falta de funcionários. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo Observador que adianta que as …

Subsídio por assistência a filhos vai ser pago 100% em toda a função pública

O subsídio por assistência a filho sobe de 65% para 100% do salário aos funcionários públicos inscritos na Caixa Geral de Aposentações. O Governo aprovou, esta quinta-feira, um diploma que aumenta o subsídio por assistência …

Espanha avança com novo prolongamento do estado de emergência. Contágios em Itália voltam a subir

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, avançou que dentro de quinze dias terá de voltar ao parlamento para prolongar o estado de emergência por mais duas semanas. Depois de afirmar que Espanha não terá ainda "posto fim …

Boris Johnson saiu dos cuidados intensivos

O primeiro-ministro britânico saiu dos cuidados intensivos, avançou Downing Street. De acordo com o comunicado, Boris Johnson está "muito bem-disposto". Boris Johnson saiu esta tarde dos cuidados intensivos, segundo um comunicado de Downing Street. O primeiro-ministro …

SEF instaurou inspeção interna à morte de ucraniano, mas não detetou suspeitas de crime

Esta quarta-feira, o ministro da Administração Interna prestou esclarecimentos sobre a morte de um cidadão ucraniano à guarda do SEF, no aeroporto de Lisboa, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Eduardo Cabrita considerou …